Baklava

DICA: Não coloque mais do que 1 colher de chá de canela porque tem um sabor amargo.

  • 1 folha de torta
  • 200 g de margarina
  • 400 g de miolo de noz
  • 1 colher de chá de canela
  • 200 g de açucar
  • 120 g de mel
  • 150 ml de água
  • 1 colher de chá de essência de baunilha

Porções: 10

Tempo de preparação: menos de 60 minutos

PREPARAÇÃO DA RECEITA Baclava:

Deixe as formas de torta descongelar.
As folhas são divididas em 3 partes iguais.
Moa as nozes e misture com a canela.
As nozes são divididas em 2.
Derreta a margarina.
Pegue uma folha, coloque na bandeja e unte, coloque a próxima folha, unte até acabar com a primeira parte das folhas.
Coloque sobre as folhas metade das nozes moídas misturadas com canela.
Coloque em cima das nozes as folhas (a segunda parte) que são untadas da mesma forma com a margarina derretida
até que termine com a segunda parte. Polvilhe com duas nozes meio moídas.
Cubra com a última parte das assadeiras, fazendo o mesmo de antes, unte-as com margarina.
Cubra para secar e leve à geladeira por 20-30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 200 graus.
Retire a bandeja da geladeira e distribua as baclavas antes de colocá-las no forno.
Corte retângulos. Asse por cerca de 25 minutos até dourar por cima.
Enquanto isso, a calda é feita. Misture a água com o açúcar em uma panela e leve ao fogo baixo.
Após a fervura da calda, acrescente o mel, deixando a composição ferver novamente.
Depois que começar a ferver novamente, acrescente a baunilha.
Despeje a calda quente sobre o baklava recém-assado.
Eles são bons resfriados.


Como fazer baclava turca em casa

Basicamente, o baklava parece ter se originado na Mesopotâmia, onde as pessoas criaram o bolo inventando uma massa que assavam e colocavam mel para dar um sabor melhor.

Atualmente, gregos e turcos estão travando uma batalha feroz pela invenção dessa sobremesa, mas os árabes não são exceção.

É certo que baclava tornou-se uma sobremesa acessível a qualquer pessoa, a receita varia dependendo de onde é preparada.
A sobremesa pode ser comida quente ou fria, mas é bom ser acompanhada de limonada ou de vinhos variados. O povo armênio tornou a baclava ainda mais gostosa com a introdução da canela, e os árabes colocaram água de rosas e laranja na receita.

A baclava também é bem recebida na Romênia, pois é uma das receitas de bolo mais populares. É preferível a outras receitas porque seu tempo de realização é curto e o orçamento para sua realização é aquele que todos podem pagar.

Mas vamos ver como o baclava é preparado da maneira tradicional turca.

Para uma bandeja de baclava, você precisa dos seguintes ingredientes:

  • 500 gramas de folhas finas de torta
  • 450 gramas de açucar
  • 200 gramas de nozes moídas (pode ser substituído por avelãs, castanhas de caju, pistache ou amêndoas)
  • 125 gramas de manteiga
  • Uma colher de sopa de suco de limão
  • 50 ml de óleo

Método de preparação:

Para xarope: Coloque 130 ml de água em uma panela, acrescente o açúcar e mexa até que todo o açúcar se dissolva. Deixe ferver, adicione o suco de limão e cozinhe por mais 5 minutos.

À parte, em uma panela, derreta a manteiga e o óleo, com os quais untará as formas de torta. Em uma panela, coloque 3-4 colheres de sopa de óleo e espalhe em toda a superfície da panela. Corte as folhas de torta no formato da bandeja. Em seguida, coloque 3 folhas de torta na bandeja, tomando cuidado para não quebrar. Coloque duas colheres de sopa de gordura (manteiga derretida com óleo) por cima e espalhe bem sobre toda a superfície das assadeiras. Repita a cada 3 folhas adicionadas à bandeja. Quando chegar ao meio da embalagem de torta, acrescente as nozes moídas e coloque sobre as folhas restantes (não esqueça de untar a cada três folhas, e a gordura deve estar quente).

Com uma faca afiada, corte o comprimento e a largura das folhas em um formato quadrado. Em seguida, adicione a gordura restante sobre o bolo e espalhe bem. Leve ao forno pré-aquecido e deixe por 25-30 minutos a 180 graus Celsius até dourar.

Retire do forno e deixe esfriar um pouco, depois acrescente, usando um polidor, xarope de açúcar, água e suco de limão. Polvilhe as nozes moídas por cima.

Aqui está uma variante do baclava em forma de rolo:


Baklava

De todos os doces, o baclava é um dos mais doces. E é o doce que posso comer a qualquer hora, apesar de ser tão doce. Não consigo comer tanto, geralmente o segundo pedaço me tampe e não quero comer mais nada por algumas horas, mas gosto do sabor e onde pego uma baclava que vale a pena, eu não hesite. Infelizmente, nem todos os bacharéis valem a pena. Os que encontramos em nosso comércio são feitos com margarina, com pouco recheio e muito açúcar, ao preço de um baklava de verdade. Isso é tudo que eles entenderam do baklava, que é muito doce. Claro que é, mas além disso também é xaroposo e o xarope é gostoso (tradicionalmente é feito com água de rosas), claro que é uma bomba energética mas a energia vem principalmente das nozes, que são abundantes. Vou te mostrar minha versão de baclava, que, entre nós, qualquer um pode fazer. Bem, quase qualquer um.

O recheio é importante para o baclava. Tem que ser muito e bom. Usei 400 gramas de avelãs, nozes, castanhas de caju, basicamente uma mistura de sementes secas.

Também usei 50 gramas de pistache, porque gosto.

Moei as nozes / avelãs (pistache separadamente).

Derretíamos um pacote de manteiga (tradicionalmente na Turquia se usa manteiga de leite de ovelha, não temos).

Misturei as nozes (por assim dizer, genericamente) com uma xícara de açúcar mascavo e uma colher de sopa de canela.

Untei as folhas com manteiga (usei folhas de torta simples, sem margarina), uma de cada vez (tem que mexer rápido nas folhas, seca rápido).

É claro que untei os lençóis conforme precisei. Fiz isso: a cada duas folhas colocadas na bandeja, borrifava um pouco do recheio. Depois de colocar dez folhas, coloquei o recheio central em uma camada grossa.

Cobri então com mais oito ou dez folhas, untadas individualmente, entre as quais polvilhei um pouco de recheio.

Cortei a baclava com uma faca e coloquei no forno a 180 graus Celsius. Eu a deixei lá por 35-40 minutos.

Fiz um xarope com um litro de água, uma xícara de açúcar mascavo, uma vagem de baunilha, suco de limão (uma xícara), que deixei ferver em fogo baixo enquanto o baklava estava no forno. Eu derramei a calda sobre a baclava enquanto os dois estavam quentes.

Salpiquei o pistache moído sobre a baclava, esfriei a bandeja e tive (dura) paciência até o dia seguinte. Na minha cabeça, coloquei xarope demais. As 11 pessoas que comeram a baclava, decidiram que não coloquei muito, porque não tem baclava muito melosa. Fique saudável.

Você pode gostar também

55 comentários

O daaa… baclava… Adi, sabe, desde que estou começando a fazer outra bandeja, sim, não tenho coragem, porque estou quebrando a balança de novo e depois terei que entrar no seu programa "de volta a '90", mal consigo evitar passar de 94.

Também farei St. Dumitru's, não posso comer mais do que dois e apenas uma vez por ano. Sempre achei muito difícil fazer, mas de acordo com a sua receita parece bem fácil

bom seu baclavaua .... mas, quando um cataif? Gosto mais, mas não tive coragem de começar, então se tiver que fazer, com detalhes, por favor, vamos pegar também ... um bom dia!

Tive a “honra” e a alegria - claro) - de estar entre os 11 “provadores” :)… O sabor pelo menos ficou em consonância com as imagens… Mas para ter certeza acho que seria preciso voltar para “consertar a lição "... degustação, claro ... :)))

Parece ótimo e a receita parece útil! Sendo de Dobrogea, cresci entre turcos e tártaros, e quando era criança minha família tinha uma amiga da família, uma turca, e ela sempre vinha e nos fazia baklava (tradicional, com lençóis feitos à mão, com iogurte!) E suberek de bife… a gente come como se partisse! Ainda me lembro como 2 bandejas de baclavale ficaram frias, em calda de limão, e como desapareceram em poucos dias. Desde então, como baclavale com prazer (assim como apenas aqueles que valem a pena) a qualquer hora, em qualquer quantidade. Obrigado e espero encontrar algum tempo no futuro próximo para experimentar a receita também, as únicas coisas que eu sinto falta agora são uma panela de cerâmica resistente ao calor e algum tempo ...

Oi!
Quantas folhas você usou? Quantas peças?
Esta noite eu também estou tentando, realmente parece fácil de fazer!
Boa sorte no futuro

você está certo quando diz "quase qualquer um" :))

Eu acho que tem um gosto ótimo, mas sem ofensa, como um xarope 1: 4 pode ser "muito doce"? Os turcos também fazem 2: 1. Ou é dieta baclava :)?

Assisti a um documentário sobre a Arte sobre como fazer chapas de "tijolo" na casa da mãe na Turquia. Há artesãos que têm aprendizes e só se tornam mestres depois de bons anos. O patrão tem um estatuto muito privilegiado e ganha algum dinheiro com este trabalho, por isso é um trabalho muito procurado. Mas não leve, a folha deve ser bem fina, semitransparente, é uma verdadeira arte.

Pra mim não existe réveillon sem baclava. Herdei essa tradição da minha mãe (ainda hoje faz 6 anos que ela não está mais comigo) que fazia ela mesma os lençóis. Esticá-los foi fffffffffffff difícil. Me desculpe Eu não aprendi toda a tecnologia (ele manteve a casca aberta sob uma panela quente, algo assim) e então ele estendeu uma folha fina de ffffff que ele simplesmente pegou em seus punhos e girou. No ar. De qualquer forma, os baclavais foram um sonho.E eu, uma ou duas vezes por ano, eles saem extraordinários, mas na minha mente eu tenho todo o gosto das baclavas da minha infância.
Já agora, receita e aprox. com o seu, só coloco mel na calda.

linda, sem chatear, o que é doce demais para você, pode ser doce demais para mim. não?
mona, vamos repetir :)
sanda, acho que existem soluções.)))
aurelia, é bom manter nossas memórias vivas, até com baclava. Na minha opinião:).
ana, felizmente temos soluções alternativas. claro que aprecio a arte dos mestres e sua habilidade, mas não é possível que todos nós sejamos como eles: :)
quadril, escrevi no post, dez folhas para cima, dez folhas para baixo. + -2.
mihai, na dobrogea comi baclavale ainda mais ao meu gosto do que na Turquia ou na Grécia :)
viviana, quando era a vez dela.
Maria, você tem que fazer isso, porque eu não estou nem um pouco molhada.
gabriel, se você parar por um ou dois pedaços e combinar com o movimento, você não estará em perigo.

Ai, meu noivo, querida, sempre anseia por suas receitas.Ele fica me mandando links para fazer para ele algumas dessas guloseimas. arata apetisant baclavaua. Vou experimentar a receita também. Estou pensando em usar manteiga de coco e xarope de agave. se eu comer um pedacinho, após o treino, não haverá fogo.

Amendoim, nozes, castanha de caju e pistache… ..
Bem, como o baclava bom pode não sair?
Eu acho que foi… louco….
Que gosto!

Olá,
Manteiga de ovelha também é encontrada em nosso país - nos mercados onde os camponeses com queijo vêm, você encomenda e eles não podem deixar de trazê-lo (sim, é mais caro). Só levo laticínios de camponeses (manteiga, creme de leite, leite - não levo mais nada do supermercado).
Em Bucareste, também encontrei manteiga de ovelha em uma loja com produtos árabes - era de 70 RON, um pote bem grande (não sei quanto estava no pote, mas claramente tinha mais de 1 kg).

Fiz baclavale várias vezes e quando coloquei calda gelada sobre a baclava acabada de tirar do forno saiu do sonho: a calda foi muito bem absorvida e nem ficou tão doce (comparada à mesma proporção, mas xarope quente sobre baclavale quente). Eu recomendo fortemente este método. E um segredo de uma avó grega: acrescentando pão ralado à noz (1/4 a mais do que a noz), a baclava "agarra-se" melhor.

O problema do baclavalele é que você não pode fazer pouco, então precisa da ajuda de amigos para provar isso!

Ramona, răzvan, obrigado pela informação :). Em Cluj não nos damos muito bem com as lojas árabes nem com os laticínios de ovelha.

Quando estou com fome, ligo para um amigo: Karakoy Gulluoglu!

Obrigado pela receita, a mistura de nozes, avelãs, pistache, castanha de caju, acho que dá um sabor especial.

Comi baclava feita por um turco em Constanta. Era muito, muito xaroposo em uma calda contendo rodelas de limão. Foi servido com calda e o limão correspondente. Sonhe como!

Outra dica para o baklava: sei que se corta com uma faca em quadradinhos (antes de colocar no forno) só até o recheio no meio. Deste modo, as folhas de cima são dobradas e dão-lhe o aspecto específico de baclava e o fundo permanece como um suporte mais fixo para o recheio. Depois de retirar do forno, corte e despeje a calda.

Eu não estava dizendo de forma crítica, eu uso folhas de pizza comerciais, estava dizendo para compartilhar informações com vocês, algo que achei interessante. Acho notável que uma antiga profissão tenha sido preservada nos tempos modernos e ainda traz dinheiro e status social para aqueles que a praticam. Muitos outros desapareceram e nos deixaram à mercê do óleo de palma e das gorduras hidrogenadas.

Em uma escala de 1 a 10, gosto de doces como este ... por um 3. Mas o baclava é buuuna demais. Só um pedaço ... depois outro: P

Parece excepcional! Aqui apenas os turcos cozinham o baklava. Onde eu moro, não há formas de torta sem margarina ou manteiga, e não sei como prepará-las. Você pode me dar algumas dicas? Mas sem fermento? Qual a espessura devem ser os lençóis?

Maria, não posso te dar a receita de massa folhada em um comentário. é um processo complexo que exige muito trabalho. aqueles com manteiga são ok, aqueles com margarina não. de qualquer maneira você tem que untá-los com alguma coisa antes de assar o bolo.

Você é grande, cara, eu venho te seguindo há muito tempo. Também sou ator e tenho uma queda especial por culinária e receitas, mas não sou tão criativo quanto você. Eu cozinho principalmente para refeições festivas, mas tenho uma coleção de mais de 2.000 receitas, coletadas de todos os tipos de fontes (cada receita especifica, abaixo, a origem, como me parece honesto). Se você quiser, eu lhe enviarei este possível livro de receitas sem quaisquer condições.

paul, obrigado pela intenção mas seria uma pena desistir de tal cobrança a meu favor :).

Você me convenceu, eu iria cometer "pecado". Principalmente porque não é muito difícil de comprometer, porque eu os tenho no meu computador, em arquivos separados, então um e-mail resolveria o problema. Além disso, é um livro quase estruturado, por capítulos, e há apenas um LIVRO DE RECEITAS (é verdade, o mais importante e consistente - 2.300 receitas). Você vai recebê-los como um presente para… SF PASTI 2012. adiamento motivado por certas correções. Mesmo se você for um especialista, você encontrará coisas lá que serão úteis para você e você certamente as usará de maneira mais inteligente do que eu. Boa sorte e, se não conversarmos mais, desejo que em 2012 todas as alegrias do mundo parem na sua casa e na sua alma.

[…] Acontece em 13? BIZ SMS Cluj estreia com uma noite de networking, num jantar preparado por Adi Hadean no restaurante […]

[…] Minha receita de baclava, adaptada de uma receita grega coletada em Corfu. Coloquei nele todas as nozes que encontrei na área e tornei-o menos doce. […]

Baclava… desde que eu também quero fazer, mas até agora tenho medo de que não funcione. Talvez eu tenha coragem de fazer o Reveillon.

Excelência, tirei do forno cerca de uma hora e desde então também tirei aos poucos, aos poucos ...
Espero que fique até amanhã - como você disse, deve ser comido no dia seguinte! Não se compara a nenhuma outra baclava que comi até agora. É doce, mas com um sabor azedo e cheio de sabores.

Acabei de descobrir o seu site e já fiz baclavale, receita maravilhosa. Infinitamente melhor do que qualquer coisa encontrada nas lojas.

Você deve saber que eu também fiz a baclava, mas ela voou sobre ela, então virei a calda nela, pode me dizer por quê?

super baclavaua só se saísse para mim também. para mim, todos os lençóis saíram depois de despejar a calda e ....... comecei a paparicar como se tudo tivesse sido comido de qualquer maneira. Por que os lençóis se soltaram mesmo se eu engraxou-os.

No baklava quando colocamos o xarope a composição não deve estar quente.Em frio deve estar quente.Isso se quisermos colocar o xarope quente a composição deve estar fria.a baclava sai um pouco mais crocante.

Receita muito boa… Ainda não tive coragem de tentar fazer um baklava, mas com certeza vou experimentar esta receita sua!

[…] Curioso, fiz uma baclava - a melhor, mais doce e mais farta das nozes de baclava, segundo receita do blog da Adi […]

Aqui está minha receita http://foodquicklygood.blogspot.fr/2012/03/baklava.html
Descobri que não é preciso colocar o recheio entre as folhas, apenas no meio. Foi assim que consegui me aproximar um pouco mais do autêntico turco, mas vamos falar sério, por mais que tentemos, um baklava da Turquia tem um sabor diferente, com certeza :)

10 coisas para saber sobre… Baclava
A baclava é uma sobremesa reconhecida como especificamente turca, mas poucos conhecem sua história. Sabe-se que se você quiser comprar algo assim, é aconselhável ir a uma loja ou confeitaria turca, mas escolha o correio para preparar algo bem doce. Aqui estão dez coisas sobre o baclava e sua história.
É uma sobremesa muito doce à base de mel, popular em áreas sob o domínio do Império Otomano, na Ásia, e em áreas próximas, sendo reconhecida como uma sobremesa turca específica.
A baclava é encontrada na Arábia, Irã, Cáucaso, Afeganistão e Ásia Central.
Embora o início desta sobremesa seja incerto, provavelmente foi criado na cozinha imperial do Palácio de Topkapi.
Outras teorias afirmam que o baclava veio da Assíria, sendo concebido na Mesopotâmia, e é mencionado em um livro de receitas.
Uma velha receita de baclava também é encontrada em um livro de receitas escrito em 1330 durante a dinastia Yuan.
Na Turquia, a cidade de Gaziantep é famosa pelo seu baclava, embora pareça que esta receita veio de Damasco apenas em 1871.
Em 2008, os turcos patentearam o nome "Antep Baklava".
Na Bósnia e Herzegovina, a receita tem muito nozes e mel. Os bósnios consomem baclava apenas em ocasiões especiais, muitas vezes durante o Ramadã.
No Irã, há uma versão mais seca de baclava, que é cortada em diamantes menores e aromatizada com água de rosas.
No Afeganistão, o baclava é cortado em pequenos triângulos e coberto com pistache moído.


Primeiro preparei a calda:

Coloquei água e açúcar no fogo por 20 minutos, quando se formou uma calda que começou a grudar, espremi meio limão e adicionei o suco à calda.

Deixei ferver por mais 5 minutos, depois desliguei o fogo. Quando a calda esfriou, acrescentei mel.

Aí preparei o recheio de noz, deixei alguns minutos no forno quente para obter um aroma mais agradável (claro que este procedimento é opcional!), Moí finamente e sobre eles acrescentei canela, noz-moscada e os 50 gramas de açúcar. Depois derreti a manteiga, abri o primeiro pacote de folhas, untei uma bandeja funda com manteiga e depois comecei a colocar as folhas nela, com a ajuda de uma escova de cozinha espalhei manteiga derretida na superfície de cada folha de torta . Espalhei 10 folhas de torta (formaram a base da baclavala, esse é um dos segredos, ter várias folhas na base), seguidas da primeira camada de nozes moídas, outras 6 folhas untadas com manteiga, novamente nozes moídas , Mais 6 folhas do segundo pacote de folhas, noz novamente.
Seguiu-se a última camada de 4 folhas untadas com manteiga, insistindo com mais manteiga na última folha, mais uma vez um segredo bem conhecido, não mais que 4 folhas na última camada!
Deixei o baklava assim formado na geladeira por 40 minutos, depois cortei em quadradinhos, despejei o restante da manteiga derretida nas bordas cortadas de cada quadradinho, assim as folhas internas não secam quando assadas, aí coloco ao forno quente por 30 minutos, ficou com uma cor dourada muito bonita.
Despejei o molho formado anteriormente e resfriei sobre a baclava quente. Cobri a baclava com uma toalha limpa e levemente úmida e deixei assim até esfriar completamente, depois na geladeira, seria melhor deixar durante a noite.


Primeiro preparei a calda:

Coloquei água e açúcar no fogo por 20 minutos, quando se formou uma calda que começou a grudar, espremi meio limão e adicionei o suco à calda.

Deixei ferver por mais 5 minutos, depois desliguei o fogo. Quando a calda esfriou, acrescentei mel.

Aí preparei o recheio de noz, deixei alguns minutos no forno quente para ficar com um aroma mais gostoso (claro que esse procedimento é opcional!), Moí finamente e sobre eles acrescentei canela, noz-moscada e os 50 gramas de açúcar. Depois derreti a manteiga, abri o primeiro pacote de folhas, untei uma bandeja funda com manteiga e depois comecei a colocar as folhas nela, com a ajuda de uma escova de cozinha espalhei manteiga derretida na superfície de cada folha de torta . Espalhei 10 folhas de torta (formaram a base da baclavala, esse é um dos segredos, ter várias folhas na base), seguidas da primeira camada de nozes moídas, outras 6 folhas untadas com manteiga, novamente nozes moídas , Mais 6 folhas do segundo pacote de folhas, noz novamente.
Seguiu-se a última camada de 4 folhas untadas com manteiga, insistindo com mais manteiga na última folha, mais uma vez um segredo bem conhecido, não mais que 4 folhas na última camada!
Deixei o baklava assim formado na geladeira por 40 minutos, depois cortei em quadradinhos, despejei o restante da manteiga derretida nas bordas cortadas de cada quadradinho, assim as folhas internas não secam quando assadas, aí coloco ao forno quente por 30 minutos, ficou com uma cor dourada muito bonita.
Despejei o molho formado anteriormente e resfriei sobre a baclava quente. Cobri a baclava com uma toalha limpa e levemente úmida e deixei assim até esfriar completamente, depois na geladeira, seria melhor deixar durante a noite.


Bolo Baklava com pistache e mel

ingredientes:

500g de folhas de torta do comércio
150g de manteiga derretida
250g de nozes dadas de carro
250 pistache triturado
50g pesmet fin
250g de tosse velha
uma ponta de cravo amassado

Xarope:
250g de açucar
3 colheres de sopa de mel
casca ralada e suco de laranja
sementes de baunilha
2 copos de água

Método de preparação:

Para começar, unte uma bandeja com manteiga e coloque as formas de torta, polvilhando cada uma com manteiga. Depois de colocar metade das folhas, espalhe uma camada generosa de nozes, pistache, pão ralado, açúcar e cravo na bandeja. Cubra a mistura com o resto das folhas e certifique-se de mimar com manteiga, uma a uma. Com uma faca embebida em manteiga derretida, corte o bolo em diamantes, despejando o molho de manteiga entre o baclavale.

Leve o tabuleiro ao forno, em lume brando, e quando começar a dourar retire um pouco e regue com a calda de açúcar, mel, sumo e casca de laranja ralada e água. por bolo de baclava volte ao forno e deixe até que toda a calda seja absorvida.

Receita do baklava É mais simples do que você pensava, não é?


Primeiro preparei a calda:

Coloquei água e açúcar no fogo por 20 minutos, quando se formou uma calda que começou a grudar, espremi meio limão e adicionei o suco à calda.

Deixei ferver por mais 5 minutos, depois desliguei o fogo. Quando a calda esfriou, acrescentei mel.

Aí preparei o recheio de noz, deixei alguns minutos no forno quente para ficar com um aroma mais agradável (claro que esse procedimento é opcional!), Moí finamente e sobre eles acrescentei canela, noz-moscada e os 50 gramas de açúcar. Depois derreti a manteiga, abri o primeiro pacote de folhas, untei uma bandeja funda com manteiga e depois comecei a colocar as folhas nela, com a ajuda de uma escova de cozinha espalhei manteiga derretida na superfície de cada folha de torta . Espalhei 10 folhas de torta (formaram a base da baclavala, esse é um dos segredos, ter várias folhas na base), seguidas da primeira camada de nozes moídas, outras 6 folhas untadas com manteiga, novamente nozes moídas , Mais 6 folhas do segundo pacote de folhas, noz novamente.
Seguiu-se a última camada de 4 folhas untadas com manteiga, insistindo com mais manteiga na última folha, mais uma vez um segredo bem conhecido, não mais que 4 folhas na última camada!
Deixei o baklava assim formado na geladeira por 40 minutos, depois cortei em quadradinhos, despejei o restante da manteiga derretida nas bordas cortadas de cada quadradinho, assim as folhas internas não secam quando assadas, aí coloco ao forno quente por 30 minutos, ficou com uma cor dourada muito bonita.
Despejei o molho formado anteriormente e resfriei sobre a baclava quente. Cobri a baclava com uma toalha limpa e levemente úmida e deixei assim até esfriar completamente, depois na geladeira, seria melhor deixar durante a noite.


Primeiro preparei a calda:

Coloquei água e açúcar no fogo por 20 minutos, quando se formou uma calda que começou a grudar, espremi meio limão e adicionei o suco à calda.

Deixei ferver por mais 5 minutos, depois desliguei o fogo. Quando a calda esfriou, acrescentei mel.

Aí preparei o recheio de noz, deixei alguns minutos no forno quente para ficar com um aroma mais agradável (claro que esse procedimento é opcional!), Moí finamente e sobre eles acrescentei canela, noz-moscada e os 50 gramas de açúcar. Depois derreti a manteiga, abri o primeiro pacote de folhas, untei uma bandeja funda com manteiga e depois comecei a colocar as folhas nela, com a ajuda de uma escova de cozinha espalhei manteiga derretida na superfície de cada folha de torta . Espalhei 10 folhas de torta (formaram a base da baclavala, esse é um dos segredos, ter várias folhas na base), seguidas da primeira camada de nozes moídas, outras 6 folhas untadas com manteiga, novamente nozes moídas , Mais 6 folhas do segundo pacote de folhas, noz novamente.
Seguiu-se a última camada de 4 folhas untadas com manteiga, insistindo com mais manteiga na última folha, mais uma vez um segredo bem conhecido, não mais que 4 folhas na última camada!
Deixei o baklava assim formado na geladeira por 40 minutos, depois cortei em quadradinhos, despejei o restante da manteiga derretida nas bordas cortadas de cada quadradinho, assim as folhas internas não secam quando assadas, aí coloco ao forno quente por 30 minutos, ficou com uma cor dourada muito bonita.
Despejei o molho formado anteriormente e resfriei sobre a baclava quente. Cobri a baclava com uma toalha limpa e levemente úmida e deixei assim até esfriar completamente, depois na geladeira, seria melhor deixar durante a noite.


Primeiro preparei a calda:

Coloquei água e açúcar no fogo por 20 minutos, quando se formou uma calda que começou a grudar, espremi meio limão e adicionei o suco à calda.

Deixei ferver por mais 5 minutos, depois desliguei o fogo. Quando a calda esfriou, acrescentei mel.

Aí preparei o recheio de noz, deixei alguns minutos no forno quente para ficar com um aroma mais agradável (claro que esse procedimento é opcional!), Moí finamente e sobre eles acrescentei canela, noz-moscada e os 50 gramas de açúcar. Depois derreti a manteiga, abri o primeiro pacote de folhas, untei uma bandeja funda com manteiga e depois comecei a colocar as folhas nela, com a ajuda de uma escova de cozinha espalhei manteiga derretida na superfície de cada folha de torta . Espalhei 10 folhas de torta (formaram a base da baclavala, esse é um dos segredos, ter várias folhas na base), seguidas da primeira camada de nozes moídas, outras 6 folhas untadas com manteiga, novamente nozes moídas , Mais 6 folhas do segundo pacote de folhas, noz novamente.
Seguiu-se a última camada de 4 folhas untadas com manteiga, insistindo com mais manteiga na última folha, mais uma vez um segredo bem conhecido, não mais que 4 folhas na última camada!
Deixei o baklava assim formado na geladeira por 40 minutos, depois cortei em quadradinhos, despejei o restante da manteiga derretida nas bordas cortadas de cada quadradinho, assim as folhas internas não secam quando assadas, aí coloco ao forno quente por 30 minutos, ficou com uma cor dourada muito bonita.
Despejei o molho formado anteriormente e resfriei sobre a baclava quente. Cobri a baclava com uma toalha limpa e levemente úmida e deixei assim até esfriar completamente, depois na geladeira, seria melhor deixar durante a noite.


Primeiro preparei a calda:

Coloquei água e açúcar no fogo por 20 minutos, quando se formou uma calda que começou a grudar, espremi meio limão e adicionei o suco à calda.

Deixei ferver por mais 5 minutos, depois desliguei o fogo. Quando a calda esfriou, acrescentei mel.

Aí preparei o recheio de noz, deixei alguns minutos no forno quente para ficar com um aroma mais agradável (claro que esse procedimento é opcional!), Moí finamente e sobre eles acrescentei canela, noz-moscada e os 50 gramas de açúcar. Depois derreti a manteiga, abri o primeiro pacote de folhas, untei uma bandeja funda com manteiga e depois comecei a colocar as folhas nela, com a ajuda de uma escova de cozinha espalhei manteiga derretida na superfície de cada folha de torta . Espalhei 10 folhas de torta (formaram a base da baclavala, esse é um dos segredos, ter várias folhas na base), seguidas da primeira camada de nozes moídas, outras 6 folhas untadas com manteiga, novamente nozes moídas , Mais 6 folhas do segundo pacote de folhas, noz novamente.
Seguiu-se a última camada de 4 folhas untadas com manteiga, insistindo com mais manteiga na última folha, mais uma vez um segredo bem conhecido, não mais que 4 folhas na última camada!
Deixei o baklava assim formado na geladeira por 40 minutos, depois cortei em quadradinhos, despejei o restante da manteiga derretida nas bordas cortadas de cada quadradinho, assim as folhas internas não secam quando assadas, aí coloco ao forno quente por 30 minutos, ficou com uma cor dourada muito bonita.
Despejei o molho formado anteriormente e resfriei sobre a baclava quente. Cobri a baclava com uma toalha limpa e levemente úmida e deixei assim até esfriar completamente, depois na geladeira, seria melhor deixar durante a noite.


Ingredientes

  1. Pré-aqueça o forno a 180º. Macina nuca si amestec-o cu zaharul, coaja de portocala, untul topit, coaja de lamaie, scortisoara si praful de sare.
  2. Alege o tava care sa corespunda dimensiunilor unei jumatati de foaie de placinta, apoi taie foile de placinta in doua jumatati, pe lungime.
  3. Asaza 6 foi de placinta in tava, una peste alta, ungand-o din abundenta pe fiecare in parte cu untul topit inainte de a suprapune o a doua.
  4. Intinde 1/4 din compozitie peste foi, apoi asaza 4 foi de placinta peste umplutura, ungandu-le la fel pe fiecare in parte cu untul topit. Continua asamblarea desertului cu 1/4 nuca, alte 4 foi unse individual, 1/4 nuca, 4 foi, alt strat de nuca, iar dupa ce ai terminat umplutura, ar trebui sa mai ai 6 foi ramase, pe care trebuie sa le asezi in acelasi mod.
  5. Practic, dupa ce ai terminat de asamblat prajitura, straturile desertului ar trebui sa fie urmatoarele: 6 foi, nuca, 4 foi, nuca, 4 foi, nuca, 4 foi, nuca si in final, 6 foi de placinta. Cu alte cuvinte, 2 straturi de cate 6 foi de placinta, 3 straturi de cate 4 foi si 4 straturi de nuca intre ele.
  6. Unge baclavaua cu unt deasupra, tai-o pe lungime, apoi taie randurile sectionate pe diagonala, incat sa obtii romburi. Da prajitura la cuptor pentru

35-40 de minute, sau pana cand devine aurie.

  • In rastimp, prepara siropul, amestecand toate ingredientele intr-o cratita mica, la foc mic. Cand zaharul s-a topit, iar siropul e omogen, da-l imediat de pe foc. Cand baclavaua iese de la cuptor, “stinge-o” cu sirop si las-o sa se odihneasca pentru minim 5 ore inainte de a o servi.