Receitas de coquetéis, destilados e bares locais

15 Melhores Restaurantes Tex-Mex da América (apresentação de slides)

15 Melhores Restaurantes Tex-Mex da América (apresentação de slides)

Tacos, burritos e enchiladas em abundância

15) Cantina de Pappasito

Como posto avançado Tex-Mex dos Restaurantes Pappas, o Pappasito's faz justiça a essa culinária. De acordo com seu site, mais de 3,5 milhões de libras de chips de tortilha são servidos nas lojas da rede a cada ano. Santo guacamole! E por falar em guacamole, o Pappasito's é preparado ao lado da mesa com abacate fresco, tomate, cebola, jalapeños e suco de limão. O que começou como uma empresa familiar de restaurantes em 1976 cresceu para incluir outras culinárias, como grega, carnes e frutos do mar. A Pappasito's permanece fiel às suas raízes, com a maioria de suas localizações no Texas.

14) Taco Cabana

Desde seu início em Alamo City, Texas, em 1978, a Taco Cabana percorreu um longo caminho com mais de 160 locais próximos e ao redor do Texas. O restaurante foi originalmente planejado para ser um lugar casual para sair. Agora que se expandiu, a culinária Tex-Mex é um sucesso. Não há nada melhor do que sentar no pátio do Taco Cabana para conversar com os amigos. Peça o Cabana Sampler, que inclui favoritos como enchiladas de queijo, tacos crocantes, flautas de frango e guacamole servido com arroz, feijão e tortilhas de farinha. A conversa com os amigos nunca vai acabar.

13) El Torito

A franquia com sede na Califórnia foi inaugurada em 1954 e continua a servir um gostinho do México com um toque moderno. O Street Taco Trio é um dos preferidos, com opções de peito de frango adobo, bife de adobo ou halibute grelhado e servido com feijão e arroz. Ou para um sabor mais ousado, o pasilla chile relleno assado no fogo vai deixar sua boca em chamas com a pimenta malagueta pasilla.

12) Chili's

Embora o Chili's seja conhecido hoje por suas fajitas escaldantes, hambúrgueres premium e costelinhas, o restaurante foi inicialmente inspirado por um chili cook-off. O fundador Larry Lavine compareceu a um churrasco em Terlingua, Texas, e então decidiu abrir um restaurante em Dallas, em 1975, que servia hambúrgueres, tacos e chili. Mais de 1.200 locais depois, o Chili's se expandiu para 24 países e ampliou seu menu para incluir os favoritos americanos, como o sanduíche de cheesesteak Philly e Chicken Crispers.

11) Del Taco

Quando esta casa de tacos abriu em 1964 em Yermo, Califórnia, servia hambúrgueres por US $ 0,24 e tacos, tostadas e batatas fritas por US $ 0,19. Avance até os dias de hoje e, embora os preços sejam diferentes, esses itens e muito mais fazem com que os clientes voltem. Existem tacos ao estilo americano, como o taco de peixe empanado com cerveja, ou opções mais tradicionais, como o tacos ao carbono com carne assada ou frango, coentro e cebola em uma tortilha de milho. Existem até opções de café da manhã, como burritos no café da manhã, para satisfazer aquele desejo Tex-Mex no início do dia.

10) Chuy's

O Chuy’s surgiu pela primeira vez em 1982, quando Mike Young e John Zapp queriam transformar um prédio abandonado em um restaurante em Austin, Texas. Quando foi inaugurado, o restaurante estava degradado, com ladrilhos multicoloridos, um estacionamento de terra, um banheiro externo e os únicos adornos nas paredes eram pinturas de veludo de Stevie Wonder e Elvis Presley. Embora a decoração tenha mudado, uma coisa que permaneceu consistente ao longo de todos esses anos foi a culinária do sul do Texas, do Novo México e da culinária mexicana regional. Alguns dos itens populares de Chuy incluem o chile relleno, que é uma pimenta Anaheim assada no fogo recheada com queijo, lombo moído, frango e queijo ou camarão e queijo. Há também o Elvis Green Chile Fried Chicken, que é empanado com batata frita Lay's e servido com molho de pimenta verde e queijo Cheddar.

9) Chevys Fresh Mex

Como a segunda maior franquia Tex-Mex na Califórnia, Chevys promete que toda a sua comida foi feita do zero. Fundada em 1986 em Alameda, Califórnia, as refeições nessa rede de restaurantes são projetadas para lembrar a experiência de jantar em uma cantina ou café de uma cidade fronteiriça no México. Um dos melhores pratos são as fajitas escaldantes com frango, bife, camarão, cogumelos portobello ou carnitas de porco. A melhor parte da experiência gastronómica, no entanto, é o fabricante de tortilhas da Chevys, apelidado de El Machino. Observe sua tortilla sendo feita nesta máquina, o que só adiciona frescor e diversão na Chevy.

8) Tacos de Peixe Wahoo

Três irmãos fundaram esta rede em 1988, inspirando-se em várias culturas ao redor do mundo. Wing, Ed e Mingo combinaram seu amor pelo surf com uma mistura de sabores mexicanos, brasileiros, havaianos e asiáticos para criar o menu. Empresas de surfe doaram adesivos e adornos para o primeiro posto avançado, inaugurado em Orange County, Califórnia. Existem mais de 50 locais hoje, com o item de menu mais popular sendo seus Citrus Slaw Tacos com peixe (é claro).

7) El Pollo Loco

Ao contrário de um restaurante típico Tex-Mex, El Pollo Loco começou em Guasave, México, como uma barraca de frango à beira da estrada em 1975. O primeiro restaurante americano foi inaugurado em 1980 em Los Angeles. Em inglês, "El Pollo Loco" significa "The Crazy Chicken", que é a especialidade desta rede. O frango é marinado em ervas, sucos cítricos e temperos e, em seguida, grelhado no fogo. Servido em burritos, saladas e como entrada, o frango do El Pollo Loco faz os clientes voltarem sempre.

6) Taco Bell

Este é o maior e mais conhecido de todos os restaurantes da rede Tex-Mex. Um ex-fuzileiro naval chamado Glen Bell criou o conceito de Taco Bell em San Bernardino, Califórnia, quando abriu uma barraca de cachorro-quente, mas percebeu que o verdadeiro interesse estava nos itens alternativos do menu, os tacos. Existem mais de 4.600 franquias da Taco Bell em todo o mundo hoje. De Crunchwrap Supremes a Chalupas, a Taco Bell criou alguns Tex-Mex inovadores. Mas, aquele que tomou o mundo de assalto é o Doritos Locos Taco, com mais de US $ 1 bilhão dessas joias vendidas. O taco genial é feito de carne moída, alface e queijo recheado em uma casca crocante de taco temperada com Doritos.

5) Na Fronteira

Este restaurante simboliza a cultura Tex-Mex com seu nome e começou em 1986 em Dallas. Todos os pratos são inspirados nos sabores do México e do sul do Texas, com itens como flautas de frango, tacos de frango com achiote, guacamole caseiro e tortilhas feitas à mão. A rede que originalmente se baseava em fajitas e margaritas escaldantes agora tem mais de 160 locais e serve uma grande variedade da verdadeira cozinha Tex-Mex.

4) Moe's Southwest Grill

Conhecido por seus nomes de menu malucos e ingredientes de alta qualidade, o Moe's é ótimo em todos os lugares. Eles prometem frango sem gaiola, porco alimentado com grãos e sem esteróides, bife alimentado com capim e tofu orgânico. Além disso, não há microondas, gorduras trans ou MSG. É algo para ficar feliz quando você dá uma mordida em seu Homewrecker Burrito, com arroz, feijão, queijo, pico de gallo, alface, creme de leite, guacamole e sua escolha de carne. Ou experimente os tacos Funk Meister. Tem quase os mesmos ingredientes do burrito, mas é servido com farinha ou tortilha de milho crocante. Moe's existe desde 2000, quando a primeira loja foi inaugurada em Atlanta. Agora, com mais de 460 locais em todo o mundo, a peculiaridade e a boa comida de Moe continuam a ser compartilhadas.

3) Qdoba Mexican Gril

Esta churrascaria mexicana foi inaugurada em 1995 em Denver com um nome diferente. Qdoba costumava ser chamado de Zuma, então Z-TECA Mexican Grill. Mas como esses nomes eram muito semelhantes a outros restaurantes, o fundador Anthony Miller e o sócio Robert Hauser escolheram o nome Qdoba. Existem mais de 600 locais hoje e a rede é mais conhecida por seus burritos no estilo Mission, um conceito de San Francisco. Esses são burritos personalizáveis ​​com opções como chili assado de milho, carne desfiada, fajita de vegetais, molho de churrasco com chile ancho e queso com três queijos. Curiosidade: o pessoal da Qdoba precisou de 47 tentativas para criar a mistura perfeita do queso de três queijos.

2) Baja Fresh

Esta rede com sede na Califórnia foi inaugurada em 1990 e, como o nome sugere, enfatiza ingredientes frescos. Tudo é feito à mão e não processado. Você nunca verá um abridor de latas, micro-ondas, banha, MSG ou freezers em qualquer um dos mais de 200 locais da Baja Fresh. Experimente o Baja Bowl recheado com arroz, feijão, vegetais assados, cebola, coentro, salsa verde e uma escolha de frango, carnitas de porco, bife, peixe ono pescado à linha ou camarão grelhado. Ou experimente um de seus burritos premium.

1) Chipotle

O fundador Steve Ells sabia que queria criar um restaurante com ingredientes frescos e acessíveis quando abriu o primeiro Chipotle em Denver em 1993. O que ele não percebeu foi o quão grande e bem-sucedido seria, com mais de 1.500 locais em quatro países . No final dos anos 90 e início dos anos 2000, Ells fez uma grande mudança que revolucionou a empresa: ele garantiu que toda carne de porco e frango usados ​​fossem criados naturalmente. Eventualmente, isso levou a nenhuma gordura trans no menu, ao uso de carne criada naturalmente e muito mais. Hoje, Ells lidera um grande esforço para pressionar para que a carne e os produtos sejam criados de forma responsável. E se isso não bastasse, Chipotle é delicioso. Eles são famosos por seus burritos, tigelas de burrito e guacamole. A comida é fresca e saborosa, mas o melhor é que você sabe de onde vieram todos os ingredientes da sua refeição.


As 18 melhores franquias de restaurantes mexicanos de 2021 (classificações atualizadas)

A comida mexicana é muito popular, especialmente nos Estados Unidos, onde é o segundo estilo internacional com maior classificação, depois da italiana. É também o segundo tipo de menu mais comum, depois dos hambúrgueres, e representa 8% da indústria nacional de restaurantes, com 55.755 restaurantes.

A indústria de restaurantes mexicanos dos EUA, portanto, teve um bom crescimento na maior parte da última década, atingindo um tamanho de mercado de cerca de US $ 65 bilhões em 2019. Ele cresceu mais rápido do que o setor de bens de consumo e serviços em geral. As franquias dominam este mercado, com a Taco Bell tendo duas vezes e meia mais restaurantes do que seu concorrente não franqueado mais próximo em 2018, e a Qdoba e a Moe's ocupando o terceiro e quarto lugar na lista das redes mais extensas.

Há um bom dinheiro no negócio mexicano. Mais da metade dos restaurantes mexicanos têm vendas anuais médias de US $ 500.000 a US $ 1 milhão. Seu lugar na indústria de fast food significa que isso geralmente é alcançado por meio de margens baixas e vendas altas.

A comida mexicana cobre uma variedade cada vez maior de restaurantes, desde a cozinha tradicional até a de fusão e a nova mexicana, de barracas de taco à beira da estrada a restaurantes com assentos. Embora na maioria das vezes combinada com produtos básicos do sul americano para formar o Tex-Mex, a comida mexicana está cada vez mais se misturando com outras cozinhas para criar novos sabores ousados, como o mexicano-californiano e o mexicano-coreano.

Este é um estilo de comida que vai bem com um modelo de refeição franqueada. Dos 58% dos restaurantes mexicanos que eram restaurantes de serviço completo em 2017, 97% eram restaurantes casuais ou de estilo familiar. Dos 42% que ofereciam serviço limitado, 52% faziam parte de uma rede de restaurantes. Este é um estilo de jantar descontraído, acessível e frequentemente associado a uma marca conhecida e difundida - perfeito para uma franquia.

Parte do apelo da comida mexicana é o menu amplo e variado. Embora alguns restaurantes sejam conhecidos por um prato específico, como burritos ou tacos, a maioria serve uma variedade de estilos e recheios. É fácil fornecer uma opção vegetariana com recheio de vegetais picantes em vez de carne, e torná-lo vegan deixando de fora os laticínios. Salsas, molhos e chili extra apimentam os pratos e criam muitas opções com uma variedade de sabores. É uma experiência gastronômica que pode atender a todos os tipos de paladares e necessidades dietéticas, tornando-se facilmente adaptável ao mercado moderno.

A outra vantagem importante da comida mexicana é que ela é relativamente barata. Isso ajudou a impulsionar sua popularidade e proporcionar negócios recorrentes. Ele também fornece alguma proteção contra tempos economicamente desafiadores, quando as pessoas procuram comida caseira barata.

Como muitos restaurantes, os restaurantes mexicanos sofreram o impacto do COVID-19. O tamanho do mercado dos EUA caiu cerca de 12,3% em 2020, para US $ 54,6 bilhões, seu ponto mais baixo desde 2015. Isso levou a perdas significativas para a indústria na América e além, incluindo a falência da rede Rubio's e o fechamento de uma terceiro das lojas Wahaca no Reino Unido. Como os elementos separados costumam ser montados imediatamente antes de comer, a comida mexicana não é tradicionalmente tão voltada para o take-away quanto os concorrentes como a pizza, e isso a torna mais vulnerável aos desafios de um mundo fechado.

Felizmente, os ajustes à nova situação permitiram que os restaurantes se adaptassem. Um maior foco na entrega e take away de comida permitiu que os restaurantes continuassem a funcionar enquanto não podiam receber clientes sentados e proporcionou a esses clientes um sentido de normalidade muito necessário. À medida que as vacinas são lançadas em 2021, o business as usual deve começar a retornar e, embora os impactos econômicos da pandemia provavelmente sejam sentidos por um longo tempo, o preço relativamente baixo da comida mexicana deve significar que esses restaurantes têm um desempenho melhor do que muitos outros durante uma recessão.

O padrão de recuperação no setor de restaurantes apresenta notícias particularmente boas para as franquias. Grandes redes parecem estar se recuperando melhor do que restaurantes independentes. Seja o reconhecimento da marca, a fidelidade do cliente ou as estruturas de suporte disponíveis, fazer parte de uma marca reconhecida é uma vantagem para resistir à tempestade COVID. À medida que a economia se recupera e as pessoas têm dinheiro para comer fora mais, as franquias também estarão em uma boa posição para preencher as lacunas que outras empresas fecharam.

As tendências de longo prazo também darão combustível às franquias de restaurantes mexicanos. As populações de imigrantes desempenharam um grande papel na popularização da comida mexicana e no fornecimento à indústria de uma base sólida de clientes nos Estados Unidos. Apesar das recentes medidas anti-imigrantes, prevê-se que o número de imigrantes aumente em 2020, criando oportunidades para a indústria. À medida que a população americana cresce em tamanho e diversidade, o mesmo ocorre com a indústria de restaurantes mexicana.


As 18 melhores franquias de restaurantes mexicanos de 2021 (classificações atualizadas)

A comida mexicana é muito popular, especialmente nos Estados Unidos, onde é o segundo estilo internacional com maior classificação, depois da italiana. É também o segundo tipo de menu mais comum, depois dos hambúrgueres, e representa 8% da indústria nacional de restaurantes, com 55.755 restaurantes.

A indústria de restaurantes mexicanos dos Estados Unidos, portanto, teve um bom crescimento na maior parte da última década, atingindo um tamanho de mercado de cerca de US $ 65 bilhões em 2019. Ele cresceu mais rápido do que o setor de bens de consumo e serviços em geral. As franquias dominam este mercado, com a Taco Bell tendo duas vezes e meia mais restaurantes do que seu concorrente não franqueado mais próximo em 2018, e a Qdoba e a Moe's ocupando o terceiro e quarto lugar na lista das redes mais extensas.

Há um bom dinheiro no negócio mexicano. Mais da metade dos restaurantes mexicanos têm vendas anuais médias de US $ 500.000 a US $ 1 milhão. Seu lugar na indústria de fast food significa que isso geralmente é alcançado por meio de margens baixas e vendas altas.

A comida mexicana cobre uma variedade cada vez maior de restaurantes, desde a tradicional à culinária de fusão até a nova mexicana, de barracas de taco à beira da estrada a restaurantes com assentos. Embora na maioria das vezes combinada com produtos básicos do sul americano para formar o Tex-Mex, a comida mexicana está cada vez mais se misturando com outras cozinhas para criar novos sabores ousados, como o mexicano-californiano e o mexicano-coreano.

Este é um estilo de comida que vai bem com um modelo de jantar franqueado. Dos 58% dos restaurantes mexicanos que eram restaurantes de serviço completo em 2017, 97% eram restaurantes casuais ou familiares. Dos 42% que ofereciam serviço limitado, 52% faziam parte de uma rede de restaurantes. Este é um estilo de jantar descontraído, acessível e muitas vezes associado a uma marca conhecida e difundida - perfeito para uma franquia.

Parte do apelo da comida mexicana é o menu amplo e variado. Embora alguns restaurantes sejam conhecidos por um prato específico, como burritos ou tacos, a maioria serve uma variedade de estilos e recheios. É fácil fornecer uma opção vegetariana com recheio de vegetais picantes em vez de carne, e torná-lo vegan deixando de fora os laticínios. Salsas, molhos e chili extra apimentam os pratos e criam muitas opções com uma variedade de sabores. É uma experiência gastronômica que pode atender a todos os tipos de paladares e necessidades dietéticas, tornando-se facilmente adaptável ao mercado moderno.

A outra vantagem importante da comida mexicana é que ela é relativamente barata. Isso ajudou a impulsionar sua popularidade e proporcionar negócios recorrentes. Ele também fornece alguma proteção contra tempos economicamente desafiadores, quando as pessoas procuram comida caseira barata.

Como muitos restaurantes, os restaurantes mexicanos sofreram o impacto do COVID-19. O tamanho do mercado dos EUA caiu cerca de 12,3% em 2020, para US $ 54,6 bilhões, seu ponto mais baixo desde 2015. Isso levou a perdas significativas para a indústria na América e além, incluindo a falência da rede Rubio's e o fechamento de uma rede. terceiro das lojas Wahaca no Reino Unido. Como os elementos separados costumam ser montados imediatamente antes de comer, a comida mexicana não é tradicionalmente tão voltada para o take-away quanto os concorrentes como a pizza, e isso a torna mais vulnerável aos desafios de um mundo fechado.

Felizmente, os ajustes à nova situação permitiram que os restaurantes se adaptassem. Um maior foco na entrega e take away de comida permitiu que os restaurantes continuassem em atividade enquanto não podiam receber clientes sentados, e forneceu a esses clientes um senso de normalidade muito necessário. À medida que as vacinas são lançadas em 2021, o business as usual deve começar a retornar e, embora os impactos econômicos da pandemia provavelmente sejam sentidos por um longo tempo, o preço relativamente baixo da comida mexicana deve significar que esses restaurantes têm um desempenho melhor do que muitos outros durante uma recessão.

O padrão de recuperação no setor de restaurantes apresenta notícias particularmente boas para as franquias. Grandes redes parecem estar se recuperando melhor do que restaurantes independentes. Seja o reconhecimento da marca, a fidelidade do cliente ou as estruturas de suporte disponíveis, fazer parte de uma marca reconhecida é uma vantagem para resistir à tempestade COVID. À medida que a economia se recupera e as pessoas têm dinheiro para comer mais fora, as franquias também estarão em uma boa posição para preencher as lacunas que outras empresas fecharam.

As tendências de longo prazo também darão combustível às franquias de restaurantes mexicanos. As populações de imigrantes desempenharam um grande papel na popularização da comida mexicana e no fornecimento à indústria de uma base sólida de clientes nos Estados Unidos. Apesar das recentes medidas anti-imigrantes, prevê-se que o número de imigrantes aumente em 2020, criando oportunidades para a indústria. À medida que a população americana cresce em tamanho e diversidade, o mesmo ocorre com a indústria de restaurantes mexicana.


As 18 melhores franquias de restaurantes mexicanos de 2021 (classificações atualizadas)

A comida mexicana é muito popular, especialmente nos Estados Unidos, onde é o segundo estilo internacional com maior classificação, depois da italiana. É também o segundo tipo de menu mais comum, depois dos hambúrgueres, e representa 8% da indústria nacional de restaurantes, com 55.755 restaurantes.

A indústria de restaurantes mexicanos dos Estados Unidos, portanto, teve um bom crescimento na maior parte da última década, atingindo um tamanho de mercado de cerca de US $ 65 bilhões em 2019. Ele cresceu mais rápido do que o setor de bens de consumo e serviços em geral. As franquias dominam este mercado, com a Taco Bell tendo duas vezes e meia mais restaurantes que seu concorrente não franqueado mais próximo em 2018, e a Qdoba e a Moe's ocupando o terceiro e quarto lugar na lista das redes mais extensas.

Há um bom dinheiro no negócio mexicano. Mais da metade dos restaurantes mexicanos têm vendas anuais médias de US $ 500.000 a US $ 1 milhão. Seu lugar na indústria de fast food significa que isso geralmente é alcançado por meio de margens baixas e vendas altas.

A comida mexicana cobre uma variedade cada vez maior de restaurantes, desde a tradicional à culinária de fusão até a nova mexicana, de barracas de taco à beira da estrada a restaurantes com assentos. Embora na maioria das vezes combinada com produtos básicos do sul americano para formar o Tex-Mex, a comida mexicana está cada vez mais se misturando com outras cozinhas para criar novos sabores ousados, como o mexicano-californiano e o mexicano-coreano.

Este é um estilo de comida que vai bem com um modelo de refeição franqueada. Dos 58% dos restaurantes mexicanos que eram restaurantes de serviço completo em 2017, 97% eram restaurantes casuais ou familiares. Dos 42% que ofereciam serviço limitado, 52% faziam parte de uma rede de restaurantes. Este é um estilo de jantar descontraído, acessível e frequentemente associado a uma marca conhecida e difundida - perfeito para uma franquia.

Parte do apelo da comida mexicana é o menu amplo e variado. Embora alguns restaurantes sejam conhecidos por um prato específico, como burritos ou tacos, a maioria serve uma variedade de estilos e recheios. É fácil fornecer uma opção vegetariana com recheio de vegetais picantes em vez de carne, e torná-lo vegan deixando de fora os laticínios. Salsas, molhos e chili extra apimentam os pratos e criam muitas opções com uma variedade de sabores. É uma experiência gastronômica que pode atender a todos os tipos de paladares e necessidades dietéticas, tornando-se facilmente adaptável ao mercado moderno.

A outra vantagem importante da comida mexicana é que ela é relativamente barata. Isso ajudou a impulsionar sua popularidade e proporcionar negócios recorrentes. Ele também fornece alguma proteção contra tempos economicamente desafiadores, quando as pessoas procuram comida caseira barata.

Como muitos restaurantes, os restaurantes mexicanos sofreram o impacto do COVID-19. O tamanho do mercado dos EUA caiu cerca de 12,3% em 2020, para US $ 54,6 bilhões, seu ponto mais baixo desde 2015. Isso levou a perdas significativas para a indústria na América e além, incluindo a falência da rede Rubio's e o fechamento de uma terceiro das lojas Wahaca no Reino Unido. Como os elementos separados costumam ser montados imediatamente antes de comer, a comida mexicana não é tradicionalmente tão voltada para o take-away quanto os concorrentes como a pizza, e isso a torna mais vulnerável aos desafios de um mundo fechado.

Felizmente, os ajustes à nova situação permitiram que os restaurantes se adaptassem. Um maior foco na entrega e take away de comida permitiu que os restaurantes continuassem em atividade enquanto não podiam receber clientes sentados, e forneceu a esses clientes um senso de normalidade muito necessário. À medida que as vacinas são lançadas em 2021, o business as usual deve começar a retornar e, embora os impactos econômicos da pandemia provavelmente sejam sentidos por um longo tempo, o preço relativamente baixo da comida mexicana deve significar que esses restaurantes têm um desempenho melhor do que muitos outros durante uma recessão.

O padrão de recuperação no setor de restaurantes apresenta notícias particularmente boas para as franquias. Grandes redes parecem estar se recuperando melhor do que restaurantes independentes. Seja o reconhecimento da marca, a fidelidade do cliente ou as estruturas de suporte disponíveis, fazer parte de uma marca reconhecida é uma vantagem para resistir à tempestade COVID. À medida que a economia se recupera e as pessoas têm dinheiro para comer fora mais, as franquias também estarão em uma boa posição para preencher as lacunas que outras empresas fecharam.

As tendências de longo prazo também darão combustível às franquias de restaurantes mexicanos. As populações de imigrantes desempenharam um grande papel na popularização da comida mexicana e no fornecimento à indústria de uma base sólida de clientes nos Estados Unidos. Apesar das recentes medidas anti-imigrantes, prevê-se que o número de imigrantes aumente em 2020, criando oportunidades para a indústria. À medida que a população americana cresce em tamanho e diversidade, o mesmo ocorre com a indústria de restaurantes mexicana.


As 18 melhores franquias de restaurantes mexicanos de 2021 (classificações atualizadas)

A comida mexicana é muito popular, especialmente nos Estados Unidos, onde é o segundo estilo internacional com maior classificação, depois da italiana. É também o segundo tipo de menu mais comum, depois dos hambúrgueres, e representa 8% da indústria nacional de restaurantes, com 55.755 restaurantes.

A indústria de restaurantes mexicanos dos Estados Unidos, portanto, teve um bom crescimento na maior parte da última década, atingindo um tamanho de mercado de cerca de US $ 65 bilhões em 2019. Ele cresceu mais rápido do que o setor de bens de consumo e serviços em geral. As franquias dominam este mercado, com a Taco Bell tendo duas vezes e meia mais restaurantes que seu concorrente não franqueado mais próximo em 2018, e a Qdoba e a Moe's ocupando o terceiro e quarto lugar na lista das redes mais extensas.

Há um bom dinheiro no negócio mexicano. Mais da metade dos restaurantes mexicanos têm vendas anuais médias de US $ 500.000 a US $ 1 milhão. Seu lugar na indústria de fast food significa que isso geralmente é alcançado por meio de margens baixas e vendas altas.

A comida mexicana cobre uma variedade cada vez maior de restaurantes, desde a tradicional à culinária de fusão até a nova mexicana, de barracas de taco à beira da estrada a restaurantes com assentos. Embora na maioria das vezes combinada com produtos básicos do sul americano para formar o Tex-Mex, a comida mexicana está cada vez mais se misturando com outras cozinhas para criar novos sabores ousados, como o mexicano-californiano e o mexicano-coreano.

Este é um estilo de comida que vai bem com um modelo de jantar franqueado. Dos 58% dos restaurantes mexicanos que eram restaurantes de serviço completo em 2017, 97% eram restaurantes casuais ou familiares. Dos 42% que ofereciam serviço limitado, 52% faziam parte de uma rede de restaurantes. Este é um estilo de jantar descontraído, acessível e muitas vezes associado a uma marca conhecida e difundida - perfeito para uma franquia.

Parte do apelo da comida mexicana é o menu amplo e variado. Embora alguns restaurantes sejam conhecidos por um prato específico, como burritos ou tacos, a maioria serve uma variedade de estilos e recheios. É fácil fornecer uma opção vegetariana com recheio de vegetais picantes em vez de carne, e torná-lo vegan deixando de fora os laticínios. Salsas, molhos e chili extra apimentam os pratos e criam muitas opções com uma variedade de sabores. É uma experiência gastronômica que pode atender a todos os tipos de paladares e necessidades dietéticas, tornando-se facilmente adaptável ao mercado moderno.

A outra vantagem importante da comida mexicana é que ela é relativamente barata. Isso ajudou a impulsionar sua popularidade e proporcionar negócios recorrentes. Ele também fornece alguma proteção contra tempos economicamente desafiadores, quando as pessoas procuram comida caseira barata.

Como muitos restaurantes, os restaurantes mexicanos sofreram o impacto do COVID-19. O tamanho do mercado dos EUA caiu cerca de 12,3% em 2020, para US $ 54,6 bilhões, seu ponto mais baixo desde 2015. Isso levou a perdas significativas para a indústria na América e além, incluindo a falência da rede Rubio's e o fechamento de uma terceiro das lojas Wahaca no Reino Unido. Como os elementos separados costumam ser montados imediatamente antes de comer, a comida mexicana não é tradicionalmente tão voltada para o take-away quanto os concorrentes como a pizza, e isso a torna mais vulnerável aos desafios de um mundo fechado.

Felizmente, os ajustes à nova situação permitiram que os restaurantes se adaptassem. Um maior foco na entrega e take away de comida permitiu que os restaurantes continuassem em atividade enquanto não podiam receber clientes sentados, e forneceu a esses clientes um senso de normalidade muito necessário. À medida que as vacinas são lançadas em 2021, o business as usual deve começar a retornar e, embora os impactos econômicos da pandemia provavelmente sejam sentidos por um longo tempo, o preço relativamente baixo da comida mexicana deve significar que esses restaurantes têm um desempenho melhor do que muitos outros durante uma recessão.

O padrão de recuperação no setor de restaurantes apresenta notícias particularmente boas para as franquias. Grandes redes parecem estar se recuperando melhor do que restaurantes independentes. Seja o reconhecimento da marca, a fidelidade do cliente ou as estruturas de suporte disponíveis, fazer parte de uma marca reconhecida é uma vantagem para resistir à tempestade COVID. À medida que a economia se recupera e as pessoas têm dinheiro para comer fora mais, as franquias também estarão em uma boa posição para preencher as lacunas que outras empresas fecharam.

As tendências de longo prazo também darão combustível às franquias de restaurantes mexicanos. As populações de imigrantes desempenharam um grande papel na popularização da comida mexicana e no fornecimento à indústria de uma base sólida de clientes nos Estados Unidos. Apesar das recentes medidas anti-imigrantes, prevê-se que o número de imigrantes aumente em 2020, criando oportunidades para a indústria. À medida que a população americana cresce em tamanho e diversidade, o mesmo ocorre com a indústria de restaurantes mexicana.


As 18 melhores franquias de restaurantes mexicanos de 2021 (classificações atualizadas)

A comida mexicana é muito popular, especialmente nos Estados Unidos, onde é o segundo estilo internacional com maior classificação, depois da italiana. É também o segundo tipo de menu mais comum, depois dos hambúrgueres, e representa 8% da indústria nacional de restaurantes, com 55.755 restaurantes.

A indústria de restaurantes mexicanos dos Estados Unidos, portanto, teve um bom crescimento na maior parte da última década, atingindo um tamanho de mercado de cerca de US $ 65 bilhões em 2019. Ele cresceu mais rápido do que o setor de bens de consumo e serviços em geral. As franquias dominam este mercado, com a Taco Bell tendo duas vezes e meia mais restaurantes do que seu concorrente não franqueado mais próximo em 2018, e a Qdoba e a Moe's ocupando o terceiro e quarto lugar na lista das redes mais extensas.

Há um bom dinheiro no negócio mexicano. Mais da metade dos restaurantes mexicanos têm vendas anuais médias de US $ 500.000 a US $ 1 milhão. Seu lugar na indústria de fast food significa que isso geralmente é alcançado por meio de margens baixas e vendas altas.

A comida mexicana cobre uma variedade cada vez maior de restaurantes, desde a tradicional à culinária de fusão até a nova mexicana, de barracas de taco à beira da estrada a restaurantes com assentos. Embora na maioria das vezes combinada com produtos básicos do sul americano para formar o Tex-Mex, a comida mexicana está cada vez mais se misturando com outras cozinhas para criar novos sabores ousados, como o mexicano-californiano e o mexicano-coreano.

Este é um estilo de comida que vai bem com um modelo de jantar franqueado. Dos 58% dos restaurantes mexicanos que eram restaurantes de serviço completo em 2017, 97% eram restaurantes casuais ou de estilo familiar. Dos 42% que ofereciam serviço limitado, 52% faziam parte de uma rede de restaurantes. Este é um estilo de jantar descontraído, acessível e frequentemente associado a uma marca conhecida e difundida - perfeito para uma franquia.

Parte do apelo da comida mexicana é o menu amplo e variado. Embora alguns restaurantes sejam conhecidos por um prato específico, como burritos ou tacos, a maioria serve uma variedade de estilos e recheios. É fácil fornecer uma opção vegetariana com recheio de vegetais picantes em vez de carne, e torná-lo vegan deixando de fora os laticínios. Salsas, molhos e chili extra apimentam os pratos e criam muitas opções com uma variedade de sabores. É uma experiência gastronômica que pode atender a todos os tipos de paladares e necessidades dietéticas, tornando-se facilmente adaptável ao mercado moderno.

A outra vantagem importante da comida mexicana é que ela é relativamente barata. This has helped to drive its popularity and provide repeat business. It also provides some protection against economically challenging times, when people seek inexpensive comfort food.

Like many eateries, Mexican restaurants suffered from the impact of COVID-19. The US market size fell by an estimated 12.3% in 2020, to $54.6 billion, its lowest point since 2015. This has led to significant losses for the industry in America and beyond, including the bankruptcy of the Rubio’s chain and the closure of one-third of the Wahaca stores in the UK. Because the separate elements are often assembled immediately before eating, Mexican food hasn’t traditionally been as oriented toward takeaway as competitors such as pizza, and this made it more vulnerable to the challenges of a lockdown world.

Fortunately, adjustments to the new situation have allowed restaurants to adapt. An increased focus on delivery and take away food has let restaurants stay in business while they couldn’t have sit-down customers, and provided those customers with a much-needed sense of normality. As vaccines are rolled out in 2021, business as usual should start to return, and while the economic impacts of the pandemic are likely to be felt for a long time, Mexican food’s relatively low price point should mean that these restaurants do better than many others during a recession.

The pattern of recovery in the restaurant sector shows particularly good news for franchises. Large chains seem to be recovering better than independent eateries. Whether it’s brand recognition, customer loyalty, or the support structures available, being part of a recognized brand is an advantage in weathering the COVID storm. As the economy recovers and people have the money to eat out more, franchises will also be in a good position to fill the gaps where other businesses have closed.

Longer term trends will also give fuel to Mexican restaurant franchises. Immigrant populations have played a large part in popularizing Mexican food and providing the industry with a solid customer base in the US. Despite recent anti-immigrant measures, the number of immigrants is expected to increase in 2020, creating opportunities for the industry. As the American population grows in size and diversity, so will the Mexican restaurant industry.


The 18 Best Mexican Restaurant Franchises of 2021 (Updated Rankings)

Mexican food is hugely popular, especially in the US, where it’s the second most highly rated international style, after Italian. It’s also the second most common menu type, after burgers, and represents 8% of the national restaurant industry, with 55,755 restaurants.

The US Mexican restaurant industry has therefore seen good growth over most of the past decade, reaching a market size of around $65 billion in 2019. It grew faster than the wider consumer goods and services sector. Franchises dominate in this market, with Taco Bell having two and a half times as many restaurants as its nearest non-franchised competitor in 2018, and Qdoba and Moe’s taking third and fourth place in the list of most extensive chains.

There’s good money in the Mexican business. More than half of Mexican restaurants have average annual sales of $500,000 to $1 million. Their place in the fast food industry means that this is often achieved through low margins and high sales.

Mexican food covers an increasingly wide range of restaurants, from traditional to fusion to New Mexican cuisine, from roadside taco stands to sit-in restaurants. Though most often combined with staples of the American south to form Tex-Mex, Mexican food is increasingly mingling with other cuisines to create bold new flavors, such as California-Mexican and Mexican-Korean.

This is a style of food that goes well with a franchisable dining model. Of the 58% of Mexican eateries that were full service restaurants in 2017, 97% were casual or family style restaurants. Of the 42% that offered limited service, 52% were part of a restaurant chain. This is a dining style that’s relaxed, accessible, and often associated with a familiar, widespread brand – perfect for a franchise.

Part of the appeal of Mexican food is the broad and varied menu. While some restaurants are known for a particular dish, such as burritos or tacos, most serve a variety of styles and fillings. It’s easy to provide a vegetarian option with a spicy vegetable filling instead of meat, and to make this vegan by leaving out the dairy. Salsas, sauces, and extra chilis spice dishes up and create a lot of choice with a range of flavors. It’s a dining experience that can fit all sorts of palates and dietary requirements, making it readily adaptable to the modern market.

The other key advantage of Mexican food is that it’s relatively inexpensive. This has helped to drive its popularity and provide repeat business. It also provides some protection against economically challenging times, when people seek inexpensive comfort food.

Like many eateries, Mexican restaurants suffered from the impact of COVID-19. The US market size fell by an estimated 12.3% in 2020, to $54.6 billion, its lowest point since 2015. This has led to significant losses for the industry in America and beyond, including the bankruptcy of the Rubio’s chain and the closure of one-third of the Wahaca stores in the UK. Because the separate elements are often assembled immediately before eating, Mexican food hasn’t traditionally been as oriented toward takeaway as competitors such as pizza, and this made it more vulnerable to the challenges of a lockdown world.

Fortunately, adjustments to the new situation have allowed restaurants to adapt. An increased focus on delivery and take away food has let restaurants stay in business while they couldn’t have sit-down customers, and provided those customers with a much-needed sense of normality. As vaccines are rolled out in 2021, business as usual should start to return, and while the economic impacts of the pandemic are likely to be felt for a long time, Mexican food’s relatively low price point should mean that these restaurants do better than many others during a recession.

The pattern of recovery in the restaurant sector shows particularly good news for franchises. Large chains seem to be recovering better than independent eateries. Whether it’s brand recognition, customer loyalty, or the support structures available, being part of a recognized brand is an advantage in weathering the COVID storm. As the economy recovers and people have the money to eat out more, franchises will also be in a good position to fill the gaps where other businesses have closed.

Longer term trends will also give fuel to Mexican restaurant franchises. Immigrant populations have played a large part in popularizing Mexican food and providing the industry with a solid customer base in the US. Despite recent anti-immigrant measures, the number of immigrants is expected to increase in 2020, creating opportunities for the industry. As the American population grows in size and diversity, so will the Mexican restaurant industry.


The 18 Best Mexican Restaurant Franchises of 2021 (Updated Rankings)

Mexican food is hugely popular, especially in the US, where it’s the second most highly rated international style, after Italian. It’s also the second most common menu type, after burgers, and represents 8% of the national restaurant industry, with 55,755 restaurants.

The US Mexican restaurant industry has therefore seen good growth over most of the past decade, reaching a market size of around $65 billion in 2019. It grew faster than the wider consumer goods and services sector. Franchises dominate in this market, with Taco Bell having two and a half times as many restaurants as its nearest non-franchised competitor in 2018, and Qdoba and Moe’s taking third and fourth place in the list of most extensive chains.

There’s good money in the Mexican business. More than half of Mexican restaurants have average annual sales of $500,000 to $1 million. Their place in the fast food industry means that this is often achieved through low margins and high sales.

Mexican food covers an increasingly wide range of restaurants, from traditional to fusion to New Mexican cuisine, from roadside taco stands to sit-in restaurants. Though most often combined with staples of the American south to form Tex-Mex, Mexican food is increasingly mingling with other cuisines to create bold new flavors, such as California-Mexican and Mexican-Korean.

This is a style of food that goes well with a franchisable dining model. Of the 58% of Mexican eateries that were full service restaurants in 2017, 97% were casual or family style restaurants. Of the 42% that offered limited service, 52% were part of a restaurant chain. This is a dining style that’s relaxed, accessible, and often associated with a familiar, widespread brand – perfect for a franchise.

Part of the appeal of Mexican food is the broad and varied menu. While some restaurants are known for a particular dish, such as burritos or tacos, most serve a variety of styles and fillings. It’s easy to provide a vegetarian option with a spicy vegetable filling instead of meat, and to make this vegan by leaving out the dairy. Salsas, sauces, and extra chilis spice dishes up and create a lot of choice with a range of flavors. It’s a dining experience that can fit all sorts of palates and dietary requirements, making it readily adaptable to the modern market.

The other key advantage of Mexican food is that it’s relatively inexpensive. This has helped to drive its popularity and provide repeat business. It also provides some protection against economically challenging times, when people seek inexpensive comfort food.

Like many eateries, Mexican restaurants suffered from the impact of COVID-19. The US market size fell by an estimated 12.3% in 2020, to $54.6 billion, its lowest point since 2015. This has led to significant losses for the industry in America and beyond, including the bankruptcy of the Rubio’s chain and the closure of one-third of the Wahaca stores in the UK. Because the separate elements are often assembled immediately before eating, Mexican food hasn’t traditionally been as oriented toward takeaway as competitors such as pizza, and this made it more vulnerable to the challenges of a lockdown world.

Fortunately, adjustments to the new situation have allowed restaurants to adapt. An increased focus on delivery and take away food has let restaurants stay in business while they couldn’t have sit-down customers, and provided those customers with a much-needed sense of normality. As vaccines are rolled out in 2021, business as usual should start to return, and while the economic impacts of the pandemic are likely to be felt for a long time, Mexican food’s relatively low price point should mean that these restaurants do better than many others during a recession.

The pattern of recovery in the restaurant sector shows particularly good news for franchises. Large chains seem to be recovering better than independent eateries. Whether it’s brand recognition, customer loyalty, or the support structures available, being part of a recognized brand is an advantage in weathering the COVID storm. As the economy recovers and people have the money to eat out more, franchises will also be in a good position to fill the gaps where other businesses have closed.

Longer term trends will also give fuel to Mexican restaurant franchises. Immigrant populations have played a large part in popularizing Mexican food and providing the industry with a solid customer base in the US. Despite recent anti-immigrant measures, the number of immigrants is expected to increase in 2020, creating opportunities for the industry. As the American population grows in size and diversity, so will the Mexican restaurant industry.


The 18 Best Mexican Restaurant Franchises of 2021 (Updated Rankings)

Mexican food is hugely popular, especially in the US, where it’s the second most highly rated international style, after Italian. It’s also the second most common menu type, after burgers, and represents 8% of the national restaurant industry, with 55,755 restaurants.

The US Mexican restaurant industry has therefore seen good growth over most of the past decade, reaching a market size of around $65 billion in 2019. It grew faster than the wider consumer goods and services sector. Franchises dominate in this market, with Taco Bell having two and a half times as many restaurants as its nearest non-franchised competitor in 2018, and Qdoba and Moe’s taking third and fourth place in the list of most extensive chains.

There’s good money in the Mexican business. More than half of Mexican restaurants have average annual sales of $500,000 to $1 million. Their place in the fast food industry means that this is often achieved through low margins and high sales.

Mexican food covers an increasingly wide range of restaurants, from traditional to fusion to New Mexican cuisine, from roadside taco stands to sit-in restaurants. Though most often combined with staples of the American south to form Tex-Mex, Mexican food is increasingly mingling with other cuisines to create bold new flavors, such as California-Mexican and Mexican-Korean.

This is a style of food that goes well with a franchisable dining model. Of the 58% of Mexican eateries that were full service restaurants in 2017, 97% were casual or family style restaurants. Of the 42% that offered limited service, 52% were part of a restaurant chain. This is a dining style that’s relaxed, accessible, and often associated with a familiar, widespread brand – perfect for a franchise.

Part of the appeal of Mexican food is the broad and varied menu. While some restaurants are known for a particular dish, such as burritos or tacos, most serve a variety of styles and fillings. It’s easy to provide a vegetarian option with a spicy vegetable filling instead of meat, and to make this vegan by leaving out the dairy. Salsas, sauces, and extra chilis spice dishes up and create a lot of choice with a range of flavors. It’s a dining experience that can fit all sorts of palates and dietary requirements, making it readily adaptable to the modern market.

The other key advantage of Mexican food is that it’s relatively inexpensive. This has helped to drive its popularity and provide repeat business. It also provides some protection against economically challenging times, when people seek inexpensive comfort food.

Like many eateries, Mexican restaurants suffered from the impact of COVID-19. The US market size fell by an estimated 12.3% in 2020, to $54.6 billion, its lowest point since 2015. This has led to significant losses for the industry in America and beyond, including the bankruptcy of the Rubio’s chain and the closure of one-third of the Wahaca stores in the UK. Because the separate elements are often assembled immediately before eating, Mexican food hasn’t traditionally been as oriented toward takeaway as competitors such as pizza, and this made it more vulnerable to the challenges of a lockdown world.

Fortunately, adjustments to the new situation have allowed restaurants to adapt. An increased focus on delivery and take away food has let restaurants stay in business while they couldn’t have sit-down customers, and provided those customers with a much-needed sense of normality. As vaccines are rolled out in 2021, business as usual should start to return, and while the economic impacts of the pandemic are likely to be felt for a long time, Mexican food’s relatively low price point should mean that these restaurants do better than many others during a recession.

The pattern of recovery in the restaurant sector shows particularly good news for franchises. Large chains seem to be recovering better than independent eateries. Whether it’s brand recognition, customer loyalty, or the support structures available, being part of a recognized brand is an advantage in weathering the COVID storm. As the economy recovers and people have the money to eat out more, franchises will also be in a good position to fill the gaps where other businesses have closed.

Longer term trends will also give fuel to Mexican restaurant franchises. Immigrant populations have played a large part in popularizing Mexican food and providing the industry with a solid customer base in the US. Despite recent anti-immigrant measures, the number of immigrants is expected to increase in 2020, creating opportunities for the industry. As the American population grows in size and diversity, so will the Mexican restaurant industry.


The 18 Best Mexican Restaurant Franchises of 2021 (Updated Rankings)

Mexican food is hugely popular, especially in the US, where it’s the second most highly rated international style, after Italian. It’s also the second most common menu type, after burgers, and represents 8% of the national restaurant industry, with 55,755 restaurants.

The US Mexican restaurant industry has therefore seen good growth over most of the past decade, reaching a market size of around $65 billion in 2019. It grew faster than the wider consumer goods and services sector. Franchises dominate in this market, with Taco Bell having two and a half times as many restaurants as its nearest non-franchised competitor in 2018, and Qdoba and Moe’s taking third and fourth place in the list of most extensive chains.

There’s good money in the Mexican business. More than half of Mexican restaurants have average annual sales of $500,000 to $1 million. Their place in the fast food industry means that this is often achieved through low margins and high sales.

Mexican food covers an increasingly wide range of restaurants, from traditional to fusion to New Mexican cuisine, from roadside taco stands to sit-in restaurants. Though most often combined with staples of the American south to form Tex-Mex, Mexican food is increasingly mingling with other cuisines to create bold new flavors, such as California-Mexican and Mexican-Korean.

This is a style of food that goes well with a franchisable dining model. Of the 58% of Mexican eateries that were full service restaurants in 2017, 97% were casual or family style restaurants. Of the 42% that offered limited service, 52% were part of a restaurant chain. This is a dining style that’s relaxed, accessible, and often associated with a familiar, widespread brand – perfect for a franchise.

Part of the appeal of Mexican food is the broad and varied menu. While some restaurants are known for a particular dish, such as burritos or tacos, most serve a variety of styles and fillings. It’s easy to provide a vegetarian option with a spicy vegetable filling instead of meat, and to make this vegan by leaving out the dairy. Salsas, sauces, and extra chilis spice dishes up and create a lot of choice with a range of flavors. It’s a dining experience that can fit all sorts of palates and dietary requirements, making it readily adaptable to the modern market.

The other key advantage of Mexican food is that it’s relatively inexpensive. This has helped to drive its popularity and provide repeat business. It also provides some protection against economically challenging times, when people seek inexpensive comfort food.

Like many eateries, Mexican restaurants suffered from the impact of COVID-19. The US market size fell by an estimated 12.3% in 2020, to $54.6 billion, its lowest point since 2015. This has led to significant losses for the industry in America and beyond, including the bankruptcy of the Rubio’s chain and the closure of one-third of the Wahaca stores in the UK. Because the separate elements are often assembled immediately before eating, Mexican food hasn’t traditionally been as oriented toward takeaway as competitors such as pizza, and this made it more vulnerable to the challenges of a lockdown world.

Fortunately, adjustments to the new situation have allowed restaurants to adapt. An increased focus on delivery and take away food has let restaurants stay in business while they couldn’t have sit-down customers, and provided those customers with a much-needed sense of normality. As vaccines are rolled out in 2021, business as usual should start to return, and while the economic impacts of the pandemic are likely to be felt for a long time, Mexican food’s relatively low price point should mean that these restaurants do better than many others during a recession.

The pattern of recovery in the restaurant sector shows particularly good news for franchises. Large chains seem to be recovering better than independent eateries. Whether it’s brand recognition, customer loyalty, or the support structures available, being part of a recognized brand is an advantage in weathering the COVID storm. As the economy recovers and people have the money to eat out more, franchises will also be in a good position to fill the gaps where other businesses have closed.

Longer term trends will also give fuel to Mexican restaurant franchises. Immigrant populations have played a large part in popularizing Mexican food and providing the industry with a solid customer base in the US. Despite recent anti-immigrant measures, the number of immigrants is expected to increase in 2020, creating opportunities for the industry. As the American population grows in size and diversity, so will the Mexican restaurant industry.


The 18 Best Mexican Restaurant Franchises of 2021 (Updated Rankings)

Mexican food is hugely popular, especially in the US, where it’s the second most highly rated international style, after Italian. It’s also the second most common menu type, after burgers, and represents 8% of the national restaurant industry, with 55,755 restaurants.

The US Mexican restaurant industry has therefore seen good growth over most of the past decade, reaching a market size of around $65 billion in 2019. It grew faster than the wider consumer goods and services sector. Franchises dominate in this market, with Taco Bell having two and a half times as many restaurants as its nearest non-franchised competitor in 2018, and Qdoba and Moe’s taking third and fourth place in the list of most extensive chains.

There’s good money in the Mexican business. More than half of Mexican restaurants have average annual sales of $500,000 to $1 million. Their place in the fast food industry means that this is often achieved through low margins and high sales.

Mexican food covers an increasingly wide range of restaurants, from traditional to fusion to New Mexican cuisine, from roadside taco stands to sit-in restaurants. Though most often combined with staples of the American south to form Tex-Mex, Mexican food is increasingly mingling with other cuisines to create bold new flavors, such as California-Mexican and Mexican-Korean.

This is a style of food that goes well with a franchisable dining model. Of the 58% of Mexican eateries that were full service restaurants in 2017, 97% were casual or family style restaurants. Of the 42% that offered limited service, 52% were part of a restaurant chain. This is a dining style that’s relaxed, accessible, and often associated with a familiar, widespread brand – perfect for a franchise.

Part of the appeal of Mexican food is the broad and varied menu. While some restaurants are known for a particular dish, such as burritos or tacos, most serve a variety of styles and fillings. It’s easy to provide a vegetarian option with a spicy vegetable filling instead of meat, and to make this vegan by leaving out the dairy. Salsas, sauces, and extra chilis spice dishes up and create a lot of choice with a range of flavors. It’s a dining experience that can fit all sorts of palates and dietary requirements, making it readily adaptable to the modern market.

The other key advantage of Mexican food is that it’s relatively inexpensive. This has helped to drive its popularity and provide repeat business. It also provides some protection against economically challenging times, when people seek inexpensive comfort food.

Like many eateries, Mexican restaurants suffered from the impact of COVID-19. The US market size fell by an estimated 12.3% in 2020, to $54.6 billion, its lowest point since 2015. This has led to significant losses for the industry in America and beyond, including the bankruptcy of the Rubio’s chain and the closure of one-third of the Wahaca stores in the UK. Because the separate elements are often assembled immediately before eating, Mexican food hasn’t traditionally been as oriented toward takeaway as competitors such as pizza, and this made it more vulnerable to the challenges of a lockdown world.

Fortunately, adjustments to the new situation have allowed restaurants to adapt. An increased focus on delivery and take away food has let restaurants stay in business while they couldn’t have sit-down customers, and provided those customers with a much-needed sense of normality. As vaccines are rolled out in 2021, business as usual should start to return, and while the economic impacts of the pandemic are likely to be felt for a long time, Mexican food’s relatively low price point should mean that these restaurants do better than many others during a recession.

The pattern of recovery in the restaurant sector shows particularly good news for franchises. Large chains seem to be recovering better than independent eateries. Whether it’s brand recognition, customer loyalty, or the support structures available, being part of a recognized brand is an advantage in weathering the COVID storm. As the economy recovers and people have the money to eat out more, franchises will also be in a good position to fill the gaps where other businesses have closed.

Longer term trends will also give fuel to Mexican restaurant franchises. Immigrant populations have played a large part in popularizing Mexican food and providing the industry with a solid customer base in the US. Despite recent anti-immigrant measures, the number of immigrants is expected to increase in 2020, creating opportunities for the industry. As the American population grows in size and diversity, so will the Mexican restaurant industry.


Assista o vídeo: Las Margaritas the best TEX MEX Restaurant in Southampton, PA (Novembro 2021).