Receitas de coquetéis, destilados e bares locais

A melhor dieta antiinflamatória é uma alimentação saudável

A melhor dieta antiinflamatória é uma alimentação saudável

Pesquisas mostram que consumir alimentos integrais à base de plantas e gorduras saudáveis ​​são eficazes no combate à inflamação.

À medida que o termo “antiinflamatório” continua sendo uma tendência nas esferas da saúde e do bem-estar, mais produtos com benefícios antiinflamatórios estão surgindo nas prateleiras dos supermercados e lojas de alimentos naturais. Quase todo site de alimentação saudável ou relacionado ao bem-estar tem sua própria dieta antiinflamatória - nós incluídos - e certamente não há escassez de livros de receitas de dieta antiinflamatória por aí. Mas algo que muitas autoridades de saúde erram é que não se trata apenas de comer alguns "superalimentos" para combater a inflamação - trata-se de obter uma nutrição completa em nossa vida cotidiana.

O que é inflamação?

Mantenha-se atualizado sobre o que significa saudável agora.

Assine nosso boletim diário para mais artigos excelentes e receitas deliciosas e saudáveis.

A inflamação é a forma de seu corpo sinalizar seu sistema imunológico para curar e reparar tecidos danificados ou para se defender de compostos prejudiciais, como bactérias e vírus. Sangue e fluidos que transportam células do sistema imunológico e proteínas plasmáticas para a área em perigo ou ferida geralmente causam vermelhidão, calor ou inchaço que sentimos após o exercício ou quando está ruim. Mas tudo isso faz parte do processo natural de cura do corpo e nem sempre é uma coisa ruim.

Existem dois tipos de inflamação - aguda e crônica. A inflamação aguda pode realmente ser saudável, pois ocorre temporariamente durante a recuperação de um treino ou de uma doença. A inflamação crônica é o que você deve estar atento.

A diferença entre a inflamação aguda e a crônica é que a inflamação aguda é uma maneira de resolver os problemas de combater compostos indesejados no corpo, enquanto a inflamação crônica é uma causa de problemas e de longa duração. A inflamação crônica afeta sistemas inteiros dentro do corpo por um período prolongado de tempo e é considerada um fator de risco para muitas doenças crônicas comuns, como doenças cardíacas, câncer, diabetes e até depressão.

Minha dieta pode realmente reduzir a inflamação?

O que você coloca em seu corpo (e o que não) pode afetar a resposta inflamatória de seu corpo. Embora não haja necessariamente uma dieta "perfeita" para combater a inflamação, a pesquisa aponta para os benefícios de consumir alimentos integrais, à base de plantas, e ácidos graxos ômega-3, enquanto diminui o consumo de alimentos processados, açúcar e gordura saturada.

A advertência aqui é, se um suplemento, chá ou outro "produto de bem-estar" afirma que reduz a inflamação, você pode querer ser cético em relação aos chamados poderes mágicos. As alegações sobre a maioria desses produtos não são respaldadas pelo FDA, e você deve priorizar os alimentos em sua forma completa em vez de pó concentrado ou formas de extrato.

Qual é a aparência de uma dieta antiinflamatória eficaz?

Embora existam crenças contrastantes na comunidade de saúde, uma coisa de que todos podemos nos beneficiar é consumir mais frutas e vegetais. Embora certos produtos com status de "superalimento", como romãs e açaí, sejam mais comumente conhecidos como combatentes da inflamação, você não precisa se apressar para comprar uma tigela de açaí de $ 15 ou beber meio galão de suco de romã todos os dias. Basta comer as frutas e vegetais que você gosta, ou o que estiver da estação no mercado local de seus fazendeiros.

Optar por gorduras mais saudáveis, como ômega 3 no salmão e na semente de linhaça, também é extremamente benéfico e pode aumentar os compostos antiinflamatórios no corpo. Buscar alimentos saudáveis ​​para o intestino, como kefir e kimchi, também melhora a saúde intestinal, que é um aspecto crítico para evitar a inflamação crônica. Até mesmo trocar a massa branca por trigo integral pode ter um grande impacto, já que um estudo descobriu que participantes que trocaram de grãos refinados por grãos inteiros reduziram significativamente a inflamação, em comparação com seus colegas comedores de grãos refinados.

Interessado em receitas saudáveis ​​e antiinflamatórias?

Quais alimentos causam inflamação?

Embora você não precise se preocupar tanto em consumir um alimento específico para combater a inflamação, há estão alguns que você pode querer evitar - ou pelo menos reduzir a ingestão de. Alimentos ultraprocessados ​​- como frios e donuts - bem como outros produtos carregados com açúcar refinado, sódio, carboidratos refinados e gorduras saturadas estão todos ligados à inflamação. Álcool e bebidas açucaradas também devem ser vistos como um tratamento ocasional se você estiver tentando seguir uma dieta antiinflamatória.

Um estudo da Universidade de Bonn descobriu que o corpo trata o fast food como uma infecção bacteriana - instigando uma resposta inflamatória - e consumir muito pode levar à inflamação crônica. Este estudo também descobriu que dietas ricas em açúcar e gordura podem causar danos permanentes ao seu sistema imunológico, colocando você em risco de diabetes e ataques cardíacos no futuro.

O resultado final

Simplesmente enfatizar o consumo de mais alimentos vegetais, como hortaliças, grãos inteiros, gorduras insaturadas, especiarias, ervas e legumes, é uma maneira simples de garantir que você siga uma dieta antiinflamatória. Não se preocupe em investir ou não em cápsulas de açafrão ou em pó caro - coma alimentos integrais de verdade e você estará no caminho certo para combater a inflamação crônica.


As melhores dietas antiinflamatórias

Quando se trata de combater a inflamação com dieta, seguir um programa específico não é uma necessidade. Na verdade, muitas das chamadas dietas antiinflamatórias são mais exageradas do que ciência real. Dito isso, algumas dietas agrupam todos os elementos antiinflamatórios em um plano alimentar e têm mais evidências de benefícios do que outras dietas. Se você não tem certeza por onde começar, essas dietas são boas escolhas.

Dieta mediterrânea

Pessoas que vivem em países ao redor do Mar Mediterrâneo, como Itália e Grécia, tradicionalmente comem uma dieta que consiste principalmente de frutas e vegetais, nozes e sementes, grãos inteiros, peixe e azeite - os mesmos alimentos que os especialistas recomendam para reduzir a inflamação . Com o passar dos anos, os pesquisadores começaram a descobrir que as pessoas que seguiam esse estilo de alimentação tinham taxas mais baixas de doenças e viviam mais do que as pessoas nos Estados Unidos que faziam uma dieta ao estilo ocidental.

A dieta mediterrânea tem uma boa classificação entre médicos e nutricionistas, e por boas razões. Estudos mostram que ele protege contra doenças relacionadas à inflamação, incluindo doenças cardiovasculares, síndrome metabólica e diabetes tipo 2. E, como inclui uma variedade de alimentos, a dieta mediterrânea é relativamente fácil de seguir e manter.

Dieta DASH

Embora seu nome possa sugerir a seção "pegue e leve" do supermercado, o DASH é tudo menos um regime de fast-food. DASH significa Dietary Approaches to Stop Hypertension. Foi originalmente desenvolvido para baixar a pressão arterial sem medicação, mas agora é amplamente considerado um dos padrões alimentares mais saudáveis ​​que existe. Inclui alimentos com baixo teor de gordura total, gordura saturada e colesterol, e muitas frutas, vegetais e grãos inteiros. A proteína é fornecida por produtos lácteos com baixo teor de gordura, peixes, aves e nozes. Carnes vermelhas, doces e bebidas açucaradas são limitadas. DASH é rico em fibras, potássio, cálcio e magnésio e pobre em sódio.

Dieta antiinflamatória do Dr. Andrew Weil

Outra dieta antiinflamatória com a ciência para apoiá-la vem do praticante de medicina integrativa formado em Harvard, Dr. Andrew Weil. Ele começou a falar em medidas antiinflamatórias décadas atrás, muito antes de a ideia começar a se popularizar. Sua dieta antiinflamatória poderia ser descrita como uma dieta mediterrânea com influências asiáticas. Cerca de 40% a 50% das calorias vêm dos carboidratos, 30% das gorduras e 20% a 30% das proteínas.

A dieta do Dr. Weil vence na ênfase em alimentos vegetais e fontes saudáveis ​​de proteína, bem como em elementos específicos (peixes gordurosos, frutas, vegetais, óleos, nozes e sementes) que ajudam a reduzir a inflamação. Ele também minimiza os alimentos altamente processados, que podem contribuir para a inflamação.

Para obter conselhos adicionais sobre maneiras de reduzir a inflamação, verifique Inflamação de combate, um Relatório Especial de Saúde da Harvard Medical School.

Imagem: udra / Getty Images


Plano de refeição antiinflamatório: 26 receitas para experimentar

Para as pessoas que lutam contra a inflamação crônica, fazer escolhas alimentares importantes pode fazer uma diferença real.

A dieta antiinflamatória pode ajudar a aliviar a dor nas articulações e reduzir a inflamação.

De acordo com a Arthritis Foundation, certos alimentos podem ajudar a combater a inflamação, fortalecer os ossos e estimular o sistema imunológico.

Seguir um plano alimentar antiinflamatório específico pode ajudar as pessoas a fazer alimentos saborosos e nutritivos, ao mesmo tempo que ajuda a manter a inflamação sob controle.

A dieta antiinflamatória contém muitos prebióticos, fibras, antioxidantes e ômega-3. Isso significa uma dieta rica em vegetais, frutas inteiras, grãos inteiros, legumes e peixes gordurosos.

Continue lendo para 26 receitas antiinflamatórias para experimentar no café da manhã, almoço, jantar e lanches.

Comece o dia com as seguintes receitas antiinflamatórias nutritivas:

1. Mingau de aveia com frutas vermelhas

Aveia com frutas vermelhas oferece altas doses de prebióticos, antioxidantes e fibras.

A aveia é rica em um tipo de fibra chamada beta-glucanos. Os beta-glucanos são um prebiótico importante para as bactérias intestinais Bifidobacterium, que pode ajudar a reduzir a inflamação relacionada ao diabetes e a obesidade.

Os prebióticos ajudam as bactérias intestinais saudáveis ​​a florescer, o que pode ajudar a reduzir a inflamação.

As frutas vermelhas são ricas em antioxidantes e as frutas vermelhas são especialmente ricas em polifenóis antiinflamatórios chamados antocianinas.

Dica dietética: A aveia tradicional laminada e cortada em aço é mais rica em fibras do que a aveia rápida.

2. Mingau de trigo sarraceno e semente de chia

Os sêmolas de trigo sarraceno não contêm glúten e são um ótimo substituto da aveia para pessoas sensíveis ao glúten.

Adicionar sementes de chia aumentará o conteúdo saudável de ômega-3 desta opção de café da manhã.

Os ômega-3 ajudam a reduzir a inflamação no corpo e pesquisas mostram que eles podem melhorar a sensibilidade e a rigidez das articulações em pessoas com AR.

As sementes de chia também são ricas em fibras e proteínas, o que manterá as pessoas se sentindo saciadas por mais tempo.

3. Panquecas de trigo sarraceno

O trigo sarraceno também é uma boa fonte de dois polifenóis antiinflamatórios chave chamados quercetina e rutina.

De acordo com um estudo de 2016, a quercetina é um antioxidante, enquanto a rutina tem propriedades antiinflamatórias, o que pode ajudar na artrite.

Apesar do nome, o trigo sarraceno não é um grão. É a semente de uma fruta e não contém glúten. O trigo sarraceno é especialmente popular na culinária japonesa.

Muitos supermercados de alimentos naturais e lojas online vendem trigo sarraceno.

4. Ovos mexidos com cúrcuma

Os ovos são uma excelente fonte de proteína e a gema contém vitamina D.

Uma revisão de 2016 afirmou que a vitamina D pode limitar o processo de inflamação devido aos seus efeitos no sistema imunológico. O relatório também observou que as pessoas com AR tinham níveis mais baixos de vitamina D do que outras pessoas estudadas.

Adicione açafrão aos ovos mexidos para um reforço antiinflamatório extra. A cúrcuma é rica em um composto chamado curcumina, que estudos sugerem que pode ajudar a controlar as condições oxidativas e inflamatórias.

5. Salmão defumado, abacate e ovos pochê na torrada

Salmão e abacate são fontes ricas em ácidos graxos ômega-3 antiinflamatórios.

Comer muitos ácidos graxos saudáveis ​​também pode melhorar a saúde do coração e reduzir o risco de doenças cardiovasculares.

Este farto café da manhã é ótimo para dias muito ativos ou brunches de fim de semana. Para opções sem glúten, use pão sem glúten.

6. Smoothie de abacaxi

Um smoothie é um bom café da manhã para viagem. Um smoothie é cheio de fibras e proteínas, o que faz as pessoas se sentirem satisfeitas por mais tempo.

O abacaxi contém altos níveis de bromelaína, que possui propriedades antiinflamatórias. Há um interesse crescente em suplementos de bromelaína devido às suas propriedades antiinflamatórias.

Para o almoço, experimente estas receitas nutritivas:

7. Chucrute grelhado, hummus e sanduíche de abacate

Escolha esta versão vegetariana saudável do Reuben para um impulso antiinflamatório.

O chucrute contém probióticos essenciais para as bactérias intestinais de uma pessoa. Os probióticos podem ter um impacto na inflamação relacionada à artrite, melhorando a inflamação no trato intestinal.

Este sanduíche grelhado contém todos os benefícios do chucrute, mas contém menos sal e calorias do que o Reuben. Adicionar homus e abacate para substituir a carne, fornece proteínas e uma textura macia e cremosa.

8. Espinafre e feta frittata

Os vegetais de folhas verdes, como espinafre e brócolis, contêm altos níveis de dois polifenóis chamados quercetina e coenzima Q10.

A coenzima Q10 pode reduzir a inflamação em algumas doenças metabólicas, incluindo AR, esclerose múltipla (EM) e diabetes.

Frittatas são rápidos e fáceis de fazer, e as pessoas podem desfrutar de experiências com uma variedade de sabores. Ter uma salada de acompanhamento adiciona mais benefícios dos vegetais.

9. Quinoa e salada de frutas cítricas

Uma salada de quinoa e frutas cítricas não contém glúten e é ótima para pessoas em uma dieta vegana. Quinoa contém muitas proteínas e nutrientes.

Adicione frutas cítricas, como limão, lima ou toranja, à salada para um reforço antioxidante. As frutas cítricas são cheias de vitamina C, que é um importante antioxidante que também pode ajudar a renovar outros antioxidantes no corpo.

A vitamina C também ajuda o corpo a absorver o ferro de fontes vegetais, como espinafre e quinua.

A quinoa é fácil de cozinhar e armazenar, portanto, as pessoas podem prepará-la com antecedência e mantê-la na geladeira até que seja necessária.

10. Salada de lentilha, beterraba e avelã

As saladas de lentilha são uma opção simples e rica em proteínas na hora do almoço para pessoas que seguem uma dieta vegetariana.

Lentilhas e beterrabas aumentam o conteúdo de fibra, enquanto as avelãs fornecem proteínas extras e vitamina E. A vitamina E é um antioxidante.

As beterrabas contêm grandes quantidades de um composto chamado betaína. A betaína é um antiinflamatório e antioxidante.

11. Bife de couve-flor com feijão e tomate

Um bife de couve-flor é uma ótima opção vegetariana e vegana para bife.

A couve-flor é rica em fibras e antioxidantes. Faz parte da família dos vegetais crucíferos. Incluir feijão branco no prato adiciona fibras fermentáveis ​​essenciais para bactérias intestinais saudáveis.

Um estudo descobriu que as mulheres que comeram mais vegetais crucíferos tinham biomarcadores de inflamação mais baixos.

12. Alface enrolada com truta defumada

A truta é um peixe gordo que contém ômega-3 antiinflamatórios.

Para tornar esta refeição mais recheada, experimente usar wraps integrais ou sem glúten, ou adicionar arroz integral como acompanhamento.

Para garantir que esta receita não contém glúten, verifique a etiqueta nutricional no molho de peixe. Se contiver glúten, as pessoas podem optar por deixá-lo de fora. Ignore o molho de pimenta doce para diminuir o teor de açúcar.


9 receitas antiinflamatórias para uma saúde melhor

Smoothie De Morango Vegetal

Duas xícaras de morangos antiinflamatórios, além de vegetais como couve-flor e abobrinha. Além disso, este smoothie rico em nutrientes é cheio de fibras, proteínas e gorduras saudáveis ​​e com certeza irá mantê-lo satisfeito durante toda a manhã.

Espinafre Cozido e Pinhões

Uma dieta antiinflamatória deve incluir muitas folhas verdes como espinafre, e esta receita aumenta seu poder de combate à inflamação com alho e azeite de oliva extra-virgem.

Cúrcuma com leite

A raiz de açafrão da moda ganhou muito entusiasmo por seus benefícios antiinflamatórios para a saúde. No entanto, assim que você embarcar, o maior desafio é descobrir como colocá-lo em sua dieta. Solução: Faça este café com leite com outro alimento que combate a inflamação, a canela.

Salmão Grelhado com Espinafre

Um fósforo de combate a inflamação de peixe e vegetais feito no céu. Já mencionamos que você pode colocar este delicioso jantar na mesa em 15 minutos?

Smoothie de recuperação verde

Se você tentasse maximizar a quantidade de nutrientes que caberia em um copo, você acabaria com este smoothie. E muitos dos produtos misturados - como espinafre, abacate e canela - têm poderes antiinflamatórios.

Pepitas Assadas com Condimento de Canela

Esta é uma maneira de adicionar um pouco de polvilhe anti-inflamação à sua aveia, saladas e sobremesas. Faça essas sementes de abóbora com especiarias de canela e mantenha-as à mão.

Geléia de morango chia

Sim, morangos de novo! Desta vez, estamos transformando-os em geleia sem adição de açúcar e adicionando gorduras saudáveis ​​(via sementes de chia), que são uma parte essencial de uma dieta antiinflamatória.

Macarrão de Abobrinha com Halibute Assado

Em vez dos carboidratos refinados inflamatórios que você obterá de um jantar de macarrão, faça seu macarrão com vegetais e adicione ingredientes antiinflamatórios adicionais como alho, gengibre e um pedaço de peixe.

Salada de Cranberry Noz

Verduras, nozes, azeite, e maçãs? Oh meu! Só não descasque as maçãs antes de jogá-las na tigela - os compostos que combatem a inflamação estão na pele.

Keri Glassman, MS, RD, CDN, é uma renomada nutricionista, especialista em culinária saudável e pensadora do bem-estar. Ela é a fundadora e CEO da Nutritious Life e The Nutritious Life Studio, uma certificação online que oferece educação inovadora e incomparável para indivíduos de várias origens que procuram estabelecer carreiras de sucesso na indústria de saúde e bem-estar.


O alho vem da mesma família allium das cebolas. Ele contém vários compostos antiinflamatórios, incluindo alicina, que inibem mensageiros pró-inflamatórios. Junto com os antioxidantes, demonstrou limitar a progressão da aterosclerose e promover a saúde cardíaca.

As antocianinas conferem cores vermelhas, azuis e roxas vibrantes às frutas vermelhas, mas também são úteis por suas fortes propriedades antiinflamatórias. Foi demonstrado que as antocianinas reduzem a atividade de um composto responsável por iniciar uma ampla gama de processos pró-inflamatórios. Além disso, como antioxidantes, eles limitam o estresse oxidativo.


A melhor dieta antiinflamatória é uma alimentação saudável - receitas

A dieta definitiva para artrite

Saiba quais alimentos da dieta mediterrânea podem ajudar a combater a inflamação causada pela artrite.

Por Amy Paturel

Uma das perguntas mais comuns que as pessoas com artrite fazem é: "Existe uma dieta especial para a artrite?"

Para começar, uma dieta rica em frutas, vegetais, peixes, nozes e feijão, mas com alimentos pouco processados ​​e gordura saturada, não é ótima apenas para a saúde geral, mas também pode ajudar a controlar a atividade da doença. Se esse conselho soar familiar, é porque esses são os princípios da dieta mediterrânea, que é freqüentemente elogiada por seus poderes anti-envelhecimento e de combate a doenças.

Benefícios da dieta mediterrânea

Estudos confirmam que comer alimentos comumente parte da dieta mediterrânea pode fazer o seguinte:
& bull Abaixe a pressão arterial
& bull Proteger contra doenças crônicas, que variam de câncer a derrame
& bull Ajudar a artrite, reduzindo a inflamação
& bull Beneficie as suas articulações e também o seu coração
e touro Levam à perda de peso, o que pode diminuir a dor nas articulações

Abaixo estão os principais alimentos da dieta mediterrânea e por que são tão bons para a saúde das articulações.

Dieta mediterrânea

Quantos: Autoridades de saúde como a American Heart Association e a Academy of Nutrition and Dietetics recomendam de 90 a 120 gramas de peixe, duas vezes por semana. Os especialistas em artrite afirmam que mais é melhor.

Por que: Alguns tipos de peixes são boas fontes de ácidos graxos ômega-3 que combatem a inflamação. Um estudo descobriu que aqueles que consumiam mais ômega-3 tinham níveis mais baixos de duas proteínas inflamatórias: proteína C reativa (PCR) e interleucina-6. Mais recentemente, os pesquisadores demonstraram que tomar suplementos de óleo de peixe ajuda a reduzir o inchaço e a dor nas articulações, a duração da rigidez matinal e a atividade da doença entre pessoas com artrite reumatóide (AR).

Melhores fontes: Salmão, atum, sardinha, arenque, anchova, vieira e outros peixes de água fria. Odeio peixe? Pegue um suplemento. Estudos mostram que tomar 600 a 1.000 mg de óleo de peixe diariamente alivia a rigidez, sensibilidade, dor e inchaço das articulações.

NUTS & amp SEEDS

Quantos: Coma 1,5 onças de nozes por dia (uma onça equivale a um punhado).

Por que: "Vários estudos confirmam o papel das nozes em uma dieta antiinflamatória", explica Jos & eacute M. Ordov & aacutes, PhD, diretor de nutrição e genômica do Centro de Pesquisa em Nutrição Humana Jean Mayer USDA sobre Envelhecimento da Tufts University em Boston. Um estudo descobriu que ao longo de um período de 15 anos, homens e mulheres que consumiram mais nozes tiveram um risco 51% menor de morrer de uma doença inflamatória (como a AR) em comparação com aqueles que comeram menos nozes. Outro estudo descobriu que os indivíduos com níveis mais baixos de vitamina B6 e ndash encontrados na maioria das nozes e ndash tinham níveis mais altos de marcadores inflamatórios.

Mais boas notícias: As nozes estão repletas de gordura monoinsaturada que combate a inflamação. E embora eles sejam relativamente ricos em gordura e calorias, estudos mostram que comer nozes promove a perda de peso porque suas proteínas, fibras e gorduras monoinsaturadas são saciantes. “Apenas tenha em mente que mais nem sempre é melhor”, diz Ordov & aacutes.

Melhores fontes: Nozes, pinhões, pistácios e amêndoas.

FRUTAS E VEGETARIANOS

Quantos: Procure comer nove ou mais porções diárias (uma porção equivale a uma xícara da maioria dos vegetais ou frutas ou duas xícaras de verduras cruas).

Por que: Frutas e vegetais são carregados de antioxidantes. Esses potentes produtos químicos atuam como o sistema de defesa natural do corpo, ajudando a neutralizar moléculas instáveis ​​chamadas radicais livres, que podem danificar as células. A pesquisa mostrou que as antocianinas encontradas em cerejas e outras frutas vermelhas e roxas como morangos, framboesas, mirtilos e amoras têm um efeito antiinflamatório.

Mais boas notícias: Frutas cítricas, como laranjas, toranjas e limas, são ricas em vitamina C. Pesquisas mostram que obter a quantidade certa dessa vitamina auxilia na prevenção da artrite inflamatória e na manutenção de articulações saudáveis. Outra pesquisa sugere que comer vegetais ricos em vitamina K como brócolis, espinafre, alface, couve e repolho reduz drasticamente os marcadores inflamatórios no sangue.

Melhores fontes: Frutas e vegetais coloridos - quanto mais escura ou mais brilhante a cor, mais antioxidantes ela tem. Os bons incluem mirtilos, cerejas, espinafre, couve e brócolis.

AZEITE

Quantos: Duas a três colheres de sopa por dia.

Por que: O azeite de oliva é carregado com gorduras saudáveis ​​para o coração, assim como oleocanthal, que tem propriedades semelhantes às drogas antiinflamatórias não esteróides (AINEs). & ldquoOleocanthal inibe a atividade das enzimas COX, com uma ação farmacológica semelhante ao ibuprofeno, & rdquo diz Ordov & aacutes. A inibição dessas enzimas amortece os processos inflamatórios do corpo e reduz a sensibilidade à dor.

Melhores fontes: O azeite de oliva extra virgem passa por menos refino e processamento, portanto, retém mais nutrientes do que as variedades padrão. E não é o único óleo com benefícios para a saúde. Os óleos de abacate e cártamo mostraram propriedades redutoras do colesterol, enquanto o óleo de noz tem 10 vezes mais ômega-3 que o azeite de oliva.

FEIJÕES

Quantos: Cerca de uma xícara, duas vezes por semana (ou mais).

Por que: Os feijões são carregados de fibras e fitonutrientes, que ajudam a reduzir a PCR, um indicador de inflamação encontrado no sangue. Em níveis elevados, a CRP pode indicar qualquer coisa, desde uma infecção até AR. Em um estudo, os cientistas analisaram o conteúdo nutricional de 10 variedades de feijão comum e identificaram uma série de compostos antioxidantes e antiinflamatórios. O feijão também é uma fonte excelente e barata de proteína e tem cerca de 15 gramas por xícara, o que é importante para a saúde muscular.

Melhores fontes: Feijão vermelho pequeno, feijão vermelho e feijão pinto estão entre os quatro principais alimentos que contêm antioxidantes do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (mirtilos silvestres estão em segundo lugar).

GRÃOS INTEIROS

Quantos: Coma um total de 180 gramas de grãos por dia, pelo menos três dos quais devem vir de grãos inteiros. Uma onça de grão integral seria igual a & frac12 xícara de arroz integral cozido ou uma fatia de pão de trigo integral.

Por que: Os grãos integrais contêm muitas fibras de enchimento e ndash, que podem ajudá-lo a manter um peso saudável. Alguns estudos também mostraram que alimentos ricos em fibras podem reduzir os níveis sanguíneos de PCR, um marcador inflamatório.

Melhores fontes: Coma alimentos feitos com o grão inteiro, como farinha de trigo integral, aveia, bulgur, arroz integral e quinua. Algumas pessoas podem precisar ter cuidado com os grãos inteiros que comem. Glúten & ndash uma proteína encontrada no trigo e outros grãos & ndash tem sido associada à inflamação em pessoas com doença celíaca (DC) ou sensibilidade ao glúten.

VEGETAIS DE NIGHTSHADE

Por que: Legumes Nightshade, incluindo berinjela, tomate, pimentão vermelho e batata, são potências no combate a doenças que oferecem nutrição máxima com calorias mínimas.

Por que não: Eles também contêm solanina, um produto químico que foi considerado o culpado pela dor da artrite. Não há evidências científicas que sugiram que as beladonas desencadeiam crises de artrite.

Teste-o: Alguns especialistas acreditam que esses vegetais contêm uma potente mistura de nutrientes que ajuda a inibir a dor da artrite. No entanto, muitas pessoas relatam alívio dos sintomas quando evitam vegetais de erva-moura. Portanto, se você notar que a dor da artrite aumenta depois de comê-los, considere eliminar todos os vegetais de erva-moura de sua dieta por algumas semanas para ver se isso faz diferença. Em seguida, adicione-os lentamente de volta à sua dieta para ver se os sintomas pioram ou permanecem os mesmos.


O que é inflamação?

A inflamação é a maneira que seu corpo usa para sinalizar seu sistema imunológico para curar e reparar tecidos danificados ou para se defender de compostos prejudiciais, como bactérias e vírus. Sangue e fluidos que transportam células do sistema imunológico e proteínas plasmáticas para a área em perigo ou lesionada costumam causar vermelhidão, calor ou inchaço que sentimos após o exercício ou quando está ruim. Mas tudo isso faz parte do processo natural de cura do corpo e nem sempre é uma coisa ruim.

Existem dois tipos de inflamação - aguda e crônica. A inflamação aguda pode realmente ser saudável, pois ocorre temporariamente durante a recuperação de um treino ou de uma doença. A inflamação crônica é o que você deve estar atento.

A diferença entre a inflamação aguda e a crônica é que a inflamação aguda é uma maneira de resolver os problemas de combater compostos indesejados no corpo, enquanto a inflamação crônica é uma causa de problemas e de longa duração. A inflamação crônica afeta sistemas inteiros dentro do corpo por um período prolongado de tempo e é considerada um fator de risco para muitas doenças crônicas comuns, como doenças cardíacas, câncer, diabetes e até depressão.


Cinco receitas vegetarianas antiinflamatórias que os nutricionistas confiam para um intestino saudável e perda de gordura

Se você deseja melhorar sua saúde geral, o primeiro ajuste que deve fazer em sua dieta é incluir uma variedade maior de vegetais em suas refeições. Eles não só são baixos em calorias e ricos em nutrientes essenciais necessários para uma perda de peso saudável, mas também permitem que seu corpo funcione com mais eficiência, melhorando sua qualidade de vida e até mesmo estendendo sua expectativa de vida. Para melhorar seus hábitos alimentares e ajudar na perda de peso nesta primavera, estas são as cinco receitas que você precisa integrar em seu menu esta semana para tornar a ingestão de vegetais fácil e deliciosa!

Tigela Vegetariana Antiinflamatória

Esta tigela embalada com vegetais é o almoço saudável perfeito para mantê-lo cheio e satisfeito sem perder o sabor. Com o açafrão-da-índia antiinflamatório incluído na receita, qualquer inchaço que você possa estar experimentando terá uma chance depois de comer esta refeição. Além disso, é vegano, então você não sofrerá de inflamação induzida por intolerância à lactose.

Ingredientes: Abóbora, couve-flor, cebola, rabanete vermelho, couve de Bruxelas, alho, óleo de cozinha, canela em pó, gengibre, cominho, açafrão, coentro, páprica, sal marinho, pimenta preta, tahine, limão, xarope de bordo, sal marinho, água, arroz integral, grão de bico

Curry Veggie Antiinflamatório

O curry é uma refeição farta e saudável, repleta de nutrientes para ajudá-lo em sua jornada para a saúde. Esta receita também inclui açafrão, o que o torna ideal para cortar o inchaço, e servido sobre uma base de arroz integral, este prato cobre todos os macronutrientes essenciais necessários para a perda de peso.

Ingredientes: Arroz integral, brócolis, couve-flor, alho, caldo vegetal, grão de bico, ervilha-doce enlatada, gengibre, garam masala, açafrão, pimenta do reino, tomate pelado inteiro, leite de coco

Batata Frita Antiinflamatória

Fritar é fácil de preparar nas noites agitadas, quando você não quer se esforçar muito nas refeições, mas ainda quer comer algo delicioso. Carregado com vegetais antiinflamatórios e ótimo sabor, este prato se tornará rapidamente um prato básico para um jantar saudável em que você pode confiar!

Ingredientes: Cebola, sal e pimenta, açafrão, curry em pó, alho, gengibre, azeite, frango, brócolis, pimentão, ervilhas, castanha de caju, arroz de jasmim, molho de soja, óleo de gergelim, mel picante, amido de milho

Couve-flor assada

A couve-flor é um vegetal incrivelmente versátil que pode ser preparado de várias maneiras diferentes, mantendo a sua dieta fresca para perder peso. Esta receita antiinflamatória é um ótimo acompanhamento para quando você está se sentindo inchado e está em busca de algo leve para satisfazer seus apetitosos desejos ao mesmo tempo que oferece muitos benefícios para a saúde.

Ingredientes: Couve-flor, azeite, cúrcuma, cominho, sal e pimenta

Salada de Couve Antiinflamatória

A couve é conhecida por ser excelente para a sua saúde, por isso, servindo de base para esta salada, irá fornecer-lhe as vitaminas e antioxidantes necessários para uma alimentação equilibrada. Misturando sabores doces e salgados, esta salada é um delicioso prato autônomo, ou pode ser feito como acompanhamento de frango, macarrão ou qualquer outra refeição que você possa preparar!

Ingredientes: Couve, mirtilo, cerejas escuras sem caroço, cenoura desfiada, repolho roxo, amêndoas, algas marinhas, sementes de gergelim torradas


Receitas de chefs famosos para sua dieta antiinflamatória

Uma dieta antiinflamatória pode aliviar a dor dos sintomas da artrite reumatóide. Experimente estas 9 receitas saudáveis ​​e de dar água na boca de chefs famosos como Gordon Ramsay e Rachael Ray.

Você comeu um arco-íris de comida antiinflamatório hoje? Pode ajudar a aliviar a dor nas articulações e a rigidez da artrite reumatóide. Comer mais frutas e vegetais coloridos, grãos inteiros, peixes e gorduras saudáveis ​​como o azeite - a base de uma dieta antiinflamatória rica em antioxidantes - pode ajudar os pacientes com AR a se manterem saudáveis. Isso porque os antioxidantes podem reduzir o estresse oxidativo, que é conhecido por contribuir para condições inflamatórias como a artrite, explica Sheila West, PhD, professora associada de saúde biocomportamental da Penn State University, que liderou um estudo de 2011 publicado em The Journal of Nutrition. Pessoas que comeram mais frutas e vegetais ricos em antioxidantes tiveram níveis mais baixos de proteína C reativa no sangue, que aumentam em resposta à inflamação, de acordo com um estudo italiano de 2012 publicado em Nutrição, Metabolismo e Doenças Cardiovasculares. Como um bônus, esses alimentos podem evitar o excesso de peso, o que adiciona estresse às articulações, de acordo com Venus Ramos, MD, um especialista em medicina física e reabilitação em Long Beach, Califórnia. Mas preparar refeições saudáveis ​​não significa que você precisa passar horas em um fogão quente. Escolhemos alguns dos melhores chefs do país - Cat Cora, Giada De Laurentiis, Gordon Ramsey e Bobby Flay, para citar alguns - para seus melhores pratos de baixa caloria que são ricos em ingredientes antiinflamatórios. Leia as receitas de nove chefs famosos que podem ajudar mulheres com artrite reumatóide a se manterem saudáveis. Famous chefs’ recipe for your anti-inflammatory diet #1: Cat Cora
“Iron Chef America” and Food Network star Cat Cora has authored several books, including Cooking From the Hip: Fast, Easy, Phenomenal Meals (Houghton Mifflin Harcourt). Here’s one of her favorite cold-weather recipes: a spicy, hearty chili blanca (“white chili”) that gets its name from the use of chicken instead of beef and white beans instead of kidney beans – along with other anti-inflammatory, antioxidant ingredients, such as olive oil, onion, cilantro, cumin, cayenne and chili powder. White Bean and Chicken Chili Blanca
Serves: 8-10
Tempo de preparação: 20 minutos
Cook time: 1 hour Ingredientes
1 pound chicken tenders or boneless, skinless chicken breasts
2 colheres de sopa de azeite virgem extra
1 medium onion, diced
2 dentes de alho
2 15-ounce cans white or great northern beans, drained and rinsed
1 cup corn kernels, fresh or frozen and thawed
1 4-ounce can chopped green chiles
2 teaspoons ground cumin
2 teaspoons pure chili powder
1/8 colher de chá de pimenta caiena
3 cups water
2 cups grated Monterey Jack cheese
2 tablespoons fresh cilantro, chopped Preparação
1. Season the chicken with salt and pepper. 2. In a large saucepan, heat oil over high heat, add chicken pieces and cook, stirring until browned, 2-3 minutes. 3. Lower the heat to medium, add onion and garlic. Cook until the onion is translucent, 5-6 minutes. 4. Add the beans, corn, chilies, spices and water. Bring to a boil, reduce heat to low and simmer uncovered for 1 hour. 5. Top each serving with a spoonful of cheese and sprinkling of cilantro.

Famous chefs’ recipe for your anti-inflammatory diet #2: Gordon Ramsay
Star of numerous TV shows, including Fox Broadcasting’s “Hell’s Kitchen” and “Kitchen Nightmares,” British chef Gordon Ramsay says he doesn’t care for “faddy diets.” But he does believe in serving “healthy food without jeopardizing taste and flavor,” as he notes in his book Gordon Ramsay’s Healthy Appetite: 125 Super-Fresh Recipes for a High-Energy Life (Sterling Epicure). Anti-inflammatory ingredients here include sweet potatoes, olive oil, chives, lemon and Tabasco sauce. Sweet Potato Frittata With Tomato Salsa
Serve: 2
Prep time: 10 minutes
Cook time: 10 minutes Ingredientes
For the frittata
1 large sweet potato, about 7-8 ounces
1 colher de sopa de azeite
1 chalota, descascada e picada
Sal marinho
Pimenta preta
4 ovos grandes
Small handful of chives, finely snipped For the tomato salsa
8 ounces vine-ripened plum tomatoes
2 green onions, trimmed and thinly sliced on the diagonal
Handful of cilantro leaves, chopped
Juice of 1/2 lemon
3 colheres de sopa de azeite virgem extra
1 tablespoon sesame oil
Dash of Tabasco sauce
Pinch of sugar (optional) Preparação
For the salsa:
1. To make the salsa, halve or quarter the tomatoes and place in a large bowl. Add the remaining ingredients and mix well, seasoning to taste with salt and pepper, and a pinch of sugar if you like. Deixou de lado. For the frittata:
1. Heat the broiler to its highest setting. 2. Peel the sweet potato and cut into ½-inch cubes. Heat a nonstick omelet pan or skillet (suitable for use under the broiler) and add the olive oil. 3. When oil is hot, toss in the potato and shallot, and season well with salt and pepper. Cook over medium heat, turning occasionally, for about 4-5 minutes until potatoes are just tender and lightly golden at the edges. 4. Beat eggs lightly in a bowl, add chives, and pour over sweet potatoes. Shake the pan gently to distribute the ingredients. Cook over low heat, without stirring, for a few minutes until the eggs begin to set at the bottom and around the sides. 5. Place the pan under the hot broiler briefly until the top of the frittata has set. Don't overcook the eggs or they will turn rubbery. Let stand for a minute, then run a heatproof plastic spatula around the sides of the pan and invert the frittata onto a large plate. 6. Spoon the tomato salsa into a neat pile on top and serve immediately.

Famous chefs’ recipe for your anti-inflammatory diet #3: Giada De Laurentiis
Italian-born, Southern California-raised chef Giada De Laurentiis hosts “Giada at Home” on the Food Network. She has written several cookbooks, including Everyday Italian: 125 Simple and Delicious Recipes e Weeknights With Giada: Quick and Simple Recipes to Revamp Dinner (both Clarkson Potter). Her roasted chicken recipe below is a juicy, low-calorie, heart-healthy favorite from Everyday Italian, with heart-healthy balsamic vinegar, lemons and olive oil. Roasted Chicken With Balsamic Vinaigrette
Serve: 4
Prep time: 15 minutes
Cook time: 1 hour (plus 2 to 24 hours for chicken to marinate) Ingredientes
1/4 cup balsamic vinegar
2 tablespoons Dijon mustard
2 colheres de sopa de suco de limão fresco
2 garlic cloves, chopped
2 colheres de sopa de azeite
Sal
Freshly ground black pepper
1 (4-pound) whole chicken, cut into pieces (reserve giblets, neck and backbone for another use)
1/2 cup low-salt chicken broth
1 colher de chá de raspas de limão
1 colher de sopa de folhas de salsa fresca picada Preparação
1. Whisk the vinegar, mustard, lemon juice, garlic, olive oil, salt and pepper in small bowl to blend. 2. Combine the vinaigrette and chicken pieces in a large, resealable plastic bag seal the bag and toss to coat. Refrigerate, turning the chicken pieces occasionally, for at least 2 hours and up to one day. 3. Preheat the oven to 400 degrees F. Remove chicken from the bag and arrange pieces on a large, greased baking dish. 4. Roast until the chicken is just cooked through, about 1 hour. If your chicken browns too quickly, cover it with foil for the remaining cooking time. 5. Transfer the chicken to a serving platter. 6. Place the baking dish on a burner over medium-low heat. Whisk the chicken broth into the pan drippings, scraping up any browned bits on the bottom of the baking sheet with a wooden spoon and mixing them into the broth and pan drippings. (If you want to decrease saturated fat even further, you can skip this step.) 6. Drizzle the pan drippings over the chicken. Sprinkle the lemon zest and parsley over the chicken and serve.

Famous chefs’ recipe for your anti-inflammatory diet #4: The Barefoot Contessa
Chef Ina Garten hosts the Food Network program “Barefoot Contessa” and has written nearly a dozen books, including Barefoot Contessa Foolproof: Recipes You Can Trust (Clarkson Potter). She specializes in elegant but easy recipes, including this winter favorite. To reduce the recipe’s sodium content (1,400 mg as written) by at least half, use only half a tablespoon of kosher salt, substitute low-sodium chicken stock and skip the Parmesan. Your heart will thank you for all the lentils, onions and garlic, as well as the olive oil, cumin and veggies. Lentil Vegetable Soup
Serves: 8-10
Tempo de preparação: 20 minutos
Cook time: 1 hour, 30 minutes Ingredientes
1 pound French green lentils, dry
4 cups chopped yellow onions (3 large onions)
4 cups chopped leeks, white part only (2 leeks)
1 tablespoon minced garlic (3 cloves)
1/4 cup good olive oil, plus additional for drizzling on top
1 colher de sopa de sal kosher
1- ½ teaspoons freshly ground black pepper
1 tablespoon minced fresh thyme leaves or 1 teaspoon dried
1 colher de chá de cominho moído
3 cups medium-diced celery (8 stalks)
3 cups medium-diced carrots (4-6 carrots)
3 quarts chicken stock
1/4 cup tomato paste
2 tablespoons red wine or red wine vinegar
Freshly grated Parmesan cheese Preparação
1. In a large bowl, cover the lentils with boiling water and let sit for 15 minutes. Ralo. 2. In a large stockpot over medium heat, sauté the onions, leeks, and garlic with the olive oil, salt, pepper, thyme and cumin for 20 minutes, until the vegetables are translucent and very tender. 3. Add the celery and carrots and sauté for 10 minutes. 4. Add the chicken stock, tomato paste and lentils. Cover and bring to a boil. Reduce heat and simmer uncovered for 1 hour, until the lentils are cooked through. 5. Check the seasonings. Add the red wine and serve hot, drizzled with olive oil and sprinkled with grated Parmesan.

Famous chefs’ recipe for your anti-inflammatory diet #5: Bobby Flay
Food Network grillmaster Bobby Flay is a chef, restaurateur and author of 15 cookbooks, including Bobby Flay’s Barbecue Addiction (Clarkson Potter). He’s also star, host or judge on numerous Food Network shows, including “Grill It! With Bobby Flay” and “Bobby Flay’s Barbecue Addiction.” This high-fiber vegetarian salad has plenty of anti-inflammatory properties from avocado, onion, spices and olive oil, and only 158 mg of sodium per 313-calorie serving. Grilled Eggplant Salad
Serve: 4
Prep time: 15 minutes
Cook time: 10 minutes Ingredientes
1 Italian eggplant, cut into 1-inch-thick slices
1 large red onion, cut into rounds
Óleo de canola
1 avocado, halved, pitted, peeled and chopped
1 colher de sopa de vinagre de vinho tinto
1 colher de chá de mostarda dijon
1 tablespoon coarsely chopped oregano leaves
Mel
Azeite
Sal
Freshly ground black pepper
1 lemon, zested
Parsley sprigs, for garnish Preparação
1. Brush the eggplant and red onions with canola oil and arrange on the grill. Cook the eggplant until soft and grill the onions until they have a slight char. 2. Remove from the grill to a cutting board and let cool slightly. Once cool, roughly chop and add them to a serving bowl along with the avocado. 3. In a small bowl, whisk together the red wine vinegar, Dijon and oregano. 4. Add honey and olive oil, to taste, and blend until emulsified. Tempere com sal e pimenta a gosto. 5. Add the dressing to the eggplant mixture and toss. 6. Garnish with lemon zest and parsley sprigs. Servir.

Famous chefs’ recipe for your anti-inflammatory diet #6: Robert Irvine
These days, Robert Irvine is probably as famous for rescuing failing eateries on his popular Food Network show “Restaurant: Impossible” as he is as a working chef. The author of two cookbooks, including Impossible to Easy: 111 Delicious Recipes to Help You Put Great Meals on the Table Every Day (William Morrow Cookbooks), and a self-described health nut, he created this soup recipe that has almost no saturated fat, 13.5 grams of fiber and only 285 calories per serving. Anti-inflammatory ingredients include beans, broccoli, onion and garlic. Everything But the Kitchen Sink
Serve: 6
Prep time: 15 minutes
Cook time: 1 hour Ingredientes
1 tablespoon grapeseed oil
Sal kosher
Freshly ground black pepper
2 small yellow squash, cut into 1/2-inch slices
2 carrots, peeled and quartered lengthwise
1 cebola média, picada
2 tablespoons minced garlic
2 large potatoes, rinsed and diced in large pieces
2 quarts vegetable stock
1 cup canned navy beans, rinsed and drained
1 cup canned kidney beans, rinsed and drained
1 bay leaf, crumbled
2 teaspoons minced thyme leaves
2 cups broccoli florets
2 medium Roma tomatoes, chopped Preparação
1. Preheat oven to 350 degrees F. 2. In a large bowl, whisk together grapeseed oil with salt and pepper to taste. Add the squash, carrots, onion, garlic and potatoes, tossing to coat. 3. Put coated vegetables on a sheet pan and roast until the onions are translucent, about 20-25 minutes. 4. Meanwhile, in large stock pot, over medium heat, add the stock, beans, bay leaf and thyme cook for 10 minutes, stirring occasionally. 5. With a hand blender, pulse stock and bean mixture until the beans are slightly pureed. 6. Remove the vegetables from oven and add to pot, then stir in the broccoli and tomatoes. Cook until all vegetables are cooked through, about 30-35 minutes. Note: A cornstarch and water mixture or a light roux can be blended in to thicken the soup.

Famous chefs’ recipe for your anti-inflammatory diet #7: Rachael Ray
Rachael Ray has written more than two dozen cookbooks since 1999 and undoubtedly is working on more. My Year in Meals (Atria Books) lets fans of her TV shows glimpse inside her home kitchen to see how she cooks up all those 30-minute meals. This recipe is rich in omega-3 fatty acids from the salmon, and has plenty of heart-healthy olive oil, cucumber, vinegar and red onion. Well-Dressed Salmon
Serve: 4
Prep time: 10 minutes
Cook time: 15 minutes Ingredientes
1/2 seedless cucumber
2 small plum tomatoes
1 shallot or 1/4 red onion, finely chopped, divided
2 tablespoons Dijon mustard
2 colheres de açúcar
1/4 cup white wine vinegar
1/2 cup extra-virgin olive oil, plus a drizzle
1/4 cup finely chopped fresh dill
Sal
Freshly ground black pepper
4 (6 onças) de filés de salmão sem pele
Seafood seasoning (recommended: Old Bay) Preparação
1. Dice cucumber into 1/4-inch pieces – to peel or not to peel is up to you. Seed and dice the tomatoes into 1/4-inch pieces. Combine cucumber, tomatoes and half the shallots or red onion in a bowl and set aside. 2. In a small bowl, whisk together mustard, sugar and white wine vinegar and remaining half of the shallots. Stream in extra-virgin olive oil while continuing to whisk. Stir in dill and season dressing with salt and pepper to taste. 3. Season the salmon with seafood seasoning and a little black pepper. 4. Heat a nonstick skillet with a drizzle of extra-virgin olive oil over medium-high heat. Place salmon rounded side down and cook until golden and a little crispy at the edges, 3-4 minutes. Flip and cook 2 minutes more for a pink center, or 4 minutes for opaque fish. 5. Transfer salmon to dinner or serving plates, top with the cucumber-tomato relish and cover with a liberal amount of dill dressing.

Famous chefs’ recipe for your anti-inflammatory diet #8: Bobby Deen
The son of Southern cooking maven Paula Deen, Bobby Deen is the author of From Mama’s Table to Mine: Everybody's Favorite Comfort Foods at 350 Calories or Less (Ballantine Books). He’s on a mission to preserve the “comfort food” flavor of the meals he grew up on, but with a lot less fat and fewer calories. This coleslaw recipe offers plenty of heart-healthy, antioxidant-rich broccoli, cabbage, lemon and onions, at around 90 calories per serving. The Son’s Slaw
Serve: 6
Prep time: 15 minutes
Cook time: None Ingredientes
3 cups broccoli slaw (shredded raw broccoli)
1 head shredded cabbage
1/4 cup nonfat Greek yogurt
2 colheres de sopa de maionese
1 tablespoon freshly squeezed lemon juice
1 tablespoon fresh lemon zest
1 tablespoon apple cider vinegar
2 teaspoons honey
1/2 teaspoon House Seasoning (recipe follows)
1/8 cup chopped fresh parsley leaves
1 green onion, chopped For the House Seasoning (mix until well combined)
1 cup salt
1/4 cup pepper
1/4 cup garlic powder Preparação
1. Combine the broccoli slaw and cabbage in a large bowl. 2. Whisk together the yogurt, mayonnaise, lemon juice and zest, vinegar, honey and 1/2 teaspoon of the House Seasoning. Pour the dressing over the slaw and toss well to coat. 3. Add the parsley and green onions and toss again. 4. Cover with plastic wrap and chill for 1 hour before serving.

Famous chefs’ recipe for your anti-inflammatory diet #9: Sandra Lee
New York’s Sandra Lee, host of the Food Network's “Sandra's Money-Saving Meals,” has more than two dozen books to her credit, including Sandra Lee Semi-Homemade The Complete Cookbook (John Wiley & Sons). Although she’s best known for her desserts and everyday comfort foods, this easy-to-make recipe is full of healthful ingredients, including onions, carrots, bell peppers, olive oil and chickpeas – which contain two anti-inflammatory chemicals, kaempferol and quercetin, according to Vancouver registered dietitian Desiree Nielsen, RD. Chickpea Salad
Serve: 4
Prep time: 10 minutes
Cook time: None Ingredientes
2 (19-ounce) cans of chickpeas, drained and rinsed
1 carrot, grated
1/2 red onion, diced
1/2 green bell pepper, diced
1/4 xícara de suco de limão
2 colheres de sopa de azeite
Sal
Freshly ground black pepper
1/4 cup freshly chopped parsley leaves Preparação
1. Combine all ingredients in a large mixing bowl and toss. To learn more about anti-inflammatory ingredients, read Anti-Inflammatory Diet Tips for Rheumatoid Arthritis and Top 10 Foods to Fight Inflammation. For more information and expert advice, visit Lifescript’s Rheumatoid Arthritis Health Center.


9 Anti-Inflammatory Drink Recipes You Should Be Drinking

1.Spicy Golden Milk (Turmeric Tea)

2. Green Turmeric Lemonade

3. Coconut Autoimmune Paleo Smoothie

4. Anti-Inflammatory Golden Milk Smoothie

5. Ginger turmeric shots

6. Detoxifying & Anti-inflammatory Herbed Olive Oil

7. Pomegranate Juice

8. Probiotic Rich Vegan Sour Cream

9. Healthy Pineapple Strawberry + Turmeric Smoothie

Chronic inflammation is terrible and can lead to tons of lifestyle diseases that you wouldn’t want! That’s why, as early as now, you should start having an anti-inflammatory diet and maintaining a good lifestyle!

Pin These…

Anyway, have you experienced inflammation before? How did you reduce it? And also, which of the anti-inflammatory diet recipes are you willing to try out first?

Would love to hear your thoughts in the comments below…

Disclaimer: This is a collaborative post featuring all the food bloggers who shared their anti-inflammatory diet recipes.