Receitas de coquetéis, destilados e bares locais

As 8 dietas mais loucas de Beyoncé

As 8 dietas mais loucas de Beyoncé

Limonada apimentada com xarope de bordo, descargas de água salgada e exercícios contínuos: os segredos por trás do corpo de Beyoncé

DFree / Shutterstock

Beyoncé nunca deixa de parecer impecável. Quer ela esteja se apresentando no palco com uma malha e meia-calça cintilante, posando de biquíni ou pisando no tapete vermelho com um vestido de baile transparente, sua figura é a fonte de vários ataques de inveja do corpo de mulheres por toda parte o mundo. Contudo, Beyoncé é sempre o primeiro a explicar que sua figura não aparece facilmente. Ela disse repetidamente em entrevistas que não é naturalmente magra e que precisa trabalhar muito para manter o corpo em forma. Manter essas curvas exige muito trabalho e atenção. Cada. Solteiro. Dia.

As 8 dietas mais loucas de Beyoncé

DFree / Shutterstock

Beyoncé nunca deixa de parecer impecável. Dia.

Refeição de trapaça de Beyoncé

istockphoto.com

Nós pensamos que apenas por ter um cheat dia por semana, estávamos bem. Aparentemente não. Beyoncé se limita a no máximo uma trapaça refeição por semana, e esta refeição normalmente consiste em algumas fatias de pizza e um copo de vinho. Provavelmente não deveríamos ter comido aquela pizza inteira e, de alguma forma, terminado aquela garrafa de vinho na noite de terça-feira.

Dieta Diária de Beyoncé

A dieta diária de Beyoncé é maluca o suficiente para nós: mexido claras de ovo ou um smoothie de vegetais no café da manhã, seguido de peixe com legumes cozidos no vapor no almoço e no jantar. Estamos perdendo alguns carboidratos e um pouco de açúcar lá. Nós sabemos com certeza que comer isso todos os dias realmente não seria muito divertido.

Ingestão de água de Beyoncé

istockphoto.com

Enquanto fazemos o nosso melhor para beber os dois litros e meio recomendados de agua por dia, Beyoncé está ocupada consumindo um galão de agua com limão, todos os dias. Ela jura que essa quantidade de água é o que ela precisa para hidratar, desintoxicar e refrescar sua mente e seu corpo.

Rotina de treino de Beyoncé

A.Ricardo / Shutterstock

O tempo de treino semanal de Beyoncé chega a 70 horas por semana. Sim, 70 horas por semana. Isso é mais tempo do que você gasta no trabalho e mais tempo do que você gasta dormindo. Cinco dias por semana, ela treina com um personal trainer levantando pesos, correndo e fazendo outros exercícios aeróbicos. Uma vez por semana, ela se alonga em um ioga aula, e na maioria dos dias ela passa até nove horas por vez treinando, ensaiando sua coreografia. Estamos cansados ​​só de pensar sobre tudo isso.

Dieta do xarope de bordo

Esta é provavelmente a dieta mais comentada dos últimos anos. O anúncio de Beyoncé de que ela havia perdido 9 quilos em menos de duas semanas fez com que todos nós implorássemos para descobrir o porquê. A resposta foi esta xarope de bordo dieta, também conhecida como Master Cleanse. Esta dieta consiste em trocar todos os alimentos e bebidas por uma mistura de limonada picante feita de limões, xarope de bordo grau B e Pimenta-caiena. Beba isso nove vezes ao dia, talvez acompanhado por um diário resplendor de sal - um copo de água salgada - por quantos dias você aguentar, e você pode ter uma figura como Beyoncé. Você provavelmente também estaria faminto, mal-humorado e doente. Não recomendamos que você tente este em casa.

Proteína Pós-Gravidez

Depois de dar à luz Blue Ivy Carter em 2012, Beyoncé estava desesperada para ter sua figura de volta o mais rápido possível. Sua solução foi uma dieta rica em proteínas intensas e a retomada de sua demorada rotina de exercícios. Neste regime, o café da manhã era clara de ovo mexida, o almoço era rodelas de peru e alcaparras, os lanches eram pepino com vinagre e limão, e o jantar foi sashimi de yellowtail com jalapeños e wasabi. Ocasionalmente, ela se entregava a um iogurte congelado.

Almoço de tomate e pepino

istockphoto.com

A primeira dieta realmente maluca de Beyoncé foi descoberta nos dias de Destiny’s Child. Ela passou por uma fase de comer apenas seis fatias de tomate e quatro fatias de pepino para o almoço. Sim, isso realmente era tudo. Seis fatias de tomate e quatro fatias de pepino. Não estamos nem mesmo tentados a dar uma chance a este: de jeito nenhum vamos sobreviver à tarde sem isso.

Desafio Vegano de 22 dias

Se a Rainha B quiser perder peso de uma maneira um pouco menos insana, permitindo-se mais de duas semanas, e não pretendendo perder 20 quilos, ela passa a seguir uma dieta vegana rígida por 22 dias. Alegadamente, leva 21 dias para quebrar um hábito, então 22 dias de vegano comer deve ser o suficiente para mudar sua rotina alimentar habitual. Sua obsessão com essa tática de perda de peso é o que a levou a lançar “Nutrição de 22 dias,”Seu serviço de entrega de refeições veganas, com seu treinador Marco Borges.


Dieta vegana de 22 dias de Beyoncé: Eu tentei e perdi 8 quilos

Deixando de lado a perda de peso, evitar carne, laticínios, soja e glúten teve um grande impacto.

Desafio de dieta vegana de Beyoncé e # x27s para fãs

& # 151 - Minha família comemora marcos importantes indo a churrascarias e fazendo pedidos como se nunca mais fosse comer.

Ao longo da última década, mais ou menos, tivemos muita sorte: cantei "Parabéns pra você" para meu irmão na Peter Luger Steak House e no Palm na cidade de Nova York, onde moro. Eu brindei ao aniversário de casamento dos meus pais no Precinct em minha cidade natal, Cincinnati, Ohio. Marquei minha formatura na Gibsons em Chicago e a de minha irmã em St. Elmo em Indianápolis.

Para mim, um jantar de bife glutão com saladas cobertas com molho de queijo azul, batatas assadas carregadas e garrafas de vinho tinto significa que a vida é boa.

Sempre achei que as celebridades não comem assim, mesmo em ocasiões felizes, e é assim que ficam tão magras. Afinal, a vida está cheia de compensações. Mas depois que Beyoncé apareceu no Met Gala com essa aparência, eu admito, fiquei curioso: como um ser humano pode ser assim? O que alguém precisa fazer para alcançar esse tipo de corpo?

Aqui está a resposta: ela trabalhou com o fisiologista do exercício Marco Borges por anos e até mesmo escreveu a versão preliminar de seu novo livro, “The 22-Day Revolution”. Borges defende uma dieta baseada em vegetais e acredita que se levar 21 dias para mudar um hábito, os devotos precisam se tornar veganos e sem álcool por 22 dias. Ele também sugere evitar soja e glúten.

É restritivo sim, mas de acordo com Beyoncé, que lançou uma linha de alimentos preparados com Borges no início deste ano, funciona. Então, em nome do jornalismo - e da temporada de maiôs - concordei em dar uma olhada.

Para fazer esse desafio, eu tinha duas opções: podia pedir os pratos preparados de Borges e Beyoncé ou prepará-los eu mesmo. Eu escolhi o último caminho por alguns motivos, mas principalmente porque não achava que cozinhar minha comida no micro-ondas levaria a hábitos mais saudáveis ​​a longo prazo. (Foi também porque três refeições por dia durante três semanas teriam custado cerca de US $ 600).

Eu aprendi rapidamente que a rota DIY não era barata também. Eu paguei mais de $ 200 durante minha primeira ida ao supermercado. Entre minhas compras estavam um pote de manteiga de amêndoa de US $ 9 e uma lata de tahine igualmente cara que permanece fechada. Borges recomenda produtos orgânicos para a “dúzia suja”, incluindo maçãs, tomates cereja e pimentões, e embora eu tenha recusado as uvas orgânicas de US $ 14, na maioria das vezes cumpri.

Com uma geladeira cheia de produtos frescos e um armário com cerca de 12.000 tipos de feijão, eu me senti pronto para ir. Três semanas depois e oito quilos mais leve, posso relatar que Beyoncé estava majoritariamente dizendo a verdade sobre esta dieta. Aqui está o que quero dizer:

"Eu pensei . Eu me sentiria privado e odiaria comida, perderia restaurantes e celebrações, teria dores de cabeça e ficaria irritado, etc. Eu estava errado sobre tudo isso. ” - Beyoncé

Isso é meia verdade. No começo, eu me sentia carente e odiava comida. Acima de tudo, me odiei por concordar em fazer esse experimento. Quem eu pensei que era? Sem uma perna moral para se apoiar, parecia opressor. O que vegano usa couro ?!

"Beyoncé é uma mentiroso, "Eu declarei a quem quisesse ouvir. O problema para mim era a pressão para seguir o plano de alimentação delineado no livro. Não havia como equilibrar minha carreira, uma vida social e minhas outras obrigações com cozinhar o jantar, preparar café da manhã e lanche para levar para o escritório de uma vez. Quase joguei o livro pela sala quando uma receita de almoço exigia queijo de caju caseiro. Observação: você também deve malhar todos os dias, fazendo exercícios aeróbicos e alongamento com treinamento de resistência. Boa sorte com tudo isso.

Desabafo com minha amiga Tracey Lemle, uma treinadora de saúde certificada que dirige Kale com um lado de batatas fritas. Uma maneira de abordar isso, sugeriu ela, era pensar sobre o que eu queria comer e encontrar uma receita no livro que satisfizesse esse desejo. Atenha-se aos princípios da dieta, mas faça com que funcione para você, disse ela. Isso deveria ser divertido.

Pode ter sido uma violação das regras, mas ajudou: se eu quisesse comida mexicana, havia tacos de nozes. (Um amigo declarou que pareciam "um pesadelo", mas eu os amei.) Tailandês? Curry de vegetais. Italiano? Massas sem glúten. O truque envolvia comer, tornando o almoço a refeição mais saborosa - um desafio para alguém como eu, que tende a fazer um acompanhamento de saladas no jantar, em vez do evento principal.

Ainda assim, as coisas melhoraram dramaticamente quando me permiti relaxar e o peso continuou caindo de qualquer maneira. Antes um devoto de cereais, eu adorava o café da manhã mais do que tudo, especialmente granola (em vez de fazer o meu próprio, eu esbanjava na marca Jubilee da Early Bird), torradas de manteiga de amêndoa com frutas vermelhas e sucos, que eu fazia em casa.


Dieta vegana de 22 dias de Beyoncé: Eu tentei e perdi 8 quilos

Deixando de lado a perda de peso, evitar carne, laticínios, soja e glúten teve um grande impacto.

Desafio de dieta vegana de Beyoncé e # x27s para fãs

& # 151 - Minha família comemora marcos importantes indo a churrascarias e fazendo pedidos como se nunca mais fosse comer.

Ao longo da última década, mais ou menos, tivemos muita sorte: cantei "Parabéns pra você" para meu irmão na Peter Luger Steak House e no Palm na cidade de Nova York, onde moro. Eu brindei ao aniversário de casamento dos meus pais no Precinct em minha cidade natal, Cincinnati, Ohio. Marquei minha formatura na Gibsons em Chicago e a de minha irmã em St. Elmo em Indianápolis.

Para mim, um jantar de bife glutão com saladas cobertas com molho de queijo azul, batatas assadas carregadas e garrafas de vinho tinto significa que a vida é boa.

Sempre achei que as celebridades não comem assim, mesmo em ocasiões felizes, e é assim que ficam tão magras. Afinal, a vida está cheia de trocas. Mas depois que Beyoncé apareceu no Met Gala com essa aparência, eu admito, fiquei curioso: como um ser humano pode ser assim? O que alguém precisa fazer para alcançar esse tipo de corpo?

Aqui está a resposta: ela trabalhou com o fisiologista do exercício Marco Borges por anos e até mesmo escreveu a versão preliminar de seu novo livro, “The 22-Day Revolution”. Borges defende uma dieta baseada em vegetais e acredita que se levar 21 dias para mudar um hábito, os devotos precisam se tornar veganos e sem álcool por 22 dias. Ele também sugere evitar soja e glúten.

É restritivo sim, mas de acordo com Beyoncé, que lançou uma linha de alimentos preparados com Borges no início deste ano, funciona. Então, em nome do jornalismo - e da temporada de maiôs - concordei em dar uma olhada.

Para fazer esse desafio, eu tinha duas opções: podia pedir os pratos preparados de Borges e Beyoncé ou prepará-los eu mesmo. Eu escolhi o último caminho por alguns motivos, mas principalmente porque não achava que cozinhar minha comida no micro-ondas levaria a hábitos mais saudáveis ​​a longo prazo. (Foi também porque três refeições por dia durante três semanas teriam custado cerca de US $ 600.)

Eu aprendi rapidamente que a rota faça você mesmo não era barata também. Eu paguei mais de $ 200 durante minha primeira ida ao supermercado. Entre minhas compras estavam um pote de manteiga de amêndoa de US $ 9 e uma lata de tahine igualmente cara que permanece fechada. Borges recomenda produtos orgânicos para a “dúzia suja”, incluindo maçãs, tomates cereja e pimentões, e enquanto eu rechaçava as uvas orgânicas de US $ 14, na maioria das vezes cumpri.

Com uma geladeira cheia de produtos frescos e um armário com cerca de 12.000 tipos de feijão, eu me senti pronto para ir. Três semanas depois e oito quilos mais leve, posso relatar que Beyoncé estava majoritariamente contando a verdade sobre essa dieta. Aqui está o que quero dizer:

"Eu pensei . Eu me sentiria privado e odiaria comida, perderia restaurantes e celebrações, teria dores de cabeça e ficaria irritado, etc. Eu estava errado sobre tudo isso. ” - Beyoncé

Isso é meia verdade. No começo, eu me sentia carente e odiava comida. Acima de tudo, me odiei por concordar em fazer esse experimento. Quem eu pensei que era? Sem uma perna moral para se apoiar, parecia opressor. O que vegano usa couro ?!

"Beyoncé é uma mentiroso, "Eu declarei a quem quisesse ouvir. O problema para mim era a pressão para seguir o plano de alimentação delineado no livro. Não havia como equilibrar minha carreira, uma vida social e minhas outras obrigações com cozinhar o jantar, preparar café da manhã e lanche para levar para o escritório de uma vez. Quase joguei o livro pela sala quando uma receita de almoço exigia queijo de caju caseiro. Observação: você também deve malhar todos os dias, fazendo exercícios aeróbicos e alongamento com treinamento de resistência. Boa sorte com tudo isso.

Desabafo com minha amiga Tracey Lemle, uma treinadora de saúde certificada que dirige Kale com um lado de batatas fritas. Uma maneira de abordar isso, sugeriu ela, era pensar sobre o que eu queria comer e encontrar uma receita no livro que satisfizesse esse desejo. Atenha-se aos princípios da dieta, mas faça com que funcione para você, disse ela. Isso deveria ser divertido.

Pode ter sido uma violação das regras, mas ajudou: se eu quisesse comida mexicana, havia tacos de nozes. (Um amigo declarou que pareciam "um pesadelo", mas eu os amei.) Tailandês? Curry de vegetais. Italiano? Massas sem glúten. O truque envolvia comer, tornando o almoço a refeição mais saborosa - um desafio para alguém como eu, que tende a fazer um acompanhamento para as saladas no jantar, em vez do evento principal.

Ainda assim, as coisas melhoraram dramaticamente quando me permiti relaxar e o peso continuou caindo de qualquer maneira. Antes um devoto de cereais, eu adorava o café da manhã acima de tudo, especialmente a granola (em vez de fazer o meu próprio, eu esbanjava na marca Jubilee da Early Bird), torradas de manteiga de amêndoa com frutas vermelhas e sucos, que eu fazia em casa.


Dieta vegana de 22 dias de Beyoncé: Eu tentei e perdi 8 quilos

Deixando de lado a perda de peso, evitar carne, laticínios, soja e glúten teve um grande impacto.

Desafio de dieta vegana de Beyoncé e # x27s para fãs

& # 151 - Minha família comemora marcos importantes indo a churrascarias e fazendo pedidos como se nunca mais fosse comer.

Ao longo da última década, mais ou menos, tivemos muita sorte: cantei "Parabéns pra você" para meu irmão na Peter Luger Steak House e no Palm na cidade de Nova York, onde moro. Eu brindei ao aniversário de casamento dos meus pais no Precinct em minha cidade natal, Cincinnati, Ohio. Marquei minha formatura na Gibsons em Chicago e minha irmã em St. Elmo em Indianápolis.

Para mim, um jantar de bife glutão com saladas cobertas com molho de queijo azul, batatas assadas carregadas e garrafas de vinho tinto significa que a vida é boa.

Sempre achei que as celebridades não comem assim, mesmo em ocasiões felizes, e é assim que ficam tão magras. Afinal, a vida está cheia de compensações. Mas depois que Beyoncé apareceu no Met Gala com essa aparência, eu admito, fiquei curioso: como um ser humano pode ser assim? O que alguém precisa fazer para alcançar esse tipo de corpo?

Aqui está a resposta: ela trabalhou com o fisiologista do exercício Marco Borges por anos e até mesmo escreveu a versão preliminar de seu novo livro, “The 22-Day Revolution”. Borges defende uma dieta baseada em vegetais e acredita que se levar 21 dias para mudar um hábito, os devotos precisam se tornar veganos e sem álcool por 22 dias. Ele também sugere evitar soja e glúten.

É restritivo sim, mas de acordo com Beyoncé, que lançou uma linha de alimentos preparados com Borges no início deste ano, funciona. Então, em nome do jornalismo - e da temporada de maiôs - concordei em dar uma olhada.

Para fazer esse desafio, eu tinha duas opções: podia pedir os pratos preparados de Borges e Beyoncé ou prepará-los eu mesmo. Eu escolhi o último caminho por alguns motivos, mas principalmente porque não achava que cozinhar minha comida no micro-ondas levaria a hábitos mais saudáveis ​​a longo prazo. (Foi também porque três refeições por dia durante três semanas teriam custado cerca de US $ 600.)

Eu aprendi rapidamente que a rota faça você mesmo não era barata também. Eu paguei mais de $ 200 durante minha primeira ida ao supermercado. Entre minhas compras estava um pote de manteiga de amêndoa de US $ 9 e uma lata de tahine igualmente cara que permanece fechada. Borges recomenda produtos orgânicos para a “dúzia suja”, incluindo maçãs, tomates cereja e pimentões, e enquanto eu rechaçava as uvas orgânicas de US $ 14, na maioria das vezes cumpri.

Com uma geladeira cheia de produtos frescos e um armário com cerca de 12.000 tipos de feijão, eu me senti pronto para ir. Três semanas depois e oito quilos mais leve, posso relatar que Beyoncé estava majoritariamente dizendo a verdade sobre esta dieta. Aqui está o que quero dizer:

"Eu pensei . Eu me sentiria privado e odiaria comida, perderia restaurantes e celebrações, teria dores de cabeça e ficaria irritado, etc. Eu estava errado sobre tudo isso. ” - Beyoncé

Isso é meia verdade. No início, eu me sentia carente e odiava comida. Acima de tudo, me odiei por concordar em fazer esse experimento. Quem eu pensei que era? Sem uma perna moral para se apoiar, parecia opressor. O que vegano usa couro ?!

"Beyoncé é uma mentiroso, "Eu declarei a quem quisesse ouvir. O problema para mim era a pressão para seguir o plano de alimentação delineado no livro. Não havia como equilibrar minha carreira, uma vida social e minhas outras obrigações com cozinhar o jantar, preparar café da manhã e lanche para levar para o escritório de uma vez. Quase joguei o livro pela sala quando uma receita de almoço exigia queijo de caju caseiro. Observação: você também deve malhar todos os dias, fazendo exercícios aeróbicos e alongamento com treinamento de resistência. Boa sorte com tudo isso.

Desabafo com minha amiga Tracey Lemle, uma treinadora de saúde certificada que dirige Kale com um lado de batatas fritas. Uma maneira de abordar isso, sugeriu ela, era pensar sobre o que eu queria comer e encontrar uma receita no livro que satisfizesse esse desejo. Atenha-se aos princípios da dieta, mas faça com que funcione para você, disse ela. Isso deveria ser divertido.

Pode ter sido uma violação das regras, mas ajudou: se eu quisesse comida mexicana, havia tacos de nozes. (Um amigo declarou que pareciam "um pesadelo", mas eu os amei.) Tailandês? Curry de vegetais. Italiano? Massas sem glúten. O truque envolvia comer, tornando o almoço a refeição mais saborosa - um desafio para alguém como eu, que tende a fazer um acompanhamento de saladas no jantar, em vez do evento principal.

Ainda assim, as coisas melhoraram dramaticamente quando me permiti relaxar e o peso continuou caindo de qualquer maneira. Antes um devoto de cereais, eu adorava o café da manhã acima de tudo, especialmente a granola (em vez de fazer o meu próprio, eu esbanjava na marca Jubilee da Early Bird), torradas de manteiga de amêndoa com frutas vermelhas e sucos, que eu fazia em casa.


Dieta vegana de 22 dias de Beyoncé: Eu tentei e perdi 8 quilos

Deixando de lado a perda de peso, evitar carne, laticínios, soja e glúten teve um grande impacto.

Desafio de dieta vegana de Beyoncé e # x27s para fãs

& # 151 - Minha família comemora marcos importantes indo a churrascarias e fazendo pedidos como se nunca mais fosse comer.

Ao longo da última década, mais ou menos, tivemos muita sorte: cantei "Parabéns pra você" para meu irmão na Peter Luger Steak House e no Palm na cidade de Nova York, onde moro. Eu brindei ao aniversário de casamento dos meus pais no Precinct em minha cidade natal, Cincinnati, Ohio. Marquei minha formatura na Gibsons em Chicago e a de minha irmã em St. Elmo em Indianápolis.

Para mim, um jantar de bife glutão com saladas cobertas com molho de queijo azul, batatas assadas carregadas e garrafas de vinho tinto significa que a vida é boa.

Sempre achei que as celebridades não comem assim, mesmo em ocasiões felizes, e é assim que ficam tão magras. Afinal, a vida está cheia de compensações. Mas depois que Beyoncé apareceu no Met Gala com essa aparência, eu admito, fiquei curioso: como um ser humano pode ser assim? O que alguém precisa fazer para alcançar esse tipo de corpo?

Aqui está a resposta: ela trabalhou com o fisiologista do exercício Marco Borges por anos e até mesmo escreveu a versão preliminar de seu novo livro, “The 22-Day Revolution”. Borges defende uma dieta baseada em vegetais e acredita que se levar 21 dias para mudar um hábito, os devotos precisam se tornar veganos e sem álcool por 22 dias. Ele também sugere evitar soja e glúten.

É restritivo sim, mas de acordo com Beyoncé, que lançou uma linha de alimentos preparados com Borges no início deste ano, funciona. Então, em nome do jornalismo - e da temporada de maiôs - concordei em dar uma olhada.

Para fazer esse desafio, eu tinha duas opções: podia pedir os pratos preparados de Borges e Beyoncé ou prepará-los eu mesmo. Eu escolhi o último caminho por alguns motivos, mas principalmente porque não achava que cozinhar minha comida no micro-ondas levaria a hábitos mais saudáveis ​​a longo prazo. (Foi também porque três refeições por dia durante três semanas teriam custado cerca de US $ 600).

Eu aprendi rapidamente que a rota faça você mesmo não era barata também. Eu paguei mais de $ 200 durante minha primeira ida ao supermercado. Entre minhas compras estava um pote de manteiga de amêndoa de US $ 9 e uma lata de tahine igualmente cara que permanece fechada. Borges recomenda produtos orgânicos para a “dúzia suja”, incluindo maçãs, tomates cereja e pimentões, e enquanto eu rechaçava as uvas orgânicas de US $ 14, na maioria das vezes cumpri.

Com uma geladeira cheia de produtos frescos e um armário com cerca de 12.000 tipos de feijão, eu me senti pronto para ir. Três semanas depois e oito quilos mais leve, posso relatar que Beyoncé estava majoritariamente dizendo a verdade sobre esta dieta. Aqui está o que quero dizer:

"Eu pensei . Eu me sentiria privado e odiaria comida, perderia restaurantes e celebrações, teria dores de cabeça e ficaria irritado, etc. Eu estava errado sobre tudo isso. ” - Beyoncé

Isso é meia verdade. No começo, eu me sentia carente e odiava comida. Acima de tudo, me odiei por concordar em fazer esse experimento. Quem eu pensei que era? Sem uma perna moral para se apoiar, parecia opressor. O que vegano usa couro ?!

"Beyoncé é uma mentiroso, "Declarei a quem quisesse ouvir. O problema para mim era a pressão para seguir o plano de refeições delineado no livro. Não havia como equilibrar minha carreira, uma vida social e minhas outras obrigações com preparar o jantar, preparar café da manhã e lanche para levar para o escritório de uma vez. Quase joguei o livro pela sala quando uma receita de almoço exigia queijo de caju caseiro. Observação: você também deve malhar todos os dias, fazendo exercícios aeróbicos e alongamento com treinamento de resistência. Boa sorte com tudo isso.

Desabafo com minha amiga Tracey Lemle, uma treinadora de saúde certificada que dirige Kale com um lado de batatas fritas. Uma maneira de abordar isso, sugeriu ela, era pensar sobre o que eu queria comer e encontrar uma receita no livro que satisfizesse esse desejo. Atenha-se aos princípios da dieta, mas faça com que funcione para você, disse ela. Isso deveria ser divertido.

Pode ter sido uma violação das regras, mas ajudou: se eu quisesse comida mexicana, havia tacos de nozes. (Um amigo declarou que pareciam "um pesadelo", mas eu os amei.) Tailandês? Curry de vegetais. Italiano? Massas sem glúten. O truque envolvia comer, tornando o almoço a refeição mais saborosa - um desafio para alguém como eu, que tende a fazer um acompanhamento de saladas no jantar, em vez do evento principal.

Ainda assim, as coisas melhoraram dramaticamente quando me permiti relaxar e o peso continuou caindo de qualquer maneira. Antes um devoto de cereais, eu adorava o café da manhã acima de tudo, especialmente a granola (em vez de fazer o meu próprio, eu esbanjava na marca Jubilee da Early Bird), torradas de manteiga de amêndoa com frutas vermelhas e sucos, que eu fazia em casa.


Dieta vegana de 22 dias de Beyoncé: Eu tentei e perdi 8 quilos

Deixando de lado a perda de peso, evitar carne, laticínios, soja e glúten teve um grande impacto.

Desafio de dieta vegana de Beyoncé e # x27s para fãs

& # 151 - Minha família comemora marcos importantes indo a churrascarias e fazendo pedidos como se nunca mais fosse comer.

Ao longo da última década, mais ou menos, tivemos muita sorte: cantei "Parabéns pra você" para meu irmão na Peter Luger Steak House e no Palm na cidade de Nova York, onde moro. Eu brindei ao aniversário de casamento dos meus pais no Precinct em minha cidade natal, Cincinnati, Ohio. Marquei minha formatura na Gibsons em Chicago e minha irmã em St. Elmo em Indianápolis.

Para mim, um jantar de bife glutão com saladas cobertas com molho de queijo azul, batatas assadas carregadas e garrafas de vinho tinto significa que a vida é boa.

Sempre achei que as celebridades não comem assim, mesmo em ocasiões felizes, e é assim que ficam tão magras. Afinal, a vida está cheia de compensações. Mas depois que Beyoncé apareceu no Met Gala com essa aparência, eu admito, fiquei curioso: como um ser humano pode ser assim? O que alguém precisa fazer para alcançar esse tipo de corpo?

Aqui está a resposta: ela trabalhou com o fisiologista do exercício Marco Borges por anos e até mesmo escreveu a versão preliminar de seu novo livro, “The 22-Day Revolution”. Borges defende uma dieta baseada em vegetais e acredita que se levar 21 dias para mudar um hábito, os devotos precisam se tornar veganos e sem álcool por 22 dias. Ele também sugere evitar soja e glúten.

É restritivo sim, mas de acordo com Beyoncé, que lançou uma linha de alimentos preparados com Borges no início deste ano, funciona. Então, em nome do jornalismo - e da temporada de maiôs - concordei em dar uma olhada.

Para fazer esse desafio, eu tinha duas opções: podia pedir os pratos preparados de Borges e Beyoncé ou prepará-los eu mesmo. Eu escolhi o último caminho por alguns motivos, mas principalmente porque não achava que cozinhar minha comida no micro-ondas levaria a hábitos mais saudáveis ​​a longo prazo. (Foi também porque três refeições por dia durante três semanas teriam custado cerca de US $ 600).

Eu aprendi rapidamente que a rota faça você mesmo não era barata também. Eu paguei mais de $ 200 durante minha primeira ida ao supermercado. Entre minhas compras estava um pote de manteiga de amêndoa de US $ 9 e uma lata de tahine igualmente cara que permanece fechada. Borges recomenda produtos orgânicos para a “dúzia suja”, incluindo maçãs, tomates cereja e pimentões, e embora eu tenha recusado as uvas orgânicas de US $ 14, na maioria das vezes cumpri.

Com uma geladeira cheia de produtos frescos e um armário com cerca de 12.000 tipos de feijão, eu me senti pronto para ir. Três semanas depois e oito quilos mais leve, posso relatar que Beyoncé estava majoritariamente dizendo a verdade sobre esta dieta. Aqui está o que quero dizer:

"Eu pensei . Eu me sentiria privado e odiaria comida, perderia restaurantes e celebrações, teria dores de cabeça e ficaria irritado, etc. Eu estava errado sobre tudo isso. ” - Beyoncé

Isso é meia verdade. No começo, eu me sentia carente e odiava comida. Acima de tudo, me odiei por concordar em fazer esse experimento. Quem eu pensei que era? Sem uma perna moral para se apoiar, parecia opressor. O que vegano usa couro ?!

"Beyoncé é uma mentiroso, "Declarei a quem quisesse ouvir. O problema para mim era a pressão para seguir o plano de refeições delineado no livro. Não havia como equilibrar minha carreira, uma vida social e minhas outras obrigações com preparar o jantar, preparar café da manhã e lanche para levar para o escritório de uma vez. Quase joguei o livro pela sala quando uma receita de almoço exigia queijo de caju caseiro. Observação: você também deve malhar todos os dias, fazendo exercícios aeróbicos e alongamento com treinamento de resistência. Boa sorte com tudo isso.

Desabafo com minha amiga Tracey Lemle, uma treinadora de saúde certificada que dirige Kale com um lado de batatas fritas. Uma maneira de abordar isso, sugeriu ela, era pensar sobre o que eu queria comer e encontrar uma receita no livro que satisfizesse esse desejo. Atenha-se aos princípios da dieta, mas faça com que funcione para você, disse ela. Isso deveria ser divertido.

Pode ter sido uma violação das regras, mas ajudou: se eu quisesse comida mexicana, havia tacos de nozes. (Um amigo declarou que pareciam "um pesadelo", mas eu os amei.) Tailandês? Curry de vegetais. Italiano? Massas sem glúten. O truque envolvia comer, tornando o almoço a refeição mais saborosa - um desafio para alguém como eu, que tende a fazer um acompanhamento de saladas no jantar, em vez do evento principal.

Ainda assim, as coisas melhoraram dramaticamente quando me permiti relaxar e o peso continuou caindo de qualquer maneira. Antes um devoto de cereais, eu adorava o café da manhã acima de tudo, especialmente a granola (em vez de fazer o meu próprio, eu esbanjava na marca Jubilee da Early Bird), torradas de manteiga de amêndoa com frutas vermelhas e sucos, que eu fazia em casa.


Dieta vegana de 22 dias de Beyoncé: Eu tentei e perdi 8 quilos

Deixando de lado a perda de peso, evitar carne, laticínios, soja e glúten teve um grande impacto.

Desafio de dieta vegana de Beyoncé e # x27s para fãs

& # 151 - Minha família comemora marcos importantes indo a churrascarias e fazendo pedidos como se nunca mais fosse comer.

Ao longo da última década, mais ou menos, tivemos muita sorte: cantei "Parabéns pra você" para meu irmão no Peter Luger Steak House e no Palm na cidade de Nova York, onde moro. Eu brindei ao aniversário de casamento dos meus pais no Precinct em minha cidade natal, Cincinnati, Ohio. Marquei minha formatura na Gibsons em Chicago e minha irmã em St. Elmo em Indianápolis.

Para mim, um jantar de bife glutão com saladas cobertas com molho de queijo azul, batatas assadas carregadas e garrafas de vinho tinto significa que a vida é boa.

Sempre achei que as celebridades não comem assim, mesmo em ocasiões felizes, e é assim que ficam tão magras. Afinal, a vida está cheia de compensações. Mas depois que Beyoncé apareceu no Met Gala assim, eu admito, fiquei curioso: como um ser humano pode ser assim? O que alguém precisa fazer para alcançar esse tipo de corpo?

Aqui está a resposta: ela trabalhou com o fisiologista do exercício Marco Borges por anos e até mesmo escreveu a versão preliminar de seu novo livro, “The 22-Day Revolution”. Borges defende uma dieta baseada em vegetais e acredita que se levar 21 dias para mudar um hábito, os devotos precisam se tornar veganos e sem álcool por 22 dias. Ele também sugere evitar soja e glúten.

É restritivo sim, mas de acordo com Beyoncé, que lançou uma linha de alimentos preparados com Borges no início deste ano, funciona. Então, em nome do jornalismo - e da temporada de maiôs - concordei em dar uma olhada.

Para fazer esse desafio, eu tinha duas opções: podia pedir os pratos preparados de Borges e Beyoncé ou prepará-los eu mesmo. Eu escolhi o último caminho por alguns motivos, mas principalmente porque não achava que cozinhar minha comida no micro-ondas levaria a hábitos mais saudáveis ​​a longo prazo. (Foi também porque três refeições por dia durante três semanas teriam custado cerca de US $ 600.)

Eu aprendi rapidamente que a rota faça você mesmo não era barata também. Eu paguei mais de $ 200 durante minha primeira ida ao supermercado. Entre minhas compras estava um pote de manteiga de amêndoa de US $ 9 e uma lata de tahine igualmente cara que permanece fechada. Borges recomenda produtos orgânicos para a “dúzia suja”, incluindo maçãs, tomates cereja e pimentões, e embora eu tenha recusado as uvas orgânicas de US $ 14, na maioria das vezes cumpri.

With a fridge full of fresh produce and a cabinet stocked with roughly 12,000 kinds of beans, I felt ready to go. Three weeks later and eight pounds lighter, I can report that Beyoncé was mostly telling the truth about this diet. Here's what I mean:

“I thought . I would feel deprived and hate food, that I would miss out on restaurants and celebrations, that I would get headaches and be irritable, etc. I was wrong about all of that.” - Beyoncé

This is half-true. At first I did feel deprived and I did hate food. Most of all, I hated myself for agreeing to do this experiment. Who did I think I was? Without a moral leg to stand on, it felt overwhelming. What vegan wears leather?!

"Beyoncé is a liar," I declared to anybody who would listen. The problem for me was the pressure to follow the meal plan outlined in the book. There was no way that I could balance my career, a social life and my other obligations with cooking dinner, preparing breakfast and whipping up lunch to bring to the office all at once. I nearly threw the book across the room when one lunch recipe required homemade cashew cheese. Side note: You’re also supposed to work out every day, rotating cardio and stretching with resistance training. Good luck with all of that.

I vented to my friend Tracey Lemle, a certified health coach who runs Kale with a Side of Fries. One way to approach it, she suggested, was to think about what I wanted to eat and find a recipe in the book that would satisfy that craving. Stick to the tenets of the diet, but make it work for you, she said. This is supposed to be fun.

It may have been a violation of the rules, but it helped: If I wanted Mexican, there were walnut tacos. (One friend declared that they looked like "a nightmare," but I loved them.) Thai? Vegetable curry. Italian? Gluten-free pasta. The trick involved eating making lunch the heartiest meal -- a challenge for someone like me, who tends to make salads a side at dinner rather than the main event.

Still, things improved dramatically once I let myself relax, and the weight kept falling off anyway. Previously a cereal devotee, I loved the breakfasts most of all, especially granola (instead of making my own, I splurged on Early Bird's Jubilee brand), almond butter on toast with berries, and juices, which I made at home.


Beyonce's 22-Day Vegan Diet: I Tried It and Lost 8 Pounds

Weight loss aside, avoiding meat, dairy, soy and gluten had a big impact.

Beyonce's Vegan Diet Challenge to Fans

— -- My family celebrates major milestones by going to steakhouses and ordering as though we'll never eat again.

Over the past decade or so, we’ve been especially lucky: I’ve sung "Happy Birthday" to my brother at Peter Luger Steak House and the Palm in New York City, where I live. I’ve toasted my parents’ wedding anniversary at the Precinct in my hometown of Cincinnati, Ohio. I marked my college graduation at Gibsons in Chicago and my sister’s at St. Elmo in Indianapolis.

To me, a gluttonous steak dinner with salads smothered in blue cheese dressing, loaded baked potatoes and bottles of red wine signifies that life is good.

I've always assumed that celebrities do not eat like this, even on happy occasions, and that's how they stay so slim. After all, life is full of trade-offs. But after Beyoncé showed up to the Met Gala looking like this, I admit, I was curious: How can a human being look like that? What does someone have to do to achieve that kind of body?

Here's the answer: She has worked with exercise physiologist Marco Borges for years and even penned the forward to his new book, “The 22-Day Revolution.” Borges advocates for a plant-based diet and believes that if it takes 21 days to change a habit, devotees need to go vegan and alcohol-free for 22 days. He also suggests avoiding soy and gluten.

It's restrictive, yes, but according to Beyoncé, who launched a prepared food line with Borges earlier this year, it works. So, in the name of journalism -- and swimsuit season -- I agreed to give it a whirl.

To do this challenge, I had two choices: I could order the prepared meals from Borges and Beyoncé or make them myself. I went the latter route for a few reasons, but mainly because I didn’t think that microwaving my food would lead to healthier habits in the long run. (It was also because three meals a day for three weeks would have cost about $600.)

I quickly learned the DIY route wasn’t cheap either. I forked over $200 during my first trip to the grocery store. Among my purchases were a $9 jar of almond butter and an equally expensive tin of tahini that remains unopened. Borges recommends organic produce for the “dirty dozen," including apples, cherry tomatoes, and bell peppers, and while I balked at the $14 organic grapes, I mostly complied.

With a fridge full of fresh produce and a cabinet stocked with roughly 12,000 kinds of beans, I felt ready to go. Three weeks later and eight pounds lighter, I can report that Beyoncé was mostly telling the truth about this diet. Here's what I mean:

“I thought . I would feel deprived and hate food, that I would miss out on restaurants and celebrations, that I would get headaches and be irritable, etc. I was wrong about all of that.” - Beyoncé

This is half-true. At first I did feel deprived and I did hate food. Most of all, I hated myself for agreeing to do this experiment. Who did I think I was? Without a moral leg to stand on, it felt overwhelming. What vegan wears leather?!

"Beyoncé is a liar," I declared to anybody who would listen. The problem for me was the pressure to follow the meal plan outlined in the book. There was no way that I could balance my career, a social life and my other obligations with cooking dinner, preparing breakfast and whipping up lunch to bring to the office all at once. I nearly threw the book across the room when one lunch recipe required homemade cashew cheese. Side note: You’re also supposed to work out every day, rotating cardio and stretching with resistance training. Good luck with all of that.

I vented to my friend Tracey Lemle, a certified health coach who runs Kale with a Side of Fries. One way to approach it, she suggested, was to think about what I wanted to eat and find a recipe in the book that would satisfy that craving. Stick to the tenets of the diet, but make it work for you, she said. This is supposed to be fun.

It may have been a violation of the rules, but it helped: If I wanted Mexican, there were walnut tacos. (One friend declared that they looked like "a nightmare," but I loved them.) Thai? Vegetable curry. Italian? Gluten-free pasta. The trick involved eating making lunch the heartiest meal -- a challenge for someone like me, who tends to make salads a side at dinner rather than the main event.

Still, things improved dramatically once I let myself relax, and the weight kept falling off anyway. Previously a cereal devotee, I loved the breakfasts most of all, especially granola (instead of making my own, I splurged on Early Bird's Jubilee brand), almond butter on toast with berries, and juices, which I made at home.


Beyonce's 22-Day Vegan Diet: I Tried It and Lost 8 Pounds

Weight loss aside, avoiding meat, dairy, soy and gluten had a big impact.

Beyonce's Vegan Diet Challenge to Fans

— -- My family celebrates major milestones by going to steakhouses and ordering as though we'll never eat again.

Over the past decade or so, we’ve been especially lucky: I’ve sung "Happy Birthday" to my brother at Peter Luger Steak House and the Palm in New York City, where I live. I’ve toasted my parents’ wedding anniversary at the Precinct in my hometown of Cincinnati, Ohio. I marked my college graduation at Gibsons in Chicago and my sister’s at St. Elmo in Indianapolis.

To me, a gluttonous steak dinner with salads smothered in blue cheese dressing, loaded baked potatoes and bottles of red wine signifies that life is good.

I've always assumed that celebrities do not eat like this, even on happy occasions, and that's how they stay so slim. After all, life is full of trade-offs. But after Beyoncé showed up to the Met Gala looking like this, I admit, I was curious: How can a human being look like that? What does someone have to do to achieve that kind of body?

Here's the answer: She has worked with exercise physiologist Marco Borges for years and even penned the forward to his new book, “The 22-Day Revolution.” Borges advocates for a plant-based diet and believes that if it takes 21 days to change a habit, devotees need to go vegan and alcohol-free for 22 days. He also suggests avoiding soy and gluten.

It's restrictive, yes, but according to Beyoncé, who launched a prepared food line with Borges earlier this year, it works. So, in the name of journalism -- and swimsuit season -- I agreed to give it a whirl.

To do this challenge, I had two choices: I could order the prepared meals from Borges and Beyoncé or make them myself. I went the latter route for a few reasons, but mainly because I didn’t think that microwaving my food would lead to healthier habits in the long run. (It was also because three meals a day for three weeks would have cost about $600.)

I quickly learned the DIY route wasn’t cheap either. I forked over $200 during my first trip to the grocery store. Among my purchases were a $9 jar of almond butter and an equally expensive tin of tahini that remains unopened. Borges recommends organic produce for the “dirty dozen," including apples, cherry tomatoes, and bell peppers, and while I balked at the $14 organic grapes, I mostly complied.

With a fridge full of fresh produce and a cabinet stocked with roughly 12,000 kinds of beans, I felt ready to go. Three weeks later and eight pounds lighter, I can report that Beyoncé was mostly telling the truth about this diet. Here's what I mean:

“I thought . I would feel deprived and hate food, that I would miss out on restaurants and celebrations, that I would get headaches and be irritable, etc. I was wrong about all of that.” - Beyoncé

This is half-true. At first I did feel deprived and I did hate food. Most of all, I hated myself for agreeing to do this experiment. Who did I think I was? Without a moral leg to stand on, it felt overwhelming. What vegan wears leather?!

"Beyoncé is a liar," I declared to anybody who would listen. The problem for me was the pressure to follow the meal plan outlined in the book. There was no way that I could balance my career, a social life and my other obligations with cooking dinner, preparing breakfast and whipping up lunch to bring to the office all at once. I nearly threw the book across the room when one lunch recipe required homemade cashew cheese. Side note: You’re also supposed to work out every day, rotating cardio and stretching with resistance training. Good luck with all of that.

I vented to my friend Tracey Lemle, a certified health coach who runs Kale with a Side of Fries. One way to approach it, she suggested, was to think about what I wanted to eat and find a recipe in the book that would satisfy that craving. Stick to the tenets of the diet, but make it work for you, she said. This is supposed to be fun.

It may have been a violation of the rules, but it helped: If I wanted Mexican, there were walnut tacos. (One friend declared that they looked like "a nightmare," but I loved them.) Thai? Vegetable curry. Italian? Gluten-free pasta. The trick involved eating making lunch the heartiest meal -- a challenge for someone like me, who tends to make salads a side at dinner rather than the main event.

Still, things improved dramatically once I let myself relax, and the weight kept falling off anyway. Previously a cereal devotee, I loved the breakfasts most of all, especially granola (instead of making my own, I splurged on Early Bird's Jubilee brand), almond butter on toast with berries, and juices, which I made at home.


Beyonce's 22-Day Vegan Diet: I Tried It and Lost 8 Pounds

Weight loss aside, avoiding meat, dairy, soy and gluten had a big impact.

Beyonce's Vegan Diet Challenge to Fans

— -- My family celebrates major milestones by going to steakhouses and ordering as though we'll never eat again.

Over the past decade or so, we’ve been especially lucky: I’ve sung "Happy Birthday" to my brother at Peter Luger Steak House and the Palm in New York City, where I live. I’ve toasted my parents’ wedding anniversary at the Precinct in my hometown of Cincinnati, Ohio. I marked my college graduation at Gibsons in Chicago and my sister’s at St. Elmo in Indianapolis.

To me, a gluttonous steak dinner with salads smothered in blue cheese dressing, loaded baked potatoes and bottles of red wine signifies that life is good.

I've always assumed that celebrities do not eat like this, even on happy occasions, and that's how they stay so slim. After all, life is full of trade-offs. But after Beyoncé showed up to the Met Gala looking like this, I admit, I was curious: How can a human being look like that? What does someone have to do to achieve that kind of body?

Here's the answer: She has worked with exercise physiologist Marco Borges for years and even penned the forward to his new book, “The 22-Day Revolution.” Borges advocates for a plant-based diet and believes that if it takes 21 days to change a habit, devotees need to go vegan and alcohol-free for 22 days. He also suggests avoiding soy and gluten.

It's restrictive, yes, but according to Beyoncé, who launched a prepared food line with Borges earlier this year, it works. So, in the name of journalism -- and swimsuit season -- I agreed to give it a whirl.

To do this challenge, I had two choices: I could order the prepared meals from Borges and Beyoncé or make them myself. I went the latter route for a few reasons, but mainly because I didn’t think that microwaving my food would lead to healthier habits in the long run. (It was also because three meals a day for three weeks would have cost about $600.)

I quickly learned the DIY route wasn’t cheap either. I forked over $200 during my first trip to the grocery store. Among my purchases were a $9 jar of almond butter and an equally expensive tin of tahini that remains unopened. Borges recommends organic produce for the “dirty dozen," including apples, cherry tomatoes, and bell peppers, and while I balked at the $14 organic grapes, I mostly complied.

With a fridge full of fresh produce and a cabinet stocked with roughly 12,000 kinds of beans, I felt ready to go. Three weeks later and eight pounds lighter, I can report that Beyoncé was mostly telling the truth about this diet. Here's what I mean:

“I thought . I would feel deprived and hate food, that I would miss out on restaurants and celebrations, that I would get headaches and be irritable, etc. I was wrong about all of that.” - Beyoncé

This is half-true. At first I did feel deprived and I did hate food. Most of all, I hated myself for agreeing to do this experiment. Who did I think I was? Without a moral leg to stand on, it felt overwhelming. What vegan wears leather?!

"Beyoncé is a liar," I declared to anybody who would listen. The problem for me was the pressure to follow the meal plan outlined in the book. There was no way that I could balance my career, a social life and my other obligations with cooking dinner, preparing breakfast and whipping up lunch to bring to the office all at once. I nearly threw the book across the room when one lunch recipe required homemade cashew cheese. Side note: You’re also supposed to work out every day, rotating cardio and stretching with resistance training. Good luck with all of that.

I vented to my friend Tracey Lemle, a certified health coach who runs Kale with a Side of Fries. One way to approach it, she suggested, was to think about what I wanted to eat and find a recipe in the book that would satisfy that craving. Stick to the tenets of the diet, but make it work for you, she said. This is supposed to be fun.

It may have been a violation of the rules, but it helped: If I wanted Mexican, there were walnut tacos. (One friend declared that they looked like "a nightmare," but I loved them.) Thai? Vegetable curry. Italian? Gluten-free pasta. The trick involved eating making lunch the heartiest meal -- a challenge for someone like me, who tends to make salads a side at dinner rather than the main event.

Still, things improved dramatically once I let myself relax, and the weight kept falling off anyway. Previously a cereal devotee, I loved the breakfasts most of all, especially granola (instead of making my own, I splurged on Early Bird's Jubilee brand), almond butter on toast with berries, and juices, which I made at home.


Beyonce's 22-Day Vegan Diet: I Tried It and Lost 8 Pounds

Weight loss aside, avoiding meat, dairy, soy and gluten had a big impact.

Beyonce's Vegan Diet Challenge to Fans

— -- My family celebrates major milestones by going to steakhouses and ordering as though we'll never eat again.

Over the past decade or so, we’ve been especially lucky: I’ve sung "Happy Birthday" to my brother at Peter Luger Steak House and the Palm in New York City, where I live. I’ve toasted my parents’ wedding anniversary at the Precinct in my hometown of Cincinnati, Ohio. I marked my college graduation at Gibsons in Chicago and my sister’s at St. Elmo in Indianapolis.

To me, a gluttonous steak dinner with salads smothered in blue cheese dressing, loaded baked potatoes and bottles of red wine signifies that life is good.

I've always assumed that celebrities do not eat like this, even on happy occasions, and that's how they stay so slim. After all, life is full of trade-offs. But after Beyoncé showed up to the Met Gala looking like this, I admit, I was curious: How can a human being look like that? What does someone have to do to achieve that kind of body?

Here's the answer: She has worked with exercise physiologist Marco Borges for years and even penned the forward to his new book, “The 22-Day Revolution.” Borges advocates for a plant-based diet and believes that if it takes 21 days to change a habit, devotees need to go vegan and alcohol-free for 22 days. He also suggests avoiding soy and gluten.

It's restrictive, yes, but according to Beyoncé, who launched a prepared food line with Borges earlier this year, it works. So, in the name of journalism -- and swimsuit season -- I agreed to give it a whirl.

To do this challenge, I had two choices: I could order the prepared meals from Borges and Beyoncé or make them myself. I went the latter route for a few reasons, but mainly because I didn’t think that microwaving my food would lead to healthier habits in the long run. (It was also because three meals a day for three weeks would have cost about $600.)

I quickly learned the DIY route wasn’t cheap either. I forked over $200 during my first trip to the grocery store. Among my purchases were a $9 jar of almond butter and an equally expensive tin of tahini that remains unopened. Borges recommends organic produce for the “dirty dozen," including apples, cherry tomatoes, and bell peppers, and while I balked at the $14 organic grapes, I mostly complied.

With a fridge full of fresh produce and a cabinet stocked with roughly 12,000 kinds of beans, I felt ready to go. Three weeks later and eight pounds lighter, I can report that Beyoncé was mostly telling the truth about this diet. Here's what I mean:

“I thought . I would feel deprived and hate food, that I would miss out on restaurants and celebrations, that I would get headaches and be irritable, etc. I was wrong about all of that.” - Beyoncé

This is half-true. At first I did feel deprived and I did hate food. Most of all, I hated myself for agreeing to do this experiment. Who did I think I was? Without a moral leg to stand on, it felt overwhelming. What vegan wears leather?!

"Beyoncé is a liar," I declared to anybody who would listen. The problem for me was the pressure to follow the meal plan outlined in the book. There was no way that I could balance my career, a social life and my other obligations with cooking dinner, preparing breakfast and whipping up lunch to bring to the office all at once. I nearly threw the book across the room when one lunch recipe required homemade cashew cheese. Side note: You’re also supposed to work out every day, rotating cardio and stretching with resistance training. Good luck with all of that.

I vented to my friend Tracey Lemle, a certified health coach who runs Kale with a Side of Fries. One way to approach it, she suggested, was to think about what I wanted to eat and find a recipe in the book that would satisfy that craving. Stick to the tenets of the diet, but make it work for you, she said. This is supposed to be fun.

It may have been a violation of the rules, but it helped: If I wanted Mexican, there were walnut tacos. (One friend declared that they looked like "a nightmare," but I loved them.) Thai? Vegetable curry. Italian? Gluten-free pasta. The trick involved eating making lunch the heartiest meal -- a challenge for someone like me, who tends to make salads a side at dinner rather than the main event.

Still, things improved dramatically once I let myself relax, and the weight kept falling off anyway. Previously a cereal devotee, I loved the breakfasts most of all, especially granola (instead of making my own, I splurged on Early Bird's Jubilee brand), almond butter on toast with berries, and juices, which I made at home.