Receitas de coquetéis, destilados e bares locais

Tradições de férias da Casa Branca

Tradições de férias da Casa Branca

Embora esteja começando a parecer Natal lá fora, o espírito natalino está em plena atividade na Casa Branca. Depois de meses de planejamento secreto e mais de 3.500 horas de trabalho necessárias para pendurar milhares de metros de guirlandas, várias árvores de 14 pés para plantar e centenas de quilos de massa de biscoito e pão de gengibre para assar, de acordo com ABC noticias, a primeira-dama Michelle Obama revelou o tema deste ano de "Brilhe, dê, compartilhe" em 30 de novembro. O destaque do dia? A onipresença do primeiro cachorro Bo em todo o edifício, de Bos feito de sacolas plásticas recicladas a botões, alcaçuz e marshmallows - até mesmo um em forma de topiaria.

Clique aqui para ver a apresentação de slides das tradições de férias na Casa Branca.

As decorações festivas temáticas são apenas uma das muitas tradições de férias de longa data da Casa Branca. A primeira-dama Jackie Kennedy deu início à tradição em 1961, com o tema “The Nutcracker Suite”. Desde então, cada primeira-dama adicionou seu próprio toque através do tema escolhido.

A árvore de Natal tem sido o ponto focal da Casa Branca para todas as famílias presidenciais desde 1889. A primeira-dama recebeu o recebimento da árvore deste ano, entregue a cavalo e de carruagem, um dia após o Dia de Ação de Graças. Com cerca de 6 metros de altura, a árvore também não é pequena - no ano passado, 97 decoradores se voluntariaram para ajudar a levantar o abeto Douglas de 18 metros de altura. Com a ajuda de escadas e andaimes, eles conseguiram fazer isso em quatro dias, capturando todo o processo em um vídeo de lapso de tempo, abaixo.

Decorações à parte, a verdadeira façanha dos feriados na Casa Branca é simplesmente acompanhar a demanda diária por doces festivos - este ano a casa de pão de gengibre com cobertura de chocolate branco pesa mais de 350 libras (completa com fiação elétrica) - para os 100.000 alguns convidados estranhos que vêm no mês de dezembro. De acordo com a CBS News, “o Natal na Casa Branca é a coisa mais desafiadora mental e fisicamente que você pode fazer”, disse o ex-chef da Casa Branca Walter Scheib. Em 2006, isso significava enfeites de biscoitos e uma árvore feita de sanduíches de nogueira-pecã. O atual chef Bill Yosses impôs um limite de quantos doces os convidados podem comer nas recepções - apenas quatro.

Dadas as amplas celebrações que giram em torno dos feriados na Casa Branca hoje em dia, é difícil acreditar que em um momento - antes da eletricidade - as tradições presidenciais de inverno eram um assunto privado. Antes do século 20, nem era um evento oficial. A primeira árvore subiu em 1889 para o Presidente Benjamin Harrison e sua família e foi colocada em uma sala oval do segundo andar usada como sala de estar familiar. As luzes elétricas de Natal não foram introduzidas até 1894, três anos depois que a Casa Branca foi eletrificada, deliciando as filhas do presidente Cleveland. Nos anos que se seguiram, as comemorações evoluíram à medida que cada família dá seu toque especial ao feriado. Em 1903, o presidente Teddy Roosevelt não aprovava o abate de sempre-vivas em perfeitas condições de vida, respirando sempre, então ele os proibiu na Casa Branca. Exceto, sem o conhecimento do presidente, seu filho contrabandeou um e o escondeu no armário de costura do andar de cima para que ele pudesse ter um como todos os seus colegas.

Clique aqui para ver o Slideshow das Tradições de Férias da Casa Branca.


Por que esta noite é diferente de todas as outras? Receitas para a Páscoa

Esta noite e amanhã à noite, famílias e amigos judeus nos Estados Unidos e em todo o mundo se reunirão para Seders para comemorar o Êxodo do Egito e o triunfo da esperança e perseverança sobre a injustiça e a opressão. Para a maioria das famílias judias, a refeição da Páscoa é tradições completas passadas de geração a geração, como o maror, ou ervas amargas, que simbolizam a amargura da escravidão no Egito ou a matzá, pão sem fermento, que lembra a pressa com que os israelitas deixaram o Egito & ndash não lhes dando tempo para permitir que seu pão crescesse.

Enquanto algumas famílias guardam o segredo dos bolinhos de matzoh mais fofos da cidade, outras criaram novas tradições para compartilhar com seus familiares e amigos.

Aqui na Casa Branca esta noite, o presidente e a Sra. Obama sediarão novamente um pequeno Seder, completo com receitas fornecidas por amigos e familiares. É uma tradição que começou na Pensilvânia em 2008, quando depois de um longo dia na campanha, o então senador Obama reuniu um grupo de funcionários & ndash judeus e não judeus & ndash para um Seder improvisado. A cada ano, desde então, o mesmo grupo, junto com alguns amigos próximos e familiares, se reúnem para dar continuidade à tradição na Casa Branca. Entre as receitas de família no cardápio deste ano estão a tradicional canja de galinha com bolinhos de matzoh, peito de boi refogado, kugel de batata, suflê de cenoura e águia e bolo de chocolate matzoh.

Como os oito dias da Páscoa começam hoje à noite, estendemos a mão para oito chefs judeus de todo o país para compartilhar seus próprios pensamentos, menus e receitas para um Seder saudável e satisfatório. Esperamos que essas receitas lhe dêem algumas novas idéias para suas próprias tradições de Páscoa.

Agradecemos a estes chefs participantes:

  • Joan Nathan, autora do livro de receitas, Washington, DC - Moroccan Charoset Truffles (pdf)
  • Todd Aarons, Chef Executivo da Tierra Sur em Herzog Wine Cellars, Oxnard, CA - Canja de Frango Estilo Persa (pdf)
  • Michelle Bernstein, Chef e proprietária da Michy & rsquos and Sra. Martinez, Miami, FL - Moroccan Spiced Cornish Hens (pdf)
  • Gale Gand, Pastry Chef de Tru, Chicago, IL - Bolo Esponja Passover Limão com Morangos (pdf)
  • Joyce Goldstein, Autora do Livro de Receitas e Chef Convidada do Passover Seder no Perbacco Restaurant, San Francisco, CA - Spinach with Pine Nuts and Raisins (pdf)
  • Peter Hoffman, Chef do Savoy Restaurant, New York, NY - Tahrir Square Salad (pdf)
  • Michael Leviton, Chef de Lumiere, Newton, MA - Maple-Mustard Glazed Smoked Sable (pdf)
  • Michael Solomonov, Chef de Zahav, Filadélfia, PA - Salada de Cenoura e Maçã com Pinhões (pdf)

Nota: Esses comentários, menus e receitas são produtos dos próprios chefs.

Danielle Borrin é a Diretora Associada do Escritório de Engajamento Público da Casa Branca e contato com a comunidade judaica.


The White House Holiday Photo Line: A Tradition of Awkwardness

WASHINGTON - Enquanto o presidente Obama enfrentava críticas públicas por causa de seu discurso no Salão Oval sobre o terrorismo neste mês, um legislador reservou um momento privado durante uma festa de feriado na Casa Branca para tranquilizar o comandante-chefe.

"Foi um bom discurso o que você fez na noite passada, Sr. Presidente", disse o deputado Steve Cohen, democrata do Tennessee, a Obama quando parou para tirar uma foto com ele na fila de fotos no último baile do congresso. semana. “É difícil ser o adulto no país.”

Foi uma das centenas de interações de segundos que o presidente e a primeira-dama, Michelle Obama, estão tendo com os convidados em algumas das 20 recepções de feriado que lotam suas vidas em dezembro. Ansiosamente antecipada, às vezes politicamente carregada e muitas vezes agonizantemente desajeitada, a brincadeira com fotos tiradas do presidente se tornou um grampo da temporada de férias em Washington, onde o ritual natalino encontra o oportunismo profissional - tudo no curso de cerca de seis segundos.

“Você precisa bombardear as instalações nucleares iranianas”, disse a deputada Michele Bachmann, republicana de Minnesota, a Obama no ano passado em uma dessas breves conversas, aproveitando seu último sarau de férias com o presidente antes de deixar o Congresso. O presidente disse a ela que não era tão simples, de acordo com um relato que ela fez ao The Washington Free Beacon.

Piadas são contadas, entrevistas são solicitadas e conselhos não solicitados são dados ao presidente junto com apertos de mão, cumprimentos e o não raro olhar de cervo sob os faróis de um convidado mudo. Os membros da família são apresentados - e muitas vezes ficam maravilhados.

“Fazer parte da equipe do presidente e da primeira-dama na fila de fotos do feriado é observar a humanidade em seu estado mais constrangedor”, disse Bill Burton, ex-assessor de imprensa da Casa Branca de Obama.

Imagem

Obama, que mal tolera o bate-papo que é tradição presidencial, recebe muito menos linhas do que seus antecessores. George W. Bush e sua esposa, Laura Bush, trabalharam uma linha de fotos em cada uma das 25 festas de fim de ano que ele organizou em 2008, seu último ano no cargo, mas a Casa Branca de Obama eliminou quase todos. O Congresso e a mídia estão entre os grupos que ainda se mantêm na fila para o aperto de mão do presidente.

Os Obama reduziram o ritual em parte porque é exigente e demorado - cada linha dura até duas horas e meia - e em parte porque queriam dar ao maior número possível de pessoas a oportunidade de visitar a Casa Branca.

“É apenas longo, cansativo e muito difícil de passar”, disse Tina Tchen, chefe de gabinete de Obama, em uma entrevista. “Também tivemos que equilibrar, do ponto de vista da equipe, linhas de fotos e quantas pessoas poderíamos entrar.”

Ao eliminar a fila de recepção, disse Tchen, a Casa Branca pode convidar o dobro de pessoas para uma festa. Mas a reação privada foi feroz em alguns setores.

O momento pode ser muito mais do que uma imagem. A festa do Congresso na Casa Branca na semana passada foi o primeiro encontro cara a cara de Obama com o presidente da Câmara Paul D. Ryan, republicano de Wisconsin, desde que Ryan assumiu seu cargo em novembro. Se os dois falassem sobre o acordo orçamentário de final de ano necessário para evitar o fechamento do governo, nenhum dos lados diria isso.

O drama também se desdobra na linha de fotos. Em 1999, um ano após administrar o processo de impeachment contra o presidente Bill Clinton, o deputado James E. Rogan, republicano da Califórnia, alinhou-se com sua esposa para ser fotografado com o presidente e Hillary Clinton.

Quando chegou a vez dos Rogans e eles foram anunciados, o Sr. Rogan disse em uma entrevista, o Sr. Clinton “meio que olhou para mim engraçado por um momento, então ele soltou um grande suspiro e me deu um grande sorriso e disse: ' Jim, obrigado por ter vindo. Estou muito feliz que você esteja aqui. Feliz Natal.' "

"Parecia que ele e eu tínhamos remendado tudo", disse Rogan. Mas Clinton, que se distraiu ao se despedir do convidado anterior, não foi tão amigável. Quando ela finalmente percebeu o Sr. Rogan, seus olhos se arregalaram de surpresa, ele disse, e ela agarrou suas mãos tensamente. “Havia um pouco de gelo e uma pequena careta”, disse ele.

O encontro aparentemente tocou um nervo na Casa Branca. Logo depois, a foto dos Rogans e dos Clintons apareceu em uma coluna amplamente lida no jornal de Washington ao lado de um item sugerindo que Rogan era hipócrita por promover sua rivalidade com os Clintons em apelos para arrecadação de fundos e depois disputar uma foto com eles. na Casa Branca.

Steve Elmendorf, um estrategista democrata e lobista com laços estreitos com a Casa Branca que compareceu a festas de fim de ano lá por décadas, disse: “Eu sempre fiquei surpreso com os membros do Congresso que tinham relacionamentos adversos com o presidente, às vezes relacionamentos pessoais adversos - ou eles foram ao plenário para impeachment ou foram ao plenário e o chamaram de criminoso de guerra - mas eles apareceriam na festa de Natal com sua esposa e seus filhos a reboque e posariam para a foto como se nada tivesse acontecido ”.

Há poucas interrupções para os Obama na confusão de encontros fotográficos. Os assessores garantem que o presidente e a primeira-dama tenham breves momentos para bebericar água ou usar um banheiro, e acolchoamento extra é colocado sob o tapete em que eles estão na sala de recepção diplomática para maior conforto. Os convidados recebem tíquetes com códigos de cores e cronometrados informando quando devem entrar na fila, e assistentes sociais militares estão à disposição para conduzi-los rapidamente, anotar seus nomes e anunciar aos convidados quando for sua vez de tirar um retrato, capturado pelo oficial Fotógrafo da Casa Branca.

"Sempre costumávamos dizer ao presidente e à Sra. Bush de antemão quantos cliques eram esperados naquela noite para que estivessem mentalmente preparados", disse Amy Zantzinger, que atuou como secretária social da Sra. Bush. “O que sempre me surpreendeu foi a pessoa que não parava de seguir em frente, a pessoa que tinha que contar uma história ou várias histórias e simplesmente não se mexia.”

Os assessores sociais militares também seguram bolsas femininas, tanto por conveniência quanto para desencorajar pedidos de autógrafos ou selfies com o presidente.

Ann Compton, que cobriu a Casa Branca por 40 anos para a ABC News, disse que quase sempre tratou a foto como uma oportunidade crucial, embora breve, de fazer uma pergunta ao presidente que só ele poderia responder. A exceção foi na primeira festa de Natal do presidente George Bush em 1992, um evento sombrio porque ele havia acabado de perder em sua campanha de reeleição e se preparava para deixar a Casa Branca.

A Sra. Compton disse que ela e seu marido optaram por não se juntar à fila de fotos, mas que então encontraram os Bushes enquanto posavam com os últimos convidados.

“Barbara Bush olhou para mim e disse:‘ Você não estava na linha ’”, lembra Compton, “e eu disse:‘ Sra. Bush, esse foi nosso presente de Natal para você. '”


Michelle Obama compartilha as tradições do feriado na Casa Branca, desde a decoração até Mariah Carey

Quer dar uma espiada em como é o Natal na Casa Branca? Aqui vai uma dica: envolve ouvir Mariah Carey.

A primeira-dama Michelle Obama falou sobre as tradições do feriado de sua família na edição de dezembro / janeiro do Ladies 'Home Journal, e disse que, apesar de morar na casa mais famosa do mundo, suas atividades nesta época do ano não mudaram muito.

Assim que a residência na Avenida Pensilvânia 1600 é decorada, Michelle, Barack, Sasha e Malia Obama passam muito tempo entretendo-se.

“Temos uma recepção quase duas vezes por dia, todos os dias, até 21 de dezembro”, disse a primeira-dama. “Isso significa canapés, gemada e biscoitos para todos os hóspedes que passarem. A casa tem um cheiro incrível por um mês inteiro. ”

Mas, ela observou, os lanches do feriado não são muito prejudiciais para o famoso físico esguio do primeiro casal. “Estamos em uma fila de recepção ou fila de fotos, cumprimentando as pessoas, então, felizmente, temos muito pouco tempo para comermos”, disse ela.

Durante as férias, a casa fica repleta de árvores de todas as formas, tamanhos e significados, e Michelle mencionou que eles gostam de prestar uma homenagem especial aos homens e mulheres que prestam serviço.

“Sempre dedicamos a árvore de Natal do Salão Azul, que tem a maior árvore da casa, às famílias de militares”, disse ela à revista. “Este ano vamos decorá-la com fotos da volta dos militares. Também estamos pedindo às famílias de militares que compartilhem suas tradições, e elas também se refletirão nos ornamentos ”.

Ela também disse que faz questão de reservar pelo menos uma árvore para suas filhas decorarem: “Normalmente é a árvore da sala do Oval Amarelo. Teremos chocolate quente, acenderemos qualquer que seja o tempo, pegaremos uma cesta de enfeites e então colocarei a primeira música natalina da temporada. ”

Não surpreendentemente, sua lista de reprodução não é tão diferente de qualquer uma das nossas. “Tenho uma lista de reprodução fenomenal que inclui, é claro, 'A Charlie Brown Christmas', bem como James Taylor, Mariah Carey, Boyz II Men e Nat King Cole", ela revelou. "As crianças me provocam porque sabem que é Natal quando eu pego minha playlist. ”

Michelle faz questão de não esquecer sua educação humilde e levou uma tradição em particular de sua modesta casa de infância em Chicago para o presente. “Nossa família era tão grande que as pessoas não tinham dinheiro para comprar presentes para todos”, ela lembrou. “Então, algumas de nossas tias saíam e compravam pequenos presentes. Eles iriam colocá-los em uma cesta e para conseguir um presente você tinha que representar. Todos, do menor ao mais alto, do mais velho ao mais novo, tinham que fazer algo. Você poderia contar uma piada, ler um poema, dar um salto mortal - tudo contava. ”

Ela diz que no passado fez uma brincadeira com Bo (o cachorro de água português de Obama), as meninas fizeram peças de teatro e o presidente costumava cantar uma ou duas canções.

Quando se trata de presentes para as meninas, Michelle diz que eles são limitados porque Sasha e Malia "entendem que tudo o que precisam, elas já têm". Em vez disso, a família se concentra em dar aos outros e apoiar o Toys for Tots. "Tento lembrar as pessoas de comprar para uma faixa etária ampla - as pessoas adoram comprar brinquedos para as crianças, mas também há adolescentes em quem pensar. Os adolescentes adoram jogos eletrônicos de aprendizagem e você nunca pode errar em lhes dar roupas. "

Como já é tradição, os Obama passarão o Natal no estado natal do presidente, o Havaí, tendo um "dia de paz" apenas para aproveitar o tempo com a família e amigos.


Tradições de Natal da Casa Branca

Poucas primeiras damas desfrutaram do Natal de maneira tão exuberante e criativa como Pat Nixon. Durante as cinco temporadas de férias que passou na Casa Branca, a Sra. Nixon introduziu tradições que continuam até os dias atuais. Ela estabeleceu um padrão para enfeitar a Mansão Executiva durante as férias que todas as primeiras-dama desde então honraram e construíram.

Durante a maior parte do século XIX, as primeiras famílias celebraram o Natal em particular e modestamente, como a maioria dos americanos. A primeira árvore de Natal documentada a aparecer na Mansão Executiva foi em 1889, quando o presidente e a Sra. Benjamin Harrison colocaram uma árvore perene nos aposentos da família para encantar seus netos. Demorou mais 23 anos antes que uma árvore fosse colocada no piso estadual, durante o último Natal do presidente e da Sra. Taft na Casa Branca, em dezembro de 1912.

O Presidente e a Sra. Nixon, junto com a filha Tricia, durante seu primeiro Natal na Casa Branca. A árvore de Natal oficial foi colocada no Hall de Entrada em 1969, mas foi devolvida ao seu local habitual na Sala Azul no ano seguinte e todos os anos depois disso.

Fundação Richard Nixon

As comemorações de Natal na Casa Branca cresceram gradualmente ao longo dos anos que se seguiram, com base nas preferências e gostos pessoais dos ocupantes. Mamie Eisenhower manteve o recorde por muitos anos, instalando 26 árvores em um ano, espalhadas por todos os andares da casa. Em 1961, Jacqueline Kennedy iniciou a tradição de selecionar um tema para a árvore da Sala Azul.

Oito anos depois, Pat Nixon presidiu o primeiro dos cinco Natais presidenciais dos Nixon. Como disse Mary Evans Seeley, uma cronista dos feriados na Casa Branca: “No Natal, os Nixons, mais do que qualquer Primeira Família anterior, permitiram que sua casa particular se tornasse a mais taberna da América”. 1 O Natal na Casa Branca de Nixon refletiu o compromisso da Sra. Nixon de tornar a Casa Branca mais acessível a mais pessoas do que nunca.

A primeira-dama dá as boas-vindas ao Papai Noel em uma festa para os funcionários da residência da Casa Branca uma semana antes do Natal de 1973.

Fundação Richard Nixon e ampnbsp

Em 1971, durante seu terceiro Natal como primeira-dama, a Sra. Nixon explicou sua abordagem para os feriados de Casa e Jardim revista: “Antes de virmos para a Casa Branca, nossos amigos sempre olhavam para nós para ver que surpresas íamos dar a eles no Natal, com nossas decorações, nossa festa de‘ casa aberta ’. Sempre tentamos tornar o Natal especial e diferente. Na Casa Branca, também gostamos de dar surpresas ”. 2 Muitas dessas “surpresas” tornaram-se tradições duradouras.

Uma das tradições mais memoráveis ​​que a Sra. Nixon inaugurou foram os passeios anuais à luz das velas para o público. Ao anunciar os passeios, a Sra. Nixon disse que queria que as pessoas, especialmente as que trabalham em Washington, não pudessem visitar a Casa durante o dia, para ver a Mansão “iluminada com a magia e o espírito do Natal”. 3 Os passeios se tornaram populares imediatamente, atraindo milhares de pessoas todas as noites.

A Sra. Nixon cumprimenta os visitantes nos degraus do North Portico durante as 1972 Candlelight Tours.

Fundação Richard Nixon

Julie Nixon Eisenhower lembrou que “o fogo queimava nas salas Vermelha, Verde e Azul, e os lustres e arandelas de parede estavam tão baixos que pareciam velas. Grupos rotativos de [bandas das forças armadas] tocavam canções de Natal no Grand Foyer. A atmosfera era mágica. ” 4 As visitas públicas à luz das velas tornaram-se uma tradição anual muito apreciada na Casa Branca por mais de trinta anos.

Outra tradição de Natal duradoura que a Sra. Nixon começou é a casa de pão de gengibre da Casa Branca. Embora algumas primeiras-damas anteriores tivessem incluído uma casa de pão de gengibre como parte de suas decorações de Natal, a Sra. Nixon fez dela uma tradição anual que continuou ininterrupta desde então.

Em 1969, a pedido da Sra. Nixon, o Sous Chef Hans Raffert da Casa Branca criou uma casa de pão de gengibre em forma de A relativamente simples, completamente comestível. A charmosa confeitaria, que foi colocada em uma mesinha lateral do Salão de Jantar de Estado, pesava aproximadamente 18 quilos.

Sra. Nixon e filha Julie Nixon Eisenhower apreciando os detalhes da casa de pão de gengibre de 1971 da Casa Branca.

Fundação Richard Nixon

Ao longo dos anos, a casa de pão de gengibre da Casa Branca tornou-se cada vez mais elaborada, à medida que sucessivas equipes de confeitaria da Casa Branca procuravam superar as criações do ano anterior. A casa de pão de gengibre deste ano inclui um quadro de marcos americanos, incluindo o Monte Rushmore, a Estátua da Liberdade e o Álamo, e pesa quase 180 quilos!

Tricia Nixon Cox refletiu recentemente sobre o que inspirou a abordagem de sua mãe para o Natal. “Para minha mãe, o Natal significava mais do que receber. Na Casa Branca, há um ambiente especial para retribuir a toda a nação na época do Natal. Suas inovações - os passeios à luz de velas, a casa de pão de gengibre - evocaram uma época mais simples na história do nosso país. ”

Uma nevasca em dezembro de 1973 no dia em que uma festa estava sendo realizada para os filhos de membros do Corpo Diplomático em Washington levou a Sra. Nixon a iniciar outra tradição, menos permanente. Por sugestão dela, membros de sua equipe construíram um boneco de neve no Gramado Sul, do lado de fora da entrada da Sala de Recepção Diplomática, de onde ele poderia ser visto da Sala Azul.

O Presidente e a Sra. Nixon no Gramado Sul desfrutam de um boneco de neve criado por membros da equipe da Sra. Nixon em 17 de dezembro de 1973.

Fundação Richard Nixon

Joni Stevens, que trabalhava no escritório de nomeações da primeira-dama, recentemente se lembrou daquele dia. “A neve estava fina e seca, não era adequada para fazer um boneco de neve. Por isso, pedimos aos zeladores que estavam arando a entrada sul da garagem que colocassem um pouco de neve nas latas de lixo. Nós adicionamos um pouco de água à neve para torná-la embalável. ” O alegre boneco de neve encantou todas as crianças que compareceram à festa naquele dia.

Dona Nixon também foi responsável por renovar uma tradição anterior, ausente há 25 anos, de colocar coroas de flores em todas as janelas da fachada norte do Mansão Executivo. 5 Ao contrário dos anos anteriores, no entanto, as coroas com fitas eram visíveis dia e noite, graças ao projeto bem-sucedido da Sra. Nixon de iluminar o exterior da Casa Branca todas as noites pela primeira vez em sua história.

A Família Nixon posa para um retrato em frente à árvore de Natal oficial de 1971 na Sala Azul. Esta foto está entre os retratos de família favoritos da família nos anos da Casa Branca.

Fundação Richard Nixon

De acordo com o autor Alvin Rosenbaum, “Sra. Nixon superou seus antecessores em decoração de Natal, recepções e entretenimentos. ” 6 Mas Cindy Vanden Heuvel Tague, que trabalhou no escritório da Sra. Nixon de 1970-1974, observou recentemente que não foi o que motivou os esforços da Sra. Nixon para tornar o Natal na Casa Branca verdadeiramente especial. "Sra. Nixon queria que a Casa Branca no Natal fosse um lugar caloroso e acolhedor - festivo, amigável e com um toque caseiro. Ela queria que todos tivessem uma experiência maravilhosa. ”

Nos cinquenta anos desde que a Sra. Nixon celebrou o Natal pela primeira vez na Casa Branca, cada um de seus sucessores se inspirou para garantir que os visitantes de férias na Casa Branca tivessem uma experiência inesquecível. Em grande parte, o legado natalino de Pat Nixon continua a encantar todos aqueles que visitam a mansão durante esta época festiva do ano.


Tradições populares de férias na Casa Branca

A primeira festa da casa branca

Em 1800, o presidente John Adams e a primeira-dama Abigail Adams decidiram fazer uma festa para sua neta de 4 anos, Susanna, dando início ao costume da festa de Natal na Casa Branca que continua até hoje.

A primeira “brincadeira”

Por volta das festas de fim de ano, é comum que na Casa Branca sejam realizadas diversas atividades voltadas para as crianças. A inspiração para esse tipo de evento veio em 1835, quando o Presidente Andrew Jackson organizou sua “brincadeira” para as crianças. Este foi um caso enorme envolvendo jogos, uma refeição extensa e terminou com o grand finale & # 8211 uma luta de "bola de neve" indoor usando bolas de algodão especialmente feitas.

A primeira árvore da casa branca

Em 1889, o presidente Benjamin Harrison introduziu a primeira árvore de Natal na Casa Branca, decorando-a elaboradamente com brinquedos, doces e enfeites. Embora esta tenha sido a primeira árvore da Casa Branca, nem todos os presidentes seguiram a tradição, dependendo de onde passam as férias e se há crianças presentes.

Natal “Verde”

O presidente Theodore Roosevelt é conhecido por seu amor pela natureza e por sua postura determinada em relação à conservação. Por esse motivo, ele não acreditava no corte de árvores para serem usadas como decoração de Natal, mas se esforçava em outras áreas, talvez para compensar essa percepção de falta de ânimo natalino. Ele deu uma festa enorme para mais de 500 crianças com uma refeição, dança, lembrancinhas e até mesmo um Papai Noel elaborado feito inteiramente de sorvete. A lenda, entretanto, diz que seu filho, Archie, ainda escolheu se esgueirar em uma pequena árvore para as férias. Em qualquer caso, Roosevelt é creditado por iniciar a tradição de decorar um pinheiro vivo nos terrenos da Casa Branca, em vez de cortar uma nova árvore.

Natal “Azul”

Em 1909, o Presidente William Taft e seus filhos decoraram uma árvore na Sala Azul. Foi a primeira vez que uma árvore foi decorada em uma área pública da Casa Branca. Essa tradição também continua hoje.

A árvore de natal nacional

O presidente Calvin Coolidge levou a ideia da árvore pública a outro nível em 1923 com o batismo da “Árvore de Natal Nacional” fora da Casa Branca em uma área de exibição pública. Todos os anos, desde então, esta enorme árvore perene tem sido iluminada, decorada e designada como a Árvore Nacional, uma tradição que evoluiu ao longo dos anos para incluir inúmeras outras atividades. O fim da Segunda Guerra Mundial e a Guerra da Coréia foram comemorados com o “Pageant of Peace”. Essa prática continuou, envolvendo um sólido mês de festividades iniciadas com o acendimento da árvore. O “Caminho para a Paz” refere-se à passarela em torno da Árvore de Natal Nacional que possui 56 árvores de cada estado e território, todas decoradas com exclusividade e disponíveis para visualização pelo público.

Natal de quebra-nozes

A primeira árvore temática da Casa Branca foi criada em 1961 pela primeira-dama Jacqueline Kennedy, que escolheu o tema Quebra-nozes. Escolher um tema tem sido uma prática padrão desde então.

Feliz Hanukkah

O presidente Jimmy Carter se tornou o primeiro presidente a reconhecer este feriado judaico quando acendeu a menorá durante o Pageant of Peace em 1979, algo que continuou como parte da programação anual de feriados da Casa Branca.

Árvores em dúzia

Em 1959, o presidente Eisenhower definiu os padrões do espírito natalino instalando nada menos que 26 árvores em cada andar da Casa Branca. Este recorde foi posteriormente quebrado, no entanto, pelas colossais 36 árvores da administração Clinton em 1997 para o tema da oficina do Papai Noel. Foi também durante o mandato de Eisenhower que o Santa Tracker do NORAD (Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte) começou.

Sentindo o espírito natalino? Certifique-se de verificar esses outros artigos de férias do blog do Sporcle.


30 tradições de Natal exclusivas para começar com sua família este ano

Há uma razão pela qual a temporada de férias tende a evocar sentimentos tão calorosos e difusos: é uma das poucas vezes durante o ano em que fazemos uma pausa na agitação do mundo sempre ligado em que vivemos, e aqueles que celebram se reúnem com amados outros para participar das tradições de Natal consagradas pelo tempo. As atividades de Natal obrigatórias de algumas pessoas incluem assistir a filmes Hallmark, enquanto outras fazem receitas de família e sobremesas de inverno enquanto tocam músicas festivas. Mas se você está procurando um novo costume para adicionar ao seu roteiro, há inúmeras ideias antigas e novas para adotar pela primeira vez este ano. Embora muitas das tradições de Natal mais antigas de todo o mundo em países como França, Alemanha e Inglaterra ainda sejam predominantes hoje (canções de natal e mercados, por exemplo), também há uma abundância de opções modernas divertidas (como usar pijamas combinando e fazer um biscoito trocar com amigos). E embora as férias possam parecer um pouco diferentes em 2020, todas as tradições listadas aqui podem ser favoráveis ​​ao distanciamento social.

Se você está procurando tradições para começar com um bebê ou apenas quer tornar a temporada ainda mais especial neste ano, aqui estão 30 opções para crianças, casais e famílias escolhidas de todos os tipos. Não importa como você escolha para comemorar, esses pequenos rituais adicionam um elemento de intimidade que faz parte do que torna 24 e 25 de dezembro & mdas e as semanas que antecederam & mdashmagical para muitos. Essas ideias doces e únicas certamente deixarão você com boas lembranças.


Receitas fáceis de biscoitos de Natal

Esperou até o último minuto para assar seus biscoitos de Natal? Não se preocupe! Essas guloseimas festivas são fáceis de fazer - e vão espalhar muita alegria natalina.

Relacionado a:

Foto por: Renee Comet & copy © 2016, Television Food Network, G.P. Todos os direitos reservados

Foto por: Matt Armendariz & copy2014, Television Food Network, G.P. Todos os direitos reservados

Foto por: Renee Comet & copy © 2016, Television Food Network, G.P. Todos os direitos reservados

Foto por: Matt Armendariz & copy2014, Television Food Network, G.P. Todos os direitos reservados

Foto por: Tara Donne & copyTara Donne

Foto por: Jon Paterson / Studio D

Flores de gemada

Considere estes biscoitos a mordidinha perfeita do Natal, tudo embrulhado em uma guloseima saborosa!

Cookies meltaway de gemada

Essas guloseimas em forma de bola de neve derretem na boca e criam um mashup açucarado de noz-moscada, rum e bourbon. Yum!

Biscoitos de açúcar redemoinhos de férias

Um toque vibrante para seu biscoito de açúcar padrão: os redemoinhos de glacê elegantes e acabamento liso e brilhante irão lembrá-lo de uma bengala de bala de menta.

Biscoitos De Chocolate Crinkle

A única maneira de tornar este deleite de chocolate ainda melhor? Aromas de café expresso e açúcar de confeiteiro torrado com neve!

Biscoitos de açúcar mastigáveis

Bata a manteiga e o açúcar até que fiquem bem claros e fofos para obter uma ótima consistência para esses biscoitos de açúcar de cozimento rápido.

Biscoito de Macadâmia com Coco Sandra Lee

Sandra gostaria que cada biscoito de Natal fosse tão fácil de fazer quanto esses doces de inspiração tropical (que começam com massa de biscoito de açúcar comprada em loja). "A parte mais difícil", diz Sandra, "é comer apenas um!"

Coconut Macaroons

Simples, decadente e feito em apenas 35 minutos, os Macaroons de Coco da Ina são um excelente petisco para levar.

Biscoitos de Natal com confete de chocolate branco

Bring the holiday cheer with these festive cookies. They're exploding with sprinkles and yummy drizzled white chocolate.

Ultimate Ginger Cookie

Ina's cookies are filled with spices: cinnamon, cloves, nutmeg and ginger, plus chopped crystallized ginger. A coating of sugar before baking gives them a crinkly crust.

Chocolate Coconut Balls

Anne's Pignoli Cookies

Pignoli cookies may be standard at any Italian bakery but they're actually simple to make at home. Mix them in one bowl e they're ready in less than an hour. Anne Burrell's special touch? A bit of honey.

Snickerdoodles

Who wouldn't love a cookie that's set with a good dose of cinnamon-sugar but still nice and soft in the center?

Cornmeal Wreaths

These golden wreaths give the perfect amount of holiday spirit with their sweet taste and playful appearance.

Sunny's German Chocolate Cake Cookies

Butterscotch-Walnut Cookies

Crispy cookies with butterscotch and walnut fillings are the best way to treat yourself on a cold winter day!

Throwdown Chocolate Chip Cookies

Cookies de chocolate branco e cranberry

Peanut Butter Cookies

These peanut butter-filled cookies are creamed together all in one bowl. What could be easier than that?

Macadamia-Almond Christmas Cookies

Feeling a little nutty this Christmas? Add that into your baked goods for some crunchy yumminess with a macadamia and almond combo!

Holiday Haystacks

Get festive with this cute and creative treat! Gather your traditional dessert ingredients and experiment with chow mein noodles for the layered structure. Pouring the melted chocolate and the holiday sprinkles over the cookie is what really seals the deal.

Super Yummy Chocolate Chunk Oatmeal Cookies

Anne is a dark-chocolate fan so she chops it up with walnuts to make these oatmeal cookies nice and chunky. Top them with a sprinkle of sea salt to give them a little something special.

Cinnamon-Spiced Hot Chocolate Cookies

The best alternative to your favorite winter drink? Hot Cocoa Cookies, of course! They've got cinnamon spice wrapped in a chocolatey cookie (perfected with a bonus of tasty almonds and dulce de leche).

Blondie with Dark Roots

Guy folds hazelnuts, coconut and chocolate chips into his blondie batter for an easy, but delicious, treat. Simply spread the batter into a pan, bake for 40 minutes and cool before slicing into individual squares.


Traditional English RecipesTasty English Food For You to Cook

Most traditional English recipes have a long and eventful history. Some were passed down through generations of cooks, others were chance inventions that were so well liked that many cooks took them up and made them classics. This section of the site is my collection of things I've found and tried and loved.

There are recipes for an English breakfast, which is much more than bacon and eggs or toast on the run.

Soups are true soul food. They can be uplifting or soothing, calming or invigorating. They are easy to make and can feed a crowd, while Salads can turn a summer afternoon picnic into a stylish eating experience.

Sanduíches are a great English invention that's sadly been overtaken by the supermarkets. But make your own and you will really know the wonders of a good sandwich, whether you eat it at your desk or outside on the lawn as part of a picnic.

Tasty, warming, comforting . a good dinner should be all of these and we have a vast number of traditional English recipes that fit the bill perfectly.

Puddings are an English love affair. Summer desserts are light, fruity and just right for being eaten outside in the sunshine. And come winter, we look for more warming, comforting fare, to steamed puddings, baked puddings, warming crumbles and apple pie.

Drinking tea is an institution in England. And for most people, just a cuppa just won't do. There has to be something alongside it: a biscuit, a slice of cake, a bun or a scone. And just like baking, jam making, pickling and preserving are real kitchen pleasures, because the results of your labours are around for weeks if not months to be enjoyed.

While everyone can name at least three English drinks, what about all the others? The old-fashioned tried and tested ones? What about mulled wine, shandy gaff, claret cup, sloe gin, mead, a bowl of punch or a glass of cherry brandy?

Christmas without its myriad of traditional recipes just wouldn't be Christmas. Check out all the traditional favourites like mince pies, christmas pudding, mulled wine, chestnut soup and more in my Christmas food seção.

And finally, there are sections for apple recipes, mincemeat recipes, asparagus dishes and recipes for the most maligned of all vegetables: Brussels Sprouts. Over time, I'm sure there'll be more. I love researching recipes - unusual ones, traditional ones and local ones - and I'm frequently adding new recipes to this list. Click on the images to move right to the section you're interested in . or browse at leisure through this tasty selection of traditional English recipes.


The best and worst White House Christmas displays

There is nothing like Christmas at the White House. Each winter, America's first family looks to both pay tribute to decades of presidential tradition while also staking out a display all their own — sometimes to varying success.

This is how 14 first ladies prepared for the most wonderful time of the year.

14. Betty Ford, 1975

(Library of Congress)

You can't fault a woman for the decade she has to decorate in. First lady Betty Ford, who lived in the White House through the heart of the 1970s, wasn't exactly fortunate when it came to holiday trends: Think tinsel. Lots and lots of tinsel. Still, despite the unfortunate tackiness of the era, Ford could have avoided some missteps in her "Children's Christmas"-themed White House in 1975 — just look at that sad, skinny Santa Claus! And put some lights or ornaments on that Christmas tree — anything!

13. Eleanor Roosevelt, 1939

(Foto AP)

President Franklin Roosevelt spent some 10 Christmases in the White House, which would admittedly be an exhausting amount of Christmases to have to decorate the mansion for (the president's final two holidays of his 12 years in office were held at the family's home in Hyde Park). Seeing as it was the end of the Great Depression, it is understandable that Eleanor Roosevelt did not go overboard with extravagance in 1939, although that does nothing to forgive the abominable lametta on her tree.

12. Melania Trump, 2018

The People’s House @WhiteHouse is ready to celebrate Christmas and the holiday season! pic.twitter.com/oejKW3mC15

— Melania Trump (@FLOTUS) November 26, 2018

First lady Melania Trump has not found tremendous success decorating the White House just yet (remember her ominous grove of dead trees from last year?). This year's arboreal blunder comes in the form of red evergreen trees, which are unnervingly evocative of the bloodthirsty red weed from War of the Worlds. While she gets points for being bold and thinking outside the box, you never want a Christmas display in which the Twin Peaks brain tree would fit right in.

11. Michelle Obama, 2016

Michelle Obama's last Christmas in the White House was a mishmash of themes, colors, and Portuguese water dogs. While the enormous replicas of Bo and Sunny are cute, they aren't exactly Christmasy. Obama also went overboard with American flag references, which felt out of place beside the wintery displays. Save red, white, and blue for July.

10. Frances Folsom Cleveland Preston, 1898

(The White House Historical Association)

The Cleveland family Christmas tree was the first to have electric light bulbs, although they did nothing to take away from the nostalgic feel of Frances Cleveland's Oval Room display. With the window wreathes and a gorgeous old nativity set adding cheery touches, the whole picture comes together looking downright Dickensian. Still, those dolls are creepy.

9. Claudia "Lady Bird" Johnson, 1967

(Foto AP)

Lady Bird Johnson might not have had the flashiest White House holiday decor, but she did have the coziest. Her display looks so welcoming and natural that you half expect there to be a present for tu waiting under the tree. While that's all well and good for any other home in America, this é the White House, and the Johnsons are docked for their overall lack of pomp. Good dog, though.

8. Mamie Eisenhower, 1958

(AP Photo/Bill Allen, File)

Mamie "Mrs. Christmas" Eisenhower was an enthusiastic decorator, and in 1958 she erected 27 trees throughout the White House, not a one of them fake. Unfortunately, FirstLadies.org reports that she was also an enthusiastic dispenser of tinsel and white spray paint (alas, there are reportedly no color photographs of the whole affair). Perhaps Eisenhower's greatest fault of all, though, was piping Christmas carols into every room of the White House. Yes, yes, we get you love Christmas, but make it stop!

7. Hillary Clinton, 2000

Hillary Clinton's Christmas decor was bastante, but that wasn't necessarily a bad thing. Favoring a green-and-gold color scheme, Clinton's decor in 2000 had a grandmothery feel about it, which was both comforting and festive. Fittingly, her theme was "Holiday Reflections," and her displays contained elements of "the seven [previous] Christmas themes of the Clinton administration." Although the resulting stocking bonanza might be too much for some people, what can I say — I'm a maximalist.

6. Jacqueline Kennedy Onassis, 1961

(AP Photo/Henry Burroughs)

Jackie Kennedy was the picture of elegance, and her White House at Christmastime came to match. Her tasteful Nutcracker-themed Blue Room tree launched the tradition of themed Christmases in the White House, and what a note to start on — strung with light blue ribbon and dangling figurines, the Balsam fir evoked Peter Tchaikovsky's ballet. Notably, Kennedy dispensed with Eisenhower's enthusiastic use of tinsel.

5. Pat Nixon, 1969

Pat Nixon strived for "elegance, beauty, and grace" in her White House decorations, and she didn't fall short. Her refined decorating proved that a little could go a long way — say, a green bow on an Irish setter or simple red pillars. She also launched one of the most beloved White House holiday traditions: the enormous gingerbread house.

4. Barbara Bush, 1990

Barbara Bush loved a good poinsettia, and extended the rich red theme to every room in the 1990 White House. But perhaps the best part about her display was her enthusiasm over every little detail — as she led the press tour, she repeatedly implored the photographers to get close and realmente look at the handicraft of her staff. Even the presidential plumber contributed a white castle made of pipes. Not a detail was overlooked even Millie got a red bow on her collar.

3. Rosalynn Carter, 1978

Rosalynn Carter had a mildly terrifying tree of dolls in the 1978 White House, but if you can put aside that creepiness, you might appreciate the old-timey look of her Christmas display (even the Carters' Christmas card was a throwback to the days of yore). Of all the nostalgic decorations employed by first ladies over the years, Carter's is the most impressive, with a marigold sting of pompoms nicely tying together with the window drapes, and generally making the whole room feel warm. Additionally, like many other White House families, Carter made the reason for the season a prominent part of her decor: just look at that fabulous, towering nativity.

2. Laura Bush, 2007

You've got to hand it to the Bush family they sure know how to decorate for Christmas. Laura Bush took a page out of first lady Hillary Clinton's playbook with the gold and green palette in 2007, but made it all her own. While the natural-looking theme was a risk — Bush chose to represent "Holiday in the National Parks" that year — the understated beauty works, with the fluffy piles of "snow" on the bows of the trees and wreathes making it feel like you were outdoors. The Christmas cookies, of course, were in the shape of animals you could find in the parks.

1. Nancy Reagan, 1987

(AP Photo/Barry Thumma)

No one did Christmas quite like Nancy Reagan. From hanging out with ALF to throwing fake snowballs with Dom DeLuise to sitting on the lap of Mr. T, Reagan embraced her role as the conductor of the White House Christmas. The first lady's childlike excitement about the holidays got at the heart of what Christmas is all about in fact, you could frequently find Nancy sprawled out among the children, enjoying the entertainment. In her 1987 display, she had a music-themed Blue Room tree, although perhaps the best room was one in which eight towering evergreens were adorned with silver lights and surrounded by soft drifts of fake snow. "The room is warm, but it feels like it's snowing," DeLuise told the press in awe. Agora isso é Christmas magic.


Conteúdo

A Passover Seder is a ritual meal held by Jews on the first two nights of the Passover holiday (first night only in Israel). The Seder is traditionally conducted in the home by the family and their invited guests, although it may also be held by any group of Jews, such as members of a synagogue, condominium complex, student group, army base, etc. At the Seder, participants read the Haggadah, a ritual text recounting the liberation of the Israelites from slavery in ancient Egypt. The reading is accompanied by visual aids in the form of the symbolic foods on the Passover Seder Plate. A festive meal is part of the ritual. [1] [2] While religious Jewish law places certain restrictions on a non-Jew eating at a Seder, [3] non-traditional Jews often invite non-Jews to their Seders, and non-Jews also conduct Seders of their own, [4] although the latter practice is highly controversial. [5] [6] [7]

The White House Passover Seder had its origins in an informal Passover Seder conducted on April 19, 2008, by three junior staff members of then-presidential candidate Barack Obama's campaign. At the time, Obama and his campaign team were in Harrisburg, Pennsylvania, in advance of the Pennsylvania primary, and the Jewish staffers realized they would not be able to go home to be with their families on Seder night. The three staffers – Eric Lesser, Herbie Ziskend, and Arun Chaudhary – obtained a "Passover kit" with wine, matzo, macaroons, and Haggadahs from the Hillel House at the University of Pennsylvania and were conducting a late-night Seder in a meeting room of the Sheraton Hotel in Harrisburg when Obama walked in. "Hey, is this the Seder?" Obama asked. He and a group of aides, all non-Jews, joined in to recite the Haggadah. Obama was familiar with the ritual, having attended Passover Seders for the previous nine years. At the end of the Seder, when the assembled said the traditional wish, "Next year in Jerusalem", Obama added, "Next year in the White House". [8] [9]

The following year, with Obama elected president and his junior staffers working in the White House, Obama encouraged the group to hold the Seder again. [8] The 2009 event was the first time that a sitting U.S. president conducted a Passover Seder in the White House. [8] [10] [11] The White House switchboard was reportedly swamped with callers seeking a dinner invitation. [12] The White House Seder was scheduled for the second night of Passover to allow Jewish staffers to spend the first Seder on the first night of Passover with their families. [11] About 20 guests sat around a table in the Old Family Dining Room reading the Haggadah and sampling the traditional Seder foods. Malia and Sasha Obama, being the youngest in attendance, recited the Four Questions [13] and engaged in the search for the afikoman. [9]

Obama hosted the White House Passover Seder for all eight years of his administration. [14] Among the annual traditions for the White House Seder were Obama's imitation of Pharaoh, Chaudhary's speech on the Hillel sandwich, and the hiding of the afikoman under the watchful eye of a Secret Service member. [8] [13] The Seder convened in the Old Family Dining Room and lasted for two hours. [15] During Obama's last year in office in 2016, the Seder was held on April 26, [14] the sixth day of Passover, due to Obama's previously scheduled visit to Saudi Arabia on the first and second nights of Passover. [16]

During a visit to Israel in 2013, Obama stated that he brought the Passover Seder to the White House to acquaint his daughters with the story of the Exodus, whose themes resonated with his personal beliefs. [17] [10] He said:

To African Americans, the story of the Exodus was perhaps the central story, the most powerful image about emerging from the grip of bondage to reach for liberty and human dignity – a tale that was carried from slavery through the Civil Rights Movement into today. For me, personally, growing up in far-flung parts of the world and without firm roots, the story spoke to a yearning within every human being for a home. [10]

The White House Seder participants, many of them African Americans, were cognizant of the similarities between the story of the Israelites' Exodus from Egypt and the American civil rights movement. The themes of social justice, struggle, and freedom were often evoked during discussion at the meal. [8] At the point in the ritual when the prophet Elijah is welcomed to the meal, the guests recited the Emancipation Proclamation. [8]

The choice of serving pieces was also symbolic. In 2009, the group used silverware from the Truman administration, remembering Truman as the first President to recognize Israel. [8] In 2013, Israel First Lady Sara Netanyahu gave as a gift a Seder Plate, which was used each year at the dinner. [8] [17] Those in attendance read from the Maxwell House Haggadah, which is widely used in Jewish homes. [17] [13]

The menu at the White House Passover Seder featured traditional American Jewish Passover cuisine such as gefilte fish, charoset, chicken soup with matzah balls, brisket, potato kugel, and macaroons. [13] [18] Salads and vegetable side dishes completed the menu. [18] Lesser brought handmade shmurah matzah from the Chabad-Lubavitch center in Springfield, Massachusetts. [19] Family recipes were emphasized: in 2015, these recipes included matzo ball soup from Ziskend's grandmother, carrot soufflé from Lesser's mother, and Raspberry Ganache Marjolaine from Chaudhary's mother. [18] Recipes covered foods from both the Ashkenazic and Sephardic traditions. [18] The food was not strictly kosher, but kosher style. [20] In 2014, the White House Passover Seder began inviting a guest chef to coordinate the menu with the White House executive chef. [18]

Unlike the White House Hanukkah Party, Obama's White House Passover Seder was not a political event. The guest list did not include rabbinical figures, Jewish lobbyists, members of Congress, or Israeli representatives. [8] [17] The guest list of approximately 20 remained basically the same each year. [13] Attendees included the president and his family, members of the president's and first lady's staff and their families, and friends of the Obamas, with a mix of Jews and non-Jews. [17]

In April 1993 staffers of President Clinton conducted a Passover Seder in the Indian Treaty Room of the Eisenhower Executive Office Building, in the absence of the President. [11] [21]

On April 10, 2017, the first night of Passover, several Trump Administration staffers conducted a Seder in the Eisenhower Executive Office Building, but unlike during the Obama Administration, neither President Trump nor his family members attended the ritual. [22] [23]


Assista o vídeo: Casa Branca (Novembro 2021).