Receitas de coquetéis, destilados e bares locais

Principais marcas de pizza da American Pizza Community

Principais marcas de pizza da American Pizza Community

Impelida pela insatisfação generalizada com as regulamentações federais de rotulagem de cardápio que foram aprovadas em 2010 como parte do amplo pacote de reforma do sistema de saúde, uma coalizão de grandes cadeias de pizza se uniram para formar a The American Pizza Community.

A associação, que representa cerca de 20.000 localidades em todo o país, foi criada para aumentar o perfil dos operadores de pizza junto aos legisladores e outros, e para defender programas que permitirão ao segmento crescer e continuar a criar empregos.

Os membros fundadores do grupo são Domino’s Pizza, Godfather’s Pizza, Hungry Howie’s, International Pizza Hut Franchise Holders Association, Little Caesars e Papa John’s Pizza.

“A comunidade da pizza tem uma ótima história para contar”, disse Lynn M. Liddle, presidente da The American Pizza Community e vice-presidente executiva de comunicações, relações com investidores e assuntos legislativos da Domino’s Pizza em Ann Arbor, Michigan.

“Somos uma indústria empreendedora que oferece um produto novo, completo e personalizável”, continuou ela. “A American Pizza Community está lançando para contar essa história e preparar o terreno para o sucesso contínuo nos próximos anos.”

O grupo está planejando iniciar seus esforços em junho, visitando membros do Congresso e suas equipes em Washington, D.C. “O primeiro passo é fazer os legisladores entenderem o que nossa indústria significa para a economia americana”, disse Liddle. “Queremos que eles saibam quem somos, o que fazemos e a quem tocamos. Queremos dizer a eles como eles pensam sobre a legislação, tente nos manter em mente e nos ajudar a crescer. ”

O lobby também pode desempenhar um papel maior para a associação no futuro, disse ela.

O descontentamento geral com os regulamentos nacionais de rotulagem de cardápio ajudou a galvanizar os operadores de pizza a formar sua própria organização, disse Liddle. As principais marcas de pizza concordaram anteriormente em apoiar as regulamentações nacionais de rotulagem de cardápios em uma iteração inicial do projeto - o Labeling Education and Nutrition ou LEAN Act - o que lhes proporcionaria mais flexibilidade no que diz respeito à publicação de dados nutricionais.

“Dissemos para fazermos on-line ou em um folheto na loja - tudo bem. Já estamos fazendo isso ”, disse Liddle. “Mas é muito difícil para nós fazer painéis de menu. O menu é muito variável. Se você fizer os cálculos, descobrirá que existem 34 milhões de maneiras de preparar uma pizza. ”

RELACIONADO: Delaware passa a exigir rotulagem de menu

No entanto, a medida final - chamada de Menu Education and Labeling, ou MEAL, Act - exigia que todas as informações fossem publicadas nos menus e painéis do menu.

“Pretendemos pressionar por mais flexibilidade na lei”, disse Liddle, acrescentando que, uma vez que a associação esteja instalada e funcionando, ela continuará a crescer. “Estou confiante de que, assim que ganharmos alguma tração, atrairemos mais membros”, disse ela.

Entre em contato com Paul Frumkin em [email protected]


Os mistérios da pizza da lanchonete escolar, mais ou menos resolvidos

Há um cheiro agradável de cola e desinfetante para as mãos Elmer & # x27s no ar, porque está de volta às aulas na semana em BonAppetit.com. Todos os dias, estaremos celebrando os lanches bons, não tão bons e com cores artificiais da infância, refeitórios escolares e muito mais.

Um quadrado pálido doentio se estende por uma extensão fina de metal. Em borracha e flexível, a paisagem pastosa exibe um “vermelho” morno e um curioso “branco” marrom queimado nas bordas. As crianças imploram aos pais pela chance de experimentar seu deleite, fazendo fila depois da Ciência e antes do Inglês para apreciar sua glória ao lado de uma caixa de leite fria e uma história ainda mais fria sobre como a mãe está sendo injusta. Sim meu amigo, estamos falando sobre pizza do refeitório da escola, uma memória sensível que muitos de nós - embora nossas vidas possam ser díspares e nossos caminhos possam nunca se cruzar - compartilhamos. Mas como exatamente essa pizza entrou em nossas vidas? E como conseguiu, digamos, distinto sabor e textura? Huh. Boas perguntas.

Antes de sair em busca de respostas, parecia sensato consultar alguns especialistas em pizza. Na cidade de Nova York e além, há poucos especialistas em pizza mais bem considerados do que o chef rebelde da pizzaria Roberta, o chef rebelde e coproprietário Carlo Mirarchi, que compartilhava sua própria memória de pizza da lanchonete da escola: “Todas as outras sextas-feiras era dia de pizza na minha escola. O que eu lembro sobre isso é que tinha gosto de batata frita e serviram o dia todo, das 7h às 17h. Algumas crianças comeriam essas fatias quadradas com gosto de batata frita e parecendo Ellio & # x27s às 7h30 com meio litro de leite com chocolate. Foi intenso. ”

Intenso.
Existem poucos grupos no Facebook mais explicitamente dedicados à pizza retângulo em escolas públicas do que o & quotPizzaria Retângulo em escolas públicas, & quot, criado em 11 de março de 2010, com 2.244 fãs. O proprietário do grupo & quotPublic School Rectangle Pizza & quot, sem dúvida ele mesmo um especialista em pizza, disse o seguinte em 15 de maio: & quotEu recebo muitas mensagens sobre onde comprar a amada pizza. Não sei. Então, por favor, relaxe com as mensagens até que uma solução seja encontrada. & Quot

Resoluto.
Na minha vida, existem poucos especialistas em pizza de quem gosto mais, pessoalmente, do que minha prima de 6 anos, Kate, que explicou: “Hum. [Pizza da escola] é muito boa. Mas eu gosto mais da pizza da minha mãe. & Quot

Incrível.
Nos últimos anos, em parte devido a Let’s Move! De Michelle Obama! campanha contra a obesidade infantil e o Healthy, Hunger-Free Kids Act, os regulamentos do USDA ficaram um pouco mais rígidos em relação ao tipo de lixo de pizza que você pode alimentar as crianças nas escolas. (Embora não seja tão rígido e mais na teoria do que na prática. Lembra-se de que "pizza é um vegetal"?)

Pode ser por isso que se tornou tão difícil para um repórter comum de pizza obter respostas sobre pizza escolar de alguns dos maiores provedores de serviços de alimentação de cafeterias K-12 - Aramark, Sodexo e Chartwells lutaram com sucesso no Congresso sobre as iniciativas saudáveis. Eles podem ser céticos em relação à agenda de qualquer repórter, específico para pizza ou não. É justo.

Eu só queria aprender sobre a pizza deles, no entanto.
Depois de um pouco de estímulo, Aramark, um provedor de alimentos com sede na Filadélfia que "fornece serviços de nutrição para mais de 2 milhões de alunos diariamente e serve [s] mais de 300 milhões de refeições para alunos do ensino fundamental e médio anualmente", enviou algumas informações que Eu acredito que você vai achar bastante surpreendente:

Oferecemos uma variedade de opções de pizza que atendem ou excedem todas as diretrizes do USDA. Como parte de nossas promoções Aramark FUEL®, que apresenta aos alunos novas receitas e perfis de sabor, ao mesmo tempo que cumpre os regulamentos do USDA. As pizzas são feitas na hora e apresentam crosta de grãos inteiros e queijo magro. Existem algumas opções de pizza, além do queijo padrão ou coberturas vegetarianas.

Os exemplos incluem a Sriracha-Glazed Pizza (pimentos salteados e cebolas, frango em cubos e mistura de queijos, em uma crosta de pizza de grãos inteiros glaceada com um churrasco e molho Sriracha) e Mac & amp Cheese Pizza que apresenta macarrão temperado e queijo com frango em cubos uma crosta de pizza de grãos inteiros.

Pizza com cobertura Sriracha? Pizza de queijo Mac & amp? Conformidade com as regulamentações do USDA mencionadas com uma frequência que ninguém tem escolha a não ser descrever como “muito suspeita”? Vamos!

Parece seguro dizer que este estilo de pizza não é o estilo pastoso, sem graça e vermelho e branco de Ellio & # x27s de pizza que você se lembra quando pensa em “pizza da lanchonete da escola”. Sim, parece que, para entender a origem da clássica "pizza refeitório da escola", podemos ter que procurar em outro lugar. Felizmente, uma pista está escondida na citação de nomes do USDA de Aramark.

O livro de receitas de Quantidade de Receitas do USDA para Serviço de Alimentação Escolar de 1988 fornece receitas para uma série de alimentos básicos da lanchonete escolar: bolo de carne, batata frita de maçã, salada de frutas, bolo amarelo e assim por diante. Suas 320 páginas contêm os segredos dos sabores antes oferecidos com tanta liberdade, agora perdidos no tempo. Mas onde encontrar esse documento? Em cavernas na costa noroeste do Mar Morto, talvez a máscara facial de papiro de uma múmia egípcia, talvez nas catacumbas perdidas de nossa juventude - oh não importa, você pode baixar um PDF.

“Pizza Crust,” “Pourable Pizza Crust,” “Pizza With Cheese Topping” - meus amigos, nós acertamos em cheio.

Sim, parece que podemos tê-la encontrado - a pizza clara e quadrada do nosso passado. Desde então, as receitas foram atualizadas para refletir as mudanças nas diretrizes do USDA, mas apenas ligeiramente. A massa agora é composta por meia farinha de trigo integral, a pizza é feita com queijo mussarela light e, embora as versões modernas possam não ser exatamente como as lembramos de nossa juventude, são, pelo menos, descendentes diretos dos doentes. , quadrado pastoso que todos nós apreciamos tão profundamente.

No post mais recente no Facebook & # x27s semi-popular & quotPublic School Rectangle Pizza & quot group, o proprietário escreve: “Esta página foi feita como uma piada e nostalgia que enviei a alguns amigos. Ele cresceu para ter muito mais seguidores do que eu esperava. Mas é compreensível. A pizza nos alimentou durante a primeira parte de nossas vidas. E por causa disso, crescemos bem. ”

De fato. Ou, uh. Nós vamos. Nós pelo menos gostávamos, naquela época. Mesmo que fosse pastoso. E macio. E estranhamente doce. E ruim para nós. E, claro, não tão bom quanto o da mãe.


Os mistérios da pizza da lanchonete escolar, mais ou menos resolvidos

Há um cheiro agradável de cola e desinfetante para mãos Elmer & # x27s no ar, porque está de volta às aulas na semana em BonAppetit.com. Todos os dias, estaremos celebrando os lanches bons, não tão bons e com cores artificiais da infância, refeitórios escolares e muito mais.

Um quadrado pálido doentio se estende por uma extensão fina de metal. Em borracha e flexível, a paisagem pastosa exibe um “vermelho” morno e um curioso “branco” marrom queimado nas bordas. As crianças imploram aos pais pela chance de experimentar seu deleite, fazendo fila depois da Ciência e antes do Inglês para apreciar sua glória ao lado de uma caixa de leite fria e uma história ainda mais fria sobre como a mãe está sendo injusta. Sim meu amigo, estamos falando sobre pizza do refeitório da escola, uma memória sensível que muitos de nós - embora nossas vidas possam ser díspares e nossos caminhos possam nunca se cruzar - compartilhamos. Mas como exatamente essa pizza entrou em nossas vidas? E como conseguiu, digamos, distinto sabor e textura? Huh. Boas perguntas.

Antes de sair em busca de respostas, parecia sensato consultar alguns especialistas em pizza. Na cidade de Nova York e além, há poucos especialistas em pizza mais bem considerados do que o chef rebelde da pizzaria Roberta, o chef rebelde e coproprietário Carlo Mirarchi, que compartilhava sua própria memória de pizza da lanchonete da escola: “Todas as outras sextas-feiras era dia de pizza na minha escola. O que eu lembro sobre isso é que tinha gosto de batata frita e serviram o dia todo, das 7h às 17h. Algumas crianças comeriam essas fatias quadradas com gosto de batata frita e parecendo Ellio & # x27s às 7h30 com meio litro de leite com chocolate. Foi intenso. ”

Intenso.
Existem poucos grupos no Facebook mais explicitamente dedicados à pizza retangular em escolas públicas do que o & quotPizzaria retangular escolar pública, & quot, criado em 11 de março de 2010, com 2.244 fãs. O proprietário do grupo & quotPublic School Rectangle Pizza & quot, sem dúvida ele mesmo um especialista em pizza, disse o seguinte em 15 de maio: & quotEu recebo muitas mensagens sobre onde comprar a amada pizza. Não sei. Então, por favor, relaxe com as mensagens até que uma solução seja encontrada. & Quot

Resoluto.
Na minha vida, existem poucos especialistas em pizza de quem gosto mais, pessoalmente, do que minha prima de 6 anos, Kate, que explicou: “Hum. [Pizza da escola] é muito boa. Mas eu gosto mais da pizza da minha mãe. & Quot

Incrível.
Nos últimos anos, em parte devido a Let’s Move! De Michelle Obama! campanha contra a obesidade infantil e o Healthy, Hunger-Free Kids Act, os regulamentos do USDA ficaram um pouco mais rígidos em relação ao tipo de lixo de pizza que você pode alimentar as crianças nas escolas. (Embora não seja tão rigoroso e mais na teoria do que na prática. Lembra-se de que "pizza é um vegetal"?)

Pode ser por isso que se tornou tão difícil para um repórter comum de pizza obter respostas sobre pizza escolar de alguns dos maiores provedores de serviços de alimentação de cafeterias K-12 - Aramark, Sodexo e Chartwells lutaram com grande sucesso no Congresso sobre as iniciativas saudáveis. Eles podem ser céticos em relação à agenda de qualquer repórter, específico para pizza ou não. É justo.

Eu só queria aprender sobre a pizza deles, no entanto.
Depois de um pouco de estímulo, Aramark, um provedor de alimentos com sede na Filadélfia que "fornece serviços de nutrição para mais de 2 milhões de alunos diariamente e serve mais de 300 milhões de refeições para alunos do ensino fundamental e médio anualmente", enviou algumas informações que Eu acredito que você vai achar bastante surpreendente:

Oferecemos uma variedade de opções de pizza que atendem ou excedem todas as diretrizes do USDA. Como parte de nossas promoções Aramark FUEL®, que apresenta aos alunos novas receitas e perfis de sabor, ao mesmo tempo que cumpre os regulamentos do USDA. As pizzas são feitas na hora e apresentam crosta de grãos inteiros e queijo magro. Existem algumas opções de pizza, além do queijo padrão ou coberturas vegetarianas.

Os exemplos incluem a Sriracha-Glazed Pizza (pimentos salteados e cebolas, frango em cubos e mistura de queijos, em uma crosta de pizza de grãos inteiros glaceada com um churrasco e molho Sriracha) e Mac & amp Cheese Pizza que apresenta macarrão temperado e queijo com frango em cubos uma crosta de pizza de grãos inteiros.

Pizza com cobertura Sriracha? Pizza de queijo Mac & amp? Conformidade com as regulamentações do USDA mencionadas com uma frequência que ninguém tem escolha a não ser descrever como “muito suspeita”? Vamos!

Parece seguro dizer que este estilo de pizza não é o estilo pastoso, sem graça e vermelho e branco de Ellio & # x27s de pizza que você se lembra quando pensa em “pizza da lanchonete da escola”. Sim, parece que, para entender a origem da clássica “pizza da lanchonete da escola”, podemos ter que procurar em outro lugar. Felizmente, uma pista está escondida na citação de nomes do USDA de Aramark.

O livro de receitas de Quantidade de Receitas do USDA para Serviço de Alimentação Escolar de 1988 fornece receitas para uma série de alimentos básicos da lanchonete escolar: bolo de carne, batata frita de maçã, salada de frutas, bolo amarelo e assim por diante. Suas 320 páginas contêm os segredos dos sabores antes oferecidos com tanta liberdade, agora perdidos no tempo. Mas onde encontrar esse documento? Em cavernas na costa noroeste do Mar Morto, talvez a máscara facial de papiro de uma múmia egípcia, talvez nas catacumbas perdidas de nossa juventude - oh não importa, você pode baixar um PDF.

“Pizza Crust,” “Pourable Pizza Crust,” “Pizza With Cheese Topping” - meus amigos, nós acertamos em cheio.

Sim, parece que podemos tê-la encontrado - a pizza clara e quadrada do nosso passado. Desde então, as receitas foram atualizadas para refletir as mudanças nas diretrizes do USDA, mas apenas ligeiramente. A massa agora é composta por meia farinha de trigo integral, a pizza é feita com queijo mussarela light e, embora as versões modernas possam não ser exatamente como as lembramos de nossa juventude, são, pelo menos, descendentes diretos dos doentes. , quadrado pastoso que todos nós apreciamos tão profundamente.

No post mais recente no Facebook & # x27s semi-popular & quotPublic School Rectangle Pizza & quot group, o proprietário escreve: “Esta página foi feita como uma piada e nostalgia que enviei a alguns amigos. Ele cresceu para ter muito mais seguidores do que eu esperava. Mas é compreensível. A pizza nos alimentou durante a primeira parte de nossas vidas. E por causa disso, crescemos bem. ”

De fato. Ou, uh. Nós vamos. Nós pelo menos gostávamos, naquela época. Mesmo que fosse pastoso. E macio. E estranhamente doce. E ruim para nós. E, claro, não tão bom quanto o da mãe.


Os mistérios da pizza da lanchonete escolar, mais ou menos resolvidos

Há um cheiro agradável de cola e desinfetante para mãos Elmer & # x27s no ar, porque está de volta às aulas na semana em BonAppetit.com. Todos os dias, estaremos celebrando os lanches bons, não tão bons e com cores artificiais da infância, refeitórios escolares e muito mais.

Um quadrado pálido doentio se estende por uma extensão fina de metal. Em borracha e flexível, a paisagem pastosa exibe um “vermelho” morno e um curioso “branco”, marrom queimado nas bordas. As crianças imploram aos pais pela chance de experimentar seu deleite, fazendo fila depois da Ciência e antes do Inglês para apreciar sua glória ao lado de uma caixa de leite fria e uma história ainda mais fria sobre como a mãe está sendo injusta. Sim meu amigo, estamos falando sobre pizza do refeitório da escola, uma memória sensível que muitos de nós - embora nossas vidas possam ser díspares e nossos caminhos possam nunca se cruzar - compartilhamos. Mas como exatamente essa pizza entrou em nossas vidas? E como conseguiu, digamos, distinto sabor e textura? Huh. Boas perguntas.

Antes de sair em busca de respostas, parecia sensato consultar alguns especialistas em pizza. Na cidade de Nova York e além, há poucos especialistas em pizza mais bem considerados do que o chef rebelde da pizzaria Roberta, o chef rebelde e coproprietário Carlo Mirarchi, que compartilhava sua própria memória de pizza da lanchonete da escola: “Todas as sextas-feiras era dia de pizza na minha escola. O que eu lembro sobre isso é que tinha gosto de batata frita e serviram o dia todo, das 7h às 17h. Algumas crianças comeriam essas fatias quadradas com gosto de batata frita e parecendo Ellio & # x27s às 7h30 com meio litro de leite com chocolate. Foi intenso. ”

Intenso.
Existem poucos grupos no Facebook mais explicitamente dedicados à pizza retangular em escolas públicas do que o & quotPizzaria retangular escolar pública, & quot, criado em 11 de março de 2010, com 2.244 fãs. O proprietário do grupo & quotPublic School Rectangle Pizza & quot, sem dúvida ele mesmo um especialista em pizza, disse o seguinte em 15 de maio: & quotEu recebo muitas mensagens sobre onde comprar a amada pizza. Não sei. Então, por favor, relaxe com as mensagens até que uma solução seja encontrada. & Quot

Resoluto.
Na minha vida, existem poucos especialistas em pizza de quem gosto mais, pessoalmente, do que minha prima de 6 anos, Kate, que explicou: “Hum. [Pizza escolar] é muito boa. Mas eu gosto mais da pizza da minha mãe. & Quot

Incrível.
Nos últimos anos, em parte devido a Let’s Move! De Michelle Obama! campanha contra a obesidade infantil e o Healthy, Hunger-Free Kids Act, os regulamentos do USDA ficaram um pouco mais rígidos em relação ao tipo de lixo de pizza que você pode alimentar as crianças nas escolas. (Embora não seja tão rigoroso e mais na teoria do que na prática. Lembra-se de que "pizza é um vegetal"?)

Pode ser por isso que se tornou tão difícil para um repórter comum de pizza obter respostas sobre pizza escolar de alguns dos maiores provedores de serviços de alimentação de cafeterias K-12 - Aramark, Sodexo e Chartwells lutaram com grande sucesso no Congresso sobre as iniciativas saudáveis. Eles podem ser céticos em relação à agenda de qualquer repórter, específico para pizza ou não. É justo.

Eu só queria aprender sobre a pizza deles, no entanto.
Depois de um pouco de estímulo, Aramark, um provedor de alimentos com sede na Filadélfia que "fornece serviços de nutrição para mais de 2 milhões de alunos diariamente e serve [s] mais de 300 milhões de refeições para alunos do ensino fundamental e médio anualmente", enviou algumas informações que Eu acredito que você vai achar bastante surpreendente:

Oferecemos uma variedade de opções de pizza que atendem ou excedem todas as diretrizes do USDA. Como parte de nossas promoções Aramark FUEL®, que apresenta aos alunos novas receitas e perfis de sabor, ao mesmo tempo que cumpre os regulamentos do USDA. As pizzas são feitas na hora e apresentam crosta de grãos inteiros e queijo magro. Existem algumas opções de pizza, além do queijo padrão ou coberturas vegetarianas.

Os exemplos incluem a Sriracha-Glazed Pizza (pimentos salteados e cebolas, frango em cubos e mistura de queijos, em uma crosta de pizza de grãos inteiros cobertos com um churrasco e molho Sriracha) e Mac & amp Cheese Pizza que apresenta macarrão temperado e queijo com frango em cubos uma crosta de pizza de grãos inteiros.

Pizza com cobertura Sriracha? Pizza de queijo Mac & amp? Conformidade com as regulamentações do USDA mencionadas com uma frequência que ninguém tem escolha a não ser descrever como “muito suspeita”? Vamos!

Parece seguro dizer que esse estilo de pizza não é o estilo de pizza grudenta, sem graça e vermelha e branca de Ellio & # x27s que você se lembra quando pensa em “pizza da lanchonete da escola”. Sim, parece que, para entender a origem da clássica “pizza da lanchonete da escola”, podemos ter que procurar em outro lugar. Felizmente, uma pista está escondida na citação de nomes do USDA de Aramark.

O livro de receitas de receitas de quantidade de 1988 do USDA para o serviço de alimentação escolar fornece receitas para uma série de alimentos básicos da lanchonete escolar: bolo de carne, batata frita de maçã, salada de frutas, bolo amarelo e assim por diante. Suas 320 páginas contêm os segredos dos sabores antes oferecidos com tanta liberdade, agora perdidos no tempo. Mas onde encontrar esse documento? Em cavernas na costa noroeste do Mar Morto, talvez a máscara facial de papiro de uma múmia egípcia, talvez nas catacumbas perdidas de nossa juventude - oh não importa, você pode baixar um PDF.

“Pizza Crust,” “Pourable Pizza Crust,” “Pizza With Cheese Topping” - meus amigos, nós acertamos em cheio.

Sim, parece que podemos tê-la encontrado - a pizza clara e quadrada do nosso passado. Desde então, as receitas foram atualizadas para refletir as mudanças nas diretrizes do USDA, mas apenas ligeiramente. A massa agora é composta de meia farinha de trigo integral, a pizza é feita com queijo mozzarella light e, embora as versões modernas possam não ser exatamente como as lembramos de nossa juventude, são, pelo menos, descendentes diretos dos doentes. , quadrado pastoso que todos nós apreciamos tão profundamente.

No post mais recente no Facebook & # x27s semi-popular & quotPublic School Rectangle Pizza & quot group, o proprietário escreve: “Esta página foi feita como uma piada e nostalgia que enviei a alguns amigos. Ele cresceu para ter muito mais seguidores do que eu esperava. Mas é compreensível. A pizza nos nutriu durante a primeira parte de nossas vidas. E por causa disso, crescemos bem. ”

De fato. Ou, uh. Nós vamos. Nós pelo menos gostávamos disso, naquela época. Mesmo que fosse pastoso. E macio. E estranhamente doce. E ruim para nós. E, claro, não tão bom quanto o da mãe.


Os mistérios da pizza da lanchonete escolar, mais ou menos resolvidos

Há um cheiro agradável de cola e desinfetante para mãos Elmer & # x27s no ar, porque está de volta às aulas na semana em BonAppetit.com. Todos os dias, estaremos celebrando os lanches bons, não tão bons e com cores artificiais da infância, refeitórios escolares e muito mais.

Um quadrado pálido doentio se estende por uma extensão fina de metal. Em borracha e flexível, a paisagem pastosa exibe um “vermelho” morno e um curioso “branco” marrom queimado nas bordas. As crianças imploram aos pais pela chance de experimentar seu deleite, fazendo fila depois da Ciência e antes do Inglês para apreciar sua glória ao lado de uma caixa de leite fria e uma história ainda mais fria sobre como a mãe está sendo injusta. Sim meu amigo, estamos falando sobre pizza do refeitório da escola, uma memória sensível que muitos de nós - embora nossas vidas possam ser díspares e nossos caminhos possam nunca se cruzar - compartilhamos. Mas como exatamente essa pizza entrou em nossas vidas? E como conseguiu, digamos, distinto sabor e textura? Huh. Boas perguntas.

Antes de sair em busca de respostas, parecia sensato consultar alguns especialistas em pizza. Na cidade de Nova York e além, há poucos especialistas em pizza mais bem considerados do que o chef rebelde da pizzaria Roberta, o chef rebelde e coproprietário Carlo Mirarchi, que compartilhava sua própria memória de pizza da lanchonete da escola: “Todas as outras sextas-feiras era dia de pizza na minha escola. O que eu lembro sobre isso é que tinha gosto de batata frita e serviram o dia todo, das 7h às 17h. Algumas crianças comeriam essas fatias quadradas com gosto de batata frita e parecendo Ellio & # x27s às 7h30 com meio litro de leite com chocolate. Foi intenso. ”

Intenso.
Existem poucos grupos no Facebook mais explicitamente dedicados à pizza retângulo em escolas públicas do que o & quotPizzaria Retângulo em escolas públicas, & quot, criado em 11 de março de 2010, com 2.244 fãs. O dono do grupo & quotPublic School Rectangle Pizza & quot, sem dúvida ele mesmo um especialista em pizza, disse o seguinte em 15 de maio: & quotEu recebo muitas mensagens sobre onde comprar a amada pizza. Não sei. Então, por favor, relaxe com as mensagens até que uma solução seja encontrada. & Quot

Resoluto.
Na minha vida, existem poucos especialistas em pizza de quem gosto mais, pessoalmente, do que minha prima de 6 anos, Kate, que explicou: “Hum. [Pizza da escola] é muito boa. Mas eu gosto mais da pizza da minha mãe. & Quot

Incrível.
Nos últimos anos, em parte devido a Let’s Move! De Michelle Obama! campanha contra a obesidade infantil e o Healthy, Hunger-Free Kids Act, os regulamentos do USDA ficaram um pouco mais rígidos em relação ao tipo de lixo de pizza que você pode alimentar as crianças nas escolas. (Embora não seja tão rigoroso e mais na teoria do que na prática. Lembra-se de que "pizza é um vegetal"?)

Pode ser por isso que se tornou tão difícil para um repórter comum de pizza obter respostas sobre pizza escolar de alguns dos maiores provedores de serviços de alimentação de cafeterias K-12 - Aramark, Sodexo e Chartwells lutaram com sucesso no Congresso sobre as iniciativas saudáveis. Eles podem ser céticos em relação à agenda de qualquer repórter, específico para pizza ou não. É justo.

Eu só queria aprender sobre a pizza deles, no entanto.
Depois de um pouco de estímulo, Aramark, um provedor de alimentos com sede na Filadélfia que "fornece serviços de nutrição para mais de 2 milhões de alunos diariamente e serve [s] mais de 300 milhões de refeições para alunos do ensino fundamental e médio anualmente", enviou algumas informações que Eu acredito que você vai achar bastante surpreendente:

Oferecemos uma variedade de opções de pizza que atendem ou excedem todas as diretrizes do USDA. Como parte de nossas promoções Aramark FUEL®, que apresenta aos alunos novas receitas e perfis de sabor e, ao mesmo tempo, cumpre os regulamentos do USDA. As pizzas são feitas na hora e apresentam crosta de grãos inteiros e queijo magro. Existem algumas opções de pizza, além do queijo padrão ou coberturas vegetarianas.

Os exemplos incluem a Sriracha-Glazed Pizza (pimentos salteados e cebolas, frango em cubos e mistura de queijos, em uma crosta de pizza de grãos inteiros cobertos com um churrasco e molho Sriracha) e Mac & amp Cheese Pizza que apresenta macarrão temperado e queijo com frango em cubos uma crosta de pizza de grãos inteiros.

Pizza com cobertura Sriracha? Pizza de queijo Mac & amp? Conformidade com as regulamentações do USDA mencionadas com uma frequência que ninguém tem escolha a não ser descrever como “muito suspeita”? Vamos!

Parece seguro dizer que este estilo de pizza não é o estilo pastoso, sem graça e vermelho e branco de Ellio & # x27s de pizza que você se lembra quando pensa em “pizza da lanchonete da escola”. Sim, parece que, para entender a origem da clássica "pizza refeitório da escola", podemos ter que procurar em outro lugar. Felizmente, uma pista está escondida na citação de nomes do USDA de Aramark.

O livro de receitas de receitas de quantidade de 1988 do USDA para o serviço de alimentação escolar fornece receitas para uma série de alimentos básicos da lanchonete escolar: bolo de carne, batata frita de maçã, salada de frutas, bolo amarelo e assim por diante. Suas 320 páginas contêm os segredos dos sabores antes oferecidos com tanta liberdade, agora perdidos no tempo. Mas onde encontrar esse documento? Em cavernas na costa noroeste do Mar Morto, talvez a máscara facial de papiro de uma múmia egípcia, talvez nas catacumbas perdidas de nossa juventude - oh não importa, você pode baixar um PDF.

“Pizza Crust,” “Pourable Pizza Crust,” “Pizza With Cheese Topping” - meus amigos, nós acertamos em cheio.

Sim, parece que podemos tê-la encontrado - a pizza clara e quadrada do nosso passado. Desde então, as receitas foram atualizadas para refletir as mudanças nas diretrizes do USDA, mas apenas ligeiramente. A massa agora é composta de meia farinha de trigo integral, a pizza é feita com queijo mozzarella light e, embora as versões modernas possam não ser exatamente como as lembramos de nossa juventude, são, pelo menos, descendentes diretos dos doentes. , quadrado pastoso que todos nós apreciamos tão profundamente.

Na postagem mais recente no Facebook & # x27s semi-popular & quotPublic School Rectangle Pizza & quot group, o proprietário escreve: “Esta página foi feita como uma piada e nostalgia que enviei a alguns amigos. Ele cresceu para ter muito mais seguidores do que eu esperava. Mas é compreensível. A pizza nos alimentou durante a primeira parte de nossas vidas. E por causa disso, crescemos bem. ”

De fato. Ou, uh. Nós vamos. Nós pelo menos gostávamos disso, naquela época. Mesmo que fosse pastoso. E macio. E estranhamente doce. E ruim para nós. E, claro, não tão bom quanto o da mãe.


Os mistérios da pizza da lanchonete escolar, mais ou menos resolvidos

Há um cheiro agradável de cola e desinfetante para as mãos Elmer & # x27s no ar, porque está de volta às aulas na semana em BonAppetit.com. Todos os dias, estaremos celebrando os lanches bons, não tão bons e com cores artificiais da infância, refeitórios escolares e muito mais.

Um quadrado pálido doentio se estende por uma extensão fina de metal. Em borracha e flexível, a paisagem pastosa exibe um “vermelho” morno e um curioso “branco” marrom queimado nas bordas. As crianças imploram aos pais pela chance de experimentar seu deleite, fazendo fila depois da Ciência e antes do Inglês para apreciar sua glória ao lado de uma caixa de leite fria e uma história ainda mais fria sobre como a mãe está sendo injusta. Sim meu amigo, estamos falando sobre pizza do refeitório da escola, uma memória sensível que muitos de nós - embora nossas vidas possam ser díspares e nossos caminhos possam nunca se cruzar - compartilhamos. Mas como exatamente essa pizza entrou em nossas vidas? E como conseguiu, digamos, distinto sabor e textura? Huh. Boas perguntas.

Antes de sair em busca de respostas, parecia sensato consultar alguns especialistas em pizza. Na cidade de Nova York e além, há poucos especialistas em pizza mais bem considerados do que o chef rebelde da pizzaria Roberta, o chef rebelde e coproprietário Carlo Mirarchi, que compartilhava sua própria memória de pizza da lanchonete da escola: “Todas as outras sextas-feiras era dia de pizza na minha escola. O que eu lembro sobre isso é que tinha gosto de batata frita e serviram o dia todo, das 7h às 17h. Algumas crianças comeriam essas fatias quadradas com gosto de batata frita e parecendo Ellio & # x27s às 7h30 com meio litro de leite com chocolate. Foi intenso. ”

Intenso.
Existem poucos grupos no Facebook mais explicitamente dedicados à pizza retangular em escolas públicas do que o & quotPizzaria retangular escolar pública, & quot, criado em 11 de março de 2010, com 2.244 fãs. O proprietário do grupo & quotPublic School Rectangle Pizza & quot, sem dúvida ele mesmo um especialista em pizza, disse o seguinte em 15 de maio: & quotEu recebo muitas mensagens sobre onde comprar a amada pizza. Não sei. Então, por favor, relaxe com as mensagens até que uma solução seja encontrada. & Quot

Resoluto.
Na minha vida, existem poucos especialistas em pizza de quem gosto mais, pessoalmente, do que minha prima de 6 anos, Kate, que explicou: “Hum. [Pizza da escola] é muito boa. Mas eu gosto mais da pizza da minha mãe. & Quot

Incrível.
Nos últimos anos, em parte devido a Let’s Move! De Michelle Obama! campanha contra a obesidade infantil e o Healthy, Hunger-Free Kids Act, os regulamentos do USDA ficaram um pouco mais rígidos em relação ao tipo de lixo de pizza que você pode alimentar as crianças nas escolas. (Embora não seja tão rígido e mais na teoria do que na prática. Lembra-se de que "pizza é um vegetal"?)

Pode ser por isso que se tornou tão difícil para um repórter comum de pizza obter respostas sobre pizza escolar de alguns dos maiores provedores de serviços de alimentação de cafeterias K-12 - Aramark, Sodexo e Chartwells lutaram com grande sucesso no Congresso sobre as iniciativas saudáveis. Eles podem ser céticos em relação à agenda de qualquer repórter, específico para pizza ou não. É justo.

Eu só queria aprender sobre a pizza deles, no entanto.
After a little prodding, Aramark, a Philadelphia-based food provider that “provide[s] nutrition services for over 2 million students daily and serve[s] over 300+ million meals to K-12 students annually,” sent along some information that I believe you’re going to find quite startling:

We offer a variety of pizza options that meet or exceed all USDA guidelines. As part of our Aramark FUEL® promotions that introduce students to new recipes and taste profiles while complying with the USDA regulations. Pizzas are made fresh and feature whole grain crust and low fat cheese. There are a few pizza options in addition to the standard cheese or veggie toppings.

Examples include the Sriracha-Glazed Pizza (Sautéed peppers and onions, diced chicken, and blend of cheeses, on a whole grain pizza crust glazed with a BBQ and Sriracha sauce) and Mac & Cheese Pizza which features seasoned macaroni and cheese with diced chicken on a whole grain pizza crust.

Sriracha-Glazed pizza? Mac & Cheese Pizza? Compliance with USDA regulations mentioned with a frequency one has no choice but to describe as “very suspicious”? Come on!

It seems safe to say that this style of pizza is not the style of doughy, bland, red-and-white Ellio's-looking pizza you remember when you think “school cafeteria pizza.” Yes, it seems that, to understand the classic “school cafeteria pizza”’s origin, we may have to look elsewhere. Luckily, a clue is hidden in Aramark’s USDA name-dropping.

The USDA’s 1988 Quantity Recipes for School Food Service recipe book provides recipes for a number of school cafeteria staples: meatloaf, apple crisp, fruit salad, yellow cake, and so on. Its 320 pages hold the secrets to tastes once offered so freely, now lost to time. But where to find such a document? In caves on the northwest shore of the Dead Sea, perhaps the papyrus face mask of an Egyptian mummy, maybe in the lost catacombs of our youthful— oh nevermind, you can download a PDF .

“Pizza Crust,” “Pourable Pizza Crust,” “Pizza With Cheese Topping”—my friends, we’ve hit it big.

Yes, it looks like we may have found her—the pale, square pizza of our past. The recipes have since been updated to reflect changes in USDA guidelines, but only ever-so-slightly. The dough now comprises half whole-wheat flour , the pizza is made with light mozzarella cheese , and while the modern-day versions may not be exactly as we remember them from our youth, they are, at least, the direct descendants of the sickly, doughy square we all cherished so deeply.

In the most recent post on Facebook's semi-popular "Public School Rectangle Pizza" group, the owner writes, “This page was made as a joke and for nostalgia that I sent to a few friends. It has grown to have a lot more followers than I expected. But understandably so. The pizza nourished us through the first part of our lives. And because of it we grew up right.”

De fato. Or, uh. Well. We at least liked it, back then. Even though it was doughy. And soft. And oddly sweet. And bad for us. And, of course, not nearly as good as mom’s.


The Mysteries of School Cafeteria Pizza, Sort of Solved

There's a pleasant whiff of Elmer's glue and hand sanitizer in the air, because it's back to school week at BonAppetit.com. Every day we'll be celebrating the good, not-so-good, and artificially-colored snacks of childhood, school cafeterias, and beyond.

A sickly pale square stretches across a thin, metal expanse. Chewy and pliable, the doughy landscape showcases a lukewarm “red” and a curious “white,” burnt brown at the edges. Children beg their parents for the chance to experience its delight, lining up after Science and before English to take in its glory alongside a cold carton of milk and an even colder story about how unfair mom is being. Yes, my friend, we are talking about school cafeteria pizza, a sense memory many of us—though our lives may be disparate and our paths may never cross—share. But exactly how did this exact pizza make its way into all of our lives? And how did it achieve its, let’s say, distinct flavor and texture? Huh. Good questions.

Before setting off to find answers, it seemed wise to consult a few pizza experts. In New York City and beyond, there are few pizza experts better regarded than Bushwick pizza shop Roberta’s rebel chef and co-owner Carlo Mirarchi, who shared his own school cafeteria pizza memory: “Every other Friday was pizza day at my high school. What I do remember about it is that it tasted like French fries and they served it all day, from 7 a.m. until 5 p.m. Some kids would be eating these French-fry-tasting, Ellio's-looking square slices at 7:30 a.m. with a pint of chocolate milk. It was intense.”

Intense.
There are few Facebook groups more explicitly dedicated to public school rectangle pizza than "Public School Rectangle Pizza," created on March 11, 2010, with 2,244 fans. The owner of the "Public School Rectangle Pizza" group, no doubt a pizza expert himself, had this to say on May 15: "I get a lot of messages about where to buy the beloved pizza. Não sei. So please ease up on messaging me until a solution is found."

Resolute.
In my life, there are few pizza experts I am more fond of, personally, than my 6-year-old cousin Kate, who explained, “Um. [School pizza] is pretty good. But I like my mom’s pizza better."

Incredible.
In the past few years, partly due to Michelle Obama’s Let’s Move! campaign against childhood obesity and the Healthy, Hunger-Free Kids Act, USDA regulations have gotten a bit more strict concerning the type of pizza garbage you’re allowed to feed children in schools. (Though not so strict, and more in theory than in practice. Remember “pizza is a vegetable” ?)

This may be why it has become so difficult for a common pizza reporter to get answers about school pizza from some of K-12 cafeterias’ largest foodservice providers—Aramark, Sodexo, and Chartwells largely successfully fought Congress on the healthy initiatives. They may be skeptical of any reporter’s agenda, pizza specific or not. Fair enough.

I just wanted to learn about their pizza, however.
After a little prodding, Aramark, a Philadelphia-based food provider that “provide[s] nutrition services for over 2 million students daily and serve[s] over 300+ million meals to K-12 students annually,” sent along some information that I believe you’re going to find quite startling:

We offer a variety of pizza options that meet or exceed all USDA guidelines. As part of our Aramark FUEL® promotions that introduce students to new recipes and taste profiles while complying with the USDA regulations. Pizzas are made fresh and feature whole grain crust and low fat cheese. There are a few pizza options in addition to the standard cheese or veggie toppings.

Examples include the Sriracha-Glazed Pizza (Sautéed peppers and onions, diced chicken, and blend of cheeses, on a whole grain pizza crust glazed with a BBQ and Sriracha sauce) and Mac & Cheese Pizza which features seasoned macaroni and cheese with diced chicken on a whole grain pizza crust.

Sriracha-Glazed pizza? Mac & Cheese Pizza? Compliance with USDA regulations mentioned with a frequency one has no choice but to describe as “very suspicious”? Come on!

It seems safe to say that this style of pizza is not the style of doughy, bland, red-and-white Ellio's-looking pizza you remember when you think “school cafeteria pizza.” Yes, it seems that, to understand the classic “school cafeteria pizza”’s origin, we may have to look elsewhere. Luckily, a clue is hidden in Aramark’s USDA name-dropping.

The USDA’s 1988 Quantity Recipes for School Food Service recipe book provides recipes for a number of school cafeteria staples: meatloaf, apple crisp, fruit salad, yellow cake, and so on. Its 320 pages hold the secrets to tastes once offered so freely, now lost to time. But where to find such a document? In caves on the northwest shore of the Dead Sea, perhaps the papyrus face mask of an Egyptian mummy, maybe in the lost catacombs of our youthful— oh nevermind, you can download a PDF .

“Pizza Crust,” “Pourable Pizza Crust,” “Pizza With Cheese Topping”—my friends, we’ve hit it big.

Yes, it looks like we may have found her—the pale, square pizza of our past. The recipes have since been updated to reflect changes in USDA guidelines, but only ever-so-slightly. The dough now comprises half whole-wheat flour , the pizza is made with light mozzarella cheese , and while the modern-day versions may not be exactly as we remember them from our youth, they are, at least, the direct descendants of the sickly, doughy square we all cherished so deeply.

In the most recent post on Facebook's semi-popular "Public School Rectangle Pizza" group, the owner writes, “This page was made as a joke and for nostalgia that I sent to a few friends. It has grown to have a lot more followers than I expected. But understandably so. The pizza nourished us through the first part of our lives. And because of it we grew up right.”

De fato. Or, uh. Well. We at least liked it, back then. Even though it was doughy. And soft. And oddly sweet. And bad for us. And, of course, not nearly as good as mom’s.


The Mysteries of School Cafeteria Pizza, Sort of Solved

There's a pleasant whiff of Elmer's glue and hand sanitizer in the air, because it's back to school week at BonAppetit.com. Every day we'll be celebrating the good, not-so-good, and artificially-colored snacks of childhood, school cafeterias, and beyond.

A sickly pale square stretches across a thin, metal expanse. Chewy and pliable, the doughy landscape showcases a lukewarm “red” and a curious “white,” burnt brown at the edges. Children beg their parents for the chance to experience its delight, lining up after Science and before English to take in its glory alongside a cold carton of milk and an even colder story about how unfair mom is being. Yes, my friend, we are talking about school cafeteria pizza, a sense memory many of us—though our lives may be disparate and our paths may never cross—share. But exactly how did this exact pizza make its way into all of our lives? And how did it achieve its, let’s say, distinct flavor and texture? Huh. Good questions.

Before setting off to find answers, it seemed wise to consult a few pizza experts. In New York City and beyond, there are few pizza experts better regarded than Bushwick pizza shop Roberta’s rebel chef and co-owner Carlo Mirarchi, who shared his own school cafeteria pizza memory: “Every other Friday was pizza day at my high school. What I do remember about it is that it tasted like French fries and they served it all day, from 7 a.m. until 5 p.m. Some kids would be eating these French-fry-tasting, Ellio's-looking square slices at 7:30 a.m. with a pint of chocolate milk. It was intense.”

Intense.
There are few Facebook groups more explicitly dedicated to public school rectangle pizza than "Public School Rectangle Pizza," created on March 11, 2010, with 2,244 fans. The owner of the "Public School Rectangle Pizza" group, no doubt a pizza expert himself, had this to say on May 15: "I get a lot of messages about where to buy the beloved pizza. Não sei. So please ease up on messaging me until a solution is found."

Resolute.
In my life, there are few pizza experts I am more fond of, personally, than my 6-year-old cousin Kate, who explained, “Um. [School pizza] is pretty good. But I like my mom’s pizza better."

Incredible.
In the past few years, partly due to Michelle Obama’s Let’s Move! campaign against childhood obesity and the Healthy, Hunger-Free Kids Act, USDA regulations have gotten a bit more strict concerning the type of pizza garbage you’re allowed to feed children in schools. (Though not so strict, and more in theory than in practice. Remember “pizza is a vegetable” ?)

This may be why it has become so difficult for a common pizza reporter to get answers about school pizza from some of K-12 cafeterias’ largest foodservice providers—Aramark, Sodexo, and Chartwells largely successfully fought Congress on the healthy initiatives. They may be skeptical of any reporter’s agenda, pizza specific or not. Fair enough.

I just wanted to learn about their pizza, however.
After a little prodding, Aramark, a Philadelphia-based food provider that “provide[s] nutrition services for over 2 million students daily and serve[s] over 300+ million meals to K-12 students annually,” sent along some information that I believe you’re going to find quite startling:

We offer a variety of pizza options that meet or exceed all USDA guidelines. As part of our Aramark FUEL® promotions that introduce students to new recipes and taste profiles while complying with the USDA regulations. Pizzas are made fresh and feature whole grain crust and low fat cheese. There are a few pizza options in addition to the standard cheese or veggie toppings.

Examples include the Sriracha-Glazed Pizza (Sautéed peppers and onions, diced chicken, and blend of cheeses, on a whole grain pizza crust glazed with a BBQ and Sriracha sauce) and Mac & Cheese Pizza which features seasoned macaroni and cheese with diced chicken on a whole grain pizza crust.

Sriracha-Glazed pizza? Mac & Cheese Pizza? Compliance with USDA regulations mentioned with a frequency one has no choice but to describe as “very suspicious”? Come on!

It seems safe to say that this style of pizza is not the style of doughy, bland, red-and-white Ellio's-looking pizza you remember when you think “school cafeteria pizza.” Yes, it seems that, to understand the classic “school cafeteria pizza”’s origin, we may have to look elsewhere. Luckily, a clue is hidden in Aramark’s USDA name-dropping.

The USDA’s 1988 Quantity Recipes for School Food Service recipe book provides recipes for a number of school cafeteria staples: meatloaf, apple crisp, fruit salad, yellow cake, and so on. Its 320 pages hold the secrets to tastes once offered so freely, now lost to time. But where to find such a document? In caves on the northwest shore of the Dead Sea, perhaps the papyrus face mask of an Egyptian mummy, maybe in the lost catacombs of our youthful— oh nevermind, you can download a PDF .

“Pizza Crust,” “Pourable Pizza Crust,” “Pizza With Cheese Topping”—my friends, we’ve hit it big.

Yes, it looks like we may have found her—the pale, square pizza of our past. The recipes have since been updated to reflect changes in USDA guidelines, but only ever-so-slightly. The dough now comprises half whole-wheat flour , the pizza is made with light mozzarella cheese , and while the modern-day versions may not be exactly as we remember them from our youth, they are, at least, the direct descendants of the sickly, doughy square we all cherished so deeply.

In the most recent post on Facebook's semi-popular "Public School Rectangle Pizza" group, the owner writes, “This page was made as a joke and for nostalgia that I sent to a few friends. It has grown to have a lot more followers than I expected. But understandably so. The pizza nourished us through the first part of our lives. And because of it we grew up right.”

De fato. Or, uh. Well. We at least liked it, back then. Even though it was doughy. And soft. And oddly sweet. And bad for us. And, of course, not nearly as good as mom’s.


The Mysteries of School Cafeteria Pizza, Sort of Solved

There's a pleasant whiff of Elmer's glue and hand sanitizer in the air, because it's back to school week at BonAppetit.com. Every day we'll be celebrating the good, not-so-good, and artificially-colored snacks of childhood, school cafeterias, and beyond.

A sickly pale square stretches across a thin, metal expanse. Chewy and pliable, the doughy landscape showcases a lukewarm “red” and a curious “white,” burnt brown at the edges. Children beg their parents for the chance to experience its delight, lining up after Science and before English to take in its glory alongside a cold carton of milk and an even colder story about how unfair mom is being. Yes, my friend, we are talking about school cafeteria pizza, a sense memory many of us—though our lives may be disparate and our paths may never cross—share. But exactly how did this exact pizza make its way into all of our lives? And how did it achieve its, let’s say, distinct flavor and texture? Huh. Good questions.

Before setting off to find answers, it seemed wise to consult a few pizza experts. In New York City and beyond, there are few pizza experts better regarded than Bushwick pizza shop Roberta’s rebel chef and co-owner Carlo Mirarchi, who shared his own school cafeteria pizza memory: “Every other Friday was pizza day at my high school. What I do remember about it is that it tasted like French fries and they served it all day, from 7 a.m. until 5 p.m. Some kids would be eating these French-fry-tasting, Ellio's-looking square slices at 7:30 a.m. with a pint of chocolate milk. It was intense.”

Intense.
There are few Facebook groups more explicitly dedicated to public school rectangle pizza than "Public School Rectangle Pizza," created on March 11, 2010, with 2,244 fans. The owner of the "Public School Rectangle Pizza" group, no doubt a pizza expert himself, had this to say on May 15: "I get a lot of messages about where to buy the beloved pizza. Não sei. So please ease up on messaging me until a solution is found."

Resolute.
In my life, there are few pizza experts I am more fond of, personally, than my 6-year-old cousin Kate, who explained, “Um. [School pizza] is pretty good. But I like my mom’s pizza better."

Incredible.
In the past few years, partly due to Michelle Obama’s Let’s Move! campaign against childhood obesity and the Healthy, Hunger-Free Kids Act, USDA regulations have gotten a bit more strict concerning the type of pizza garbage you’re allowed to feed children in schools. (Though not so strict, and more in theory than in practice. Remember “pizza is a vegetable” ?)

This may be why it has become so difficult for a common pizza reporter to get answers about school pizza from some of K-12 cafeterias’ largest foodservice providers—Aramark, Sodexo, and Chartwells largely successfully fought Congress on the healthy initiatives. They may be skeptical of any reporter’s agenda, pizza specific or not. Fair enough.

I just wanted to learn about their pizza, however.
After a little prodding, Aramark, a Philadelphia-based food provider that “provide[s] nutrition services for over 2 million students daily and serve[s] over 300+ million meals to K-12 students annually,” sent along some information that I believe you’re going to find quite startling:

We offer a variety of pizza options that meet or exceed all USDA guidelines. As part of our Aramark FUEL® promotions that introduce students to new recipes and taste profiles while complying with the USDA regulations. Pizzas are made fresh and feature whole grain crust and low fat cheese. There are a few pizza options in addition to the standard cheese or veggie toppings.

Examples include the Sriracha-Glazed Pizza (Sautéed peppers and onions, diced chicken, and blend of cheeses, on a whole grain pizza crust glazed with a BBQ and Sriracha sauce) and Mac & Cheese Pizza which features seasoned macaroni and cheese with diced chicken on a whole grain pizza crust.

Sriracha-Glazed pizza? Mac & Cheese Pizza? Compliance with USDA regulations mentioned with a frequency one has no choice but to describe as “very suspicious”? Come on!

It seems safe to say that this style of pizza is not the style of doughy, bland, red-and-white Ellio's-looking pizza you remember when you think “school cafeteria pizza.” Yes, it seems that, to understand the classic “school cafeteria pizza”’s origin, we may have to look elsewhere. Luckily, a clue is hidden in Aramark’s USDA name-dropping.

The USDA’s 1988 Quantity Recipes for School Food Service recipe book provides recipes for a number of school cafeteria staples: meatloaf, apple crisp, fruit salad, yellow cake, and so on. Its 320 pages hold the secrets to tastes once offered so freely, now lost to time. But where to find such a document? In caves on the northwest shore of the Dead Sea, perhaps the papyrus face mask of an Egyptian mummy, maybe in the lost catacombs of our youthful— oh nevermind, you can download a PDF .

“Pizza Crust,” “Pourable Pizza Crust,” “Pizza With Cheese Topping”—my friends, we’ve hit it big.

Yes, it looks like we may have found her—the pale, square pizza of our past. The recipes have since been updated to reflect changes in USDA guidelines, but only ever-so-slightly. The dough now comprises half whole-wheat flour , the pizza is made with light mozzarella cheese , and while the modern-day versions may not be exactly as we remember them from our youth, they are, at least, the direct descendants of the sickly, doughy square we all cherished so deeply.

In the most recent post on Facebook's semi-popular "Public School Rectangle Pizza" group, the owner writes, “This page was made as a joke and for nostalgia that I sent to a few friends. It has grown to have a lot more followers than I expected. But understandably so. The pizza nourished us through the first part of our lives. And because of it we grew up right.”

De fato. Or, uh. Well. We at least liked it, back then. Even though it was doughy. And soft. And oddly sweet. And bad for us. And, of course, not nearly as good as mom’s.


The Mysteries of School Cafeteria Pizza, Sort of Solved

There's a pleasant whiff of Elmer's glue and hand sanitizer in the air, because it's back to school week at BonAppetit.com. Every day we'll be celebrating the good, not-so-good, and artificially-colored snacks of childhood, school cafeterias, and beyond.

A sickly pale square stretches across a thin, metal expanse. Chewy and pliable, the doughy landscape showcases a lukewarm “red” and a curious “white,” burnt brown at the edges. Children beg their parents for the chance to experience its delight, lining up after Science and before English to take in its glory alongside a cold carton of milk and an even colder story about how unfair mom is being. Yes, my friend, we are talking about school cafeteria pizza, a sense memory many of us—though our lives may be disparate and our paths may never cross—share. But exactly how did this exact pizza make its way into all of our lives? And how did it achieve its, let’s say, distinct flavor and texture? Huh. Good questions.

Before setting off to find answers, it seemed wise to consult a few pizza experts. In New York City and beyond, there are few pizza experts better regarded than Bushwick pizza shop Roberta’s rebel chef and co-owner Carlo Mirarchi, who shared his own school cafeteria pizza memory: “Every other Friday was pizza day at my high school. What I do remember about it is that it tasted like French fries and they served it all day, from 7 a.m. until 5 p.m. Some kids would be eating these French-fry-tasting, Ellio's-looking square slices at 7:30 a.m. with a pint of chocolate milk. It was intense.”

Intense.
There are few Facebook groups more explicitly dedicated to public school rectangle pizza than "Public School Rectangle Pizza," created on March 11, 2010, with 2,244 fans. The owner of the "Public School Rectangle Pizza" group, no doubt a pizza expert himself, had this to say on May 15: "I get a lot of messages about where to buy the beloved pizza. Não sei. So please ease up on messaging me until a solution is found."

Resolute.
In my life, there are few pizza experts I am more fond of, personally, than my 6-year-old cousin Kate, who explained, “Um. [School pizza] is pretty good. But I like my mom’s pizza better."

Incredible.
In the past few years, partly due to Michelle Obama’s Let’s Move! campaign against childhood obesity and the Healthy, Hunger-Free Kids Act, USDA regulations have gotten a bit more strict concerning the type of pizza garbage you’re allowed to feed children in schools. (Though not so strict, and more in theory than in practice. Remember “pizza is a vegetable” ?)

This may be why it has become so difficult for a common pizza reporter to get answers about school pizza from some of K-12 cafeterias’ largest foodservice providers—Aramark, Sodexo, and Chartwells largely successfully fought Congress on the healthy initiatives. They may be skeptical of any reporter’s agenda, pizza specific or not. Fair enough.

I just wanted to learn about their pizza, however.
After a little prodding, Aramark, a Philadelphia-based food provider that “provide[s] nutrition services for over 2 million students daily and serve[s] over 300+ million meals to K-12 students annually,” sent along some information that I believe you’re going to find quite startling:

We offer a variety of pizza options that meet or exceed all USDA guidelines. As part of our Aramark FUEL® promotions that introduce students to new recipes and taste profiles while complying with the USDA regulations. Pizzas are made fresh and feature whole grain crust and low fat cheese. There are a few pizza options in addition to the standard cheese or veggie toppings.

Examples include the Sriracha-Glazed Pizza (Sautéed peppers and onions, diced chicken, and blend of cheeses, on a whole grain pizza crust glazed with a BBQ and Sriracha sauce) and Mac & Cheese Pizza which features seasoned macaroni and cheese with diced chicken on a whole grain pizza crust.

Sriracha-Glazed pizza? Mac & Cheese Pizza? Compliance with USDA regulations mentioned with a frequency one has no choice but to describe as “very suspicious”? Come on!

It seems safe to say that this style of pizza is not the style of doughy, bland, red-and-white Ellio's-looking pizza you remember when you think “school cafeteria pizza.” Yes, it seems that, to understand the classic “school cafeteria pizza”’s origin, we may have to look elsewhere. Luckily, a clue is hidden in Aramark’s USDA name-dropping.

The USDA’s 1988 Quantity Recipes for School Food Service recipe book provides recipes for a number of school cafeteria staples: meatloaf, apple crisp, fruit salad, yellow cake, and so on. Its 320 pages hold the secrets to tastes once offered so freely, now lost to time. But where to find such a document? In caves on the northwest shore of the Dead Sea, perhaps the papyrus face mask of an Egyptian mummy, maybe in the lost catacombs of our youthful— oh nevermind, you can download a PDF .

“Pizza Crust,” “Pourable Pizza Crust,” “Pizza With Cheese Topping”—my friends, we’ve hit it big.

Yes, it looks like we may have found her—the pale, square pizza of our past. The recipes have since been updated to reflect changes in USDA guidelines, but only ever-so-slightly. The dough now comprises half whole-wheat flour , the pizza is made with light mozzarella cheese , and while the modern-day versions may not be exactly as we remember them from our youth, they are, at least, the direct descendants of the sickly, doughy square we all cherished so deeply.

In the most recent post on Facebook's semi-popular "Public School Rectangle Pizza" group, the owner writes, “This page was made as a joke and for nostalgia that I sent to a few friends. It has grown to have a lot more followers than I expected. But understandably so. The pizza nourished us through the first part of our lives. And because of it we grew up right.”

De fato. Or, uh. Well. We at least liked it, back then. Even though it was doughy. And soft. And oddly sweet. And bad for us. And, of course, not nearly as good as mom’s.


The Mysteries of School Cafeteria Pizza, Sort of Solved

There's a pleasant whiff of Elmer's glue and hand sanitizer in the air, because it's back to school week at BonAppetit.com. Every day we'll be celebrating the good, not-so-good, and artificially-colored snacks of childhood, school cafeterias, and beyond.

A sickly pale square stretches across a thin, metal expanse. Chewy and pliable, the doughy landscape showcases a lukewarm “red” and a curious “white,” burnt brown at the edges. Children beg their parents for the chance to experience its delight, lining up after Science and before English to take in its glory alongside a cold carton of milk and an even colder story about how unfair mom is being. Yes, my friend, we are talking about school cafeteria pizza, a sense memory many of us—though our lives may be disparate and our paths may never cross—share. But exactly how did this exact pizza make its way into all of our lives? And how did it achieve its, let’s say, distinct flavor and texture? Huh. Good questions.

Before setting off to find answers, it seemed wise to consult a few pizza experts. In New York City and beyond, there are few pizza experts better regarded than Bushwick pizza shop Roberta’s rebel chef and co-owner Carlo Mirarchi, who shared his own school cafeteria pizza memory: “Every other Friday was pizza day at my high school. What I do remember about it is that it tasted like French fries and they served it all day, from 7 a.m. until 5 p.m. Some kids would be eating these French-fry-tasting, Ellio's-looking square slices at 7:30 a.m. with a pint of chocolate milk. It was intense.”

Intense.
There are few Facebook groups more explicitly dedicated to public school rectangle pizza than "Public School Rectangle Pizza," created on March 11, 2010, with 2,244 fans. The owner of the "Public School Rectangle Pizza" group, no doubt a pizza expert himself, had this to say on May 15: "I get a lot of messages about where to buy the beloved pizza. Não sei. So please ease up on messaging me until a solution is found."

Resolute.
In my life, there are few pizza experts I am more fond of, personally, than my 6-year-old cousin Kate, who explained, “Um. [School pizza] is pretty good. But I like my mom’s pizza better."

Incredible.
In the past few years, partly due to Michelle Obama’s Let’s Move! campaign against childhood obesity and the Healthy, Hunger-Free Kids Act, USDA regulations have gotten a bit more strict concerning the type of pizza garbage you’re allowed to feed children in schools. (Though not so strict, and more in theory than in practice. Remember “pizza is a vegetable” ?)

This may be why it has become so difficult for a common pizza reporter to get answers about school pizza from some of K-12 cafeterias’ largest foodservice providers—Aramark, Sodexo, and Chartwells largely successfully fought Congress on the healthy initiatives. They may be skeptical of any reporter’s agenda, pizza specific or not. Fair enough.

I just wanted to learn about their pizza, however.
After a little prodding, Aramark, a Philadelphia-based food provider that “provide[s] nutrition services for over 2 million students daily and serve[s] over 300+ million meals to K-12 students annually,” sent along some information that I believe you’re going to find quite startling:

We offer a variety of pizza options that meet or exceed all USDA guidelines. As part of our Aramark FUEL® promotions that introduce students to new recipes and taste profiles while complying with the USDA regulations. Pizzas are made fresh and feature whole grain crust and low fat cheese. There are a few pizza options in addition to the standard cheese or veggie toppings.

Examples include the Sriracha-Glazed Pizza (Sautéed peppers and onions, diced chicken, and blend of cheeses, on a whole grain pizza crust glazed with a BBQ and Sriracha sauce) and Mac & Cheese Pizza which features seasoned macaroni and cheese with diced chicken on a whole grain pizza crust.

Sriracha-Glazed pizza? Mac & Cheese Pizza? Compliance with USDA regulations mentioned with a frequency one has no choice but to describe as “very suspicious”? Come on!

It seems safe to say that this style of pizza is not the style of doughy, bland, red-and-white Ellio's-looking pizza you remember when you think “school cafeteria pizza.” Yes, it seems that, to understand the classic “school cafeteria pizza”’s origin, we may have to look elsewhere. Luckily, a clue is hidden in Aramark’s USDA name-dropping.

The USDA’s 1988 Quantity Recipes for School Food Service recipe book provides recipes for a number of school cafeteria staples: meatloaf, apple crisp, fruit salad, yellow cake, and so on. Its 320 pages hold the secrets to tastes once offered so freely, now lost to time. But where to find such a document? In caves on the northwest shore of the Dead Sea, perhaps the papyrus face mask of an Egyptian mummy, maybe in the lost catacombs of our youthful— oh nevermind, you can download a PDF .

“Pizza Crust,” “Pourable Pizza Crust,” “Pizza With Cheese Topping”—my friends, we’ve hit it big.

Yes, it looks like we may have found her—the pale, square pizza of our past. The recipes have since been updated to reflect changes in USDA guidelines, but only ever-so-slightly. The dough now comprises half whole-wheat flour , the pizza is made with light mozzarella cheese , and while the modern-day versions may not be exactly as we remember them from our youth, they are, at least, the direct descendants of the sickly, doughy square we all cherished so deeply.

In the most recent post on Facebook's semi-popular "Public School Rectangle Pizza" group, the owner writes, “This page was made as a joke and for nostalgia that I sent to a few friends. It has grown to have a lot more followers than I expected. But understandably so. The pizza nourished us through the first part of our lives. And because of it we grew up right.”

De fato. Or, uh. Well. We at least liked it, back then. Even though it was doughy. And soft. And oddly sweet. And bad for us. And, of course, not nearly as good as mom’s.


Assista o vídeo: Dominos Summer Pizzas Burger (Outubro 2021).